Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

domingo, 13 de agosto de 2006

A PALAVRA NO TECLADO DO LEITOR

"Pedro tomo a liberdade de te enviar uma carta, que gostaria de ver publicada no blog. Desde já os meus parabéns pela iniciativa e continua pois a sociedade em que vivemos necessita de jovens assim.

SERÁ QUE VALE A PENA CONTINUAR?

Vivi o crescimento da nossa freguesia estando orgulhoso de tudo o que foi feito nestes últimos 20 anos. Participei na vida activa da Freguesia integrando os corpos sociais de várias entidades dinamizadoras desta terra, Associação de Pais, Desportivo Clube Marítimo da Gala, Comissão da Capela e ultimamente Direcção do Centro Social de S. Pedro, mas venho apenas falar-vos como cidadão e eleitor desta Freguesia.
Toda a Freguesia teve uma evolução em todas as vertentes, foi um crescimento sustentado e isso vê-se pela quantidade de pessoas que nos visitam diariamente durante os meses de verão. Evoluímos em termos de comportamento da população, a rudeza característica das gentes do mar está suavizada e mais tolerante o que contribuiu para uma imagem de uma freguesia afável e de acolhimento para todos aqueles que nos visitam. Foram feitas grandes obras e investimentos, dando como exemplo o ordenamento das nossas praias, com estruturas de apoio que permitiram tornar agradável locais outrora inóspitos e pouco convidativos, todas estas estruturas foram o expoente máximo que catapultou a nossa freguesia. Tudo isso se deve ao elenco da Junta de Freguesia, que ama a sua terra e que tudo faz para a tornar grandiosa nunca esquecendo os que nela habitam durante todo o ano. Mas e há sempre um mas em tudo, não há bela sem senão. “A sala de visitas da nossa Freguesia” é todos os anos por altura das festas do nosso padroeiro, completamente desrespeitado e digamos vandalizado por situações que a meu ver seriam evitáveis. Quem passe pelo adro da Capela nos dias a seguir à Festa poderá verificar toda uma série de situações que nada dignificam o local e a Freguesia em si, pois realizando-se esta em finais de Junho e começando em Julho o expoente máximo da época balnear este adro não fica merecedor do título que lhe atribuíram “Sala de visitas da Freguesia”.
Passo a explicar: começando pelo cheiro nauseabundo a urina e vomitado nos passeios e locais mais recônditos deste adro, deterioração dos relvados, pois desde palcos montados em parte deles a buracos provocados pelos rodados dos camiões tudo acontece, continuando com a falta de respeito em relação ao local onde se promove os eventos, abandono do local deixando palcos e barracas montados após semanas da festa ter acabado, desrespeito pela fachada da Capela deixando cabos eléctricos e de som pendurados, etc.
O adro é nosso, é a nossa sala de visitas, será que na nossa casa não gostamos de ter a sala arrumada para receber aqueles que nos visitam, para que digam bem de nós e nos voltem a visitar com o prazer do regresso? Será que queremos que este estado de coisas continue? Será que tudo aquilo pelo qual toda uma população lutou de forma a ter um adro condigno e que seja o orgulho de uma freguesia merece ser vandalizado desta forma? Será que tanta coisa mudou, desde mentalidades, formas de ser, estruturas, etc., não estará na altura de algo mudar também em relação à festa em honra do nosso Padroeiro S. Pedro? Será que a casa que lhe construímos com tanto sacrifício, suor e lágrimas não merece o nosso respeito?
A mim dói-me o coração quando olho para isto tudo e vejo a falta de respeito que alguns têm pelo trabalho que todos tivemos. Pergunto-me, será que vale a pena continuar a trabalhar durante um ano inteiro, para que em poucos dias tudo fique como fica todos os anos. Peço-vos a todos vós população da minha terra e a quem de direito acabai com esta situação, chega de tolerância a Festa de S. Pedro, uma das maiores, senão a maior, do Concelho da Figueira da Foz, deixou de ter espaço neste local. Vamos discutir soluções, vamos arranjar alternativas façamos desta Festa realmente a maior festa do Concelho mas com respeito dignidade e preservação pelos espaços que ela ocupa durante uma semana. Temos orgulho nas nossas praias, no nosso espectacular parque de merendas, no ordenamento das nossas ruas, nas nossas raízes, nos nossos costumes nas nossas colectividades, temos orgulho em tudo o que diga respeito à nossa terra porque não ter orgulho que a nossa festa de S. Pedro seja uma das festas do Concelho mais organizada, com um local digno de albergar os melhores artistas e de acolher mais gente que nos visita nessa altura.
Nasci em Coimbra onde vivi até à idade de 23 anos depois adoptei esta Freguesia como minha orgulho-me dela e de pertencer ás suas gentes tenho hoje 43 anos, vi nascer 3 filhos nesta terra que também se orgulham de a ela pertencer, mas quando lhes mostro que o trabalho de todos é por vezes estragado por alguns também eles se interrogam se vale a pena.

Fica a minha pergunta para reflexão de todos vós, SERÁ QUE VALE A PENA CONTINUAR?

Vítor Manuel Duarte Abreu
Eleitor nº 1686 da Freguesia de S. Pedro
"

6 comentários:

Anónimo disse...

desculpe lá vir aqui colocar umas espinhas neste post e tentar dizer a este conterranêo duas coisas, a primeira, não foi invenção do felino, foi o Oscar Wilde que a dizia, a certo momento da sua atribulada vida, que " o descontentamento é o motor da história". Mas o que devemos fazer, se acharmos,que o que nos rodeia está a ser vilependiado,degradado, etc., etc., possivelmente até em nome de uma festa importante da Freguesia. Que fazer quando ninguém se mostra preocupado, isso mesmo que fez: mostrar o seu descontentamento, mesmo que os violentados se submetam e não reconheçam que é preciso mudar, nem que seja para seu próprio bem. Sendo assim acho que vale a pena continuar a mostrar o DESCONTENTAMENTO. Mesmo que seja o único, aparentemente descontente.

Anónimo disse...

Vale sempre a pena continuar! Baixar os braços em jeito de rendição é o primeiro passo para a morte! Há sempre algo a melhorar

Anónimo disse...

Por acaso acho que o Sr. Abreu está com muita razão.
Não é só depois de acabar a festa que fica tudo sujo e em mau estado. Enquanto dura afesta do S. Pedro, é uma porcaria por todo o lado e um cheirete que não se pode, além da barulheira, claro. As pessoas têm que se deitar cedo para ir trabalhar e não conseguem descansar emcondições. A festa devia ser mudada para o largo em frente à praia ou outro local mais discreto.
é uma porcaria que não tem jeitos.

Anónimo disse...

a festa SEMPRE foi naquele local e deve continuar a SER ...!

Quando as pessoas foram morar lá para perto a festa já existia, por isso não venham com tretas, pq no dia em q a festa sair daquele local ACABA !

Anónimo disse...

VALE.
Mas permita-me que lhe diga, vá a Festa para onde for,que continua a haver gentes que querem dormir , vomitados, urinas e lixo por todo lado , é festa..
Mas pensando bem, esta "sala de visitas" não foi toda arranjada mesmo por causa do Padroeiro? julgo que sim, uma obra destas é para servir toda a população e não só alguns, é como ficaria se deixa-se de lá fazer a maior Festa do povo da Cova Gala.
O problema aqui é politico, em todo o lado as Autarquias depois das Festas Populares, limpam, arrumam e deixam tudo preparado par a próxima que vem...

Conhece aquele "slogan":
"nada se dá tudo se troca "
está na moda..

Anónimo disse...

E onde é que o Zé da Barraca despachava as farturas com farinha cheia de gorgulho e óleo rançoso e fora de prazo?
O pessoal vomita, por alguma coisa é.