quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Dois textos a não perder: "Torga e os ausentes" e "Torga: esquecido e presente"


"Torga acreditou num socialismo que honrasse a palavra. Não é já desse carácter o partido que governa Portugal. Como ele próprio escreveu, «ninguém pode dignificar uma coisa em que não acredita». Assim sendo, o melhor é mesmo não aparecer. Demonstra, pelo menos, um pingo de vergonha".

A DEVIDA COMÉDIA, crónica de Miguel Carvalho. Ler AQUI.

"Ainda bem que o Governo esteve ausente nas homenagens a Miguel Torga. O Governo não tem nada a ver com Torga. E, se pouco tem a ver connosco, nada tem a ver com a cultura. O Governo desconhece que a cultura é um dos interesses da política e que a política é uma disciplina da cultura. Embora ajam em esferas diferentes. Um político inculto possui algo de deformado. E um homem culto que se diz indiferente à política revela amolgadelas de carácter: mente porque, em rigor, defende pareceres desonrados."

TORGA: ESQUECIDO E PRESENTE, crónica de Baptista-Bastos. Ler AQUI.

1 comentário:

marinheiro disse...

Nós, Torga, outros Torgas, a cultura, a decência, somos uma imensa minoria.
Mas quem compõe a maioria?