terça-feira, 23 de agosto de 2016

Da série actualmente em exibição na Figueira, uma "cunha" para Miguel Almeida (continuação)......

(para ver melhor clicar na imagem)
Ervas cortadas. Mas, tentaram tapar o buraco com as ervas!..

O que vale é que sempre se mantém o bom humor...

No concelho da modernidade fascinante, de pequenas e médias futilidades, registe-se o enormíssimo esforço da câmara pra ultrapassar a chatice da promoção...
Todas as selfies serão premiadas.
Os prémios e as condições de participação podem ser consultados no regulamento.

Um drama que deve ter escapado ao Correio da Manha...

Esperava-se que a saída do Reino Unido fizesse esta gente ter um pouco mais de decoro. Mas afinal parece que se lhes aplica a frase que Talleyrand disse dos Bourbon: "Não aprenderam nada nem esqueceram nada!". É assim inevitável que ao Brexit venham a seguir-se muitos outros "exit". No fim, a Europa dos 27 deve acabar por ser a Europa dos 3. Na realidade, nunca foi outra coisa.

"Empresários à portuguesa", num país onde a falta de vergonha não tem limites...

Algumas empresas estão a exigir aos estagiários que participam em programas de estágio do IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) que devolvam parte dos seus rendimentos, escreve esta segunda-feira o Jornal de Notícias
Dos 691 euros que um estagiário com licenciatura recebe por mês, entre 20 e 35% é financiado pela empresa em que é feito o estágio, sendo o restante suportado pelo IEFP. É essa percentagem financiada pela empresa que os patrões estarão a exigir de volta. Alguns estagiários estarão também a ser forçados a suportar a taxa social única (TSU), de 23,75% sobre a bolsa de estágio, e que é da responsabilidade do empregador.

A denúncia partiu do presidente do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), Hugo Carvalho. 
Têm chegado ao nosso conhecimento inúmeras denúncias ao longo do tempo, mas não podemos fazer nada. Os jovens não querem avançar com queixas junto das autoridades, porque agem em conluio com as empresas e sabem que eles próprios estão a cometer uma ilegalidade”, disse o responsável ao Jornal de Notícias
Estes casos são mais frequentes na arquitectura, no pequeno comércio, na advocacia e na psicologia, de acordo com o jornal. O presidente do Conselho Nacional da Juventude acrescentou ainda que os jovens “actualmente já nem têm consciência de que o que estão a fazer é errado, porque todos o fazem no final do curso, como forma de ingresso no seu sector profissional”.

Esta notícia terá interessado alguém?..

A notícia que pode ser lida na imagem ao lado, saiu no jornal Diário de Coimbra, de 20 de Agosto de 2016, sábado passado, portanto.

Muitas vezes, como está a acontecer ao Custódio, somos espectadores e decisores únicos da nossa vida.

Tal como está a acontecer ao Custódio, há opções que ninguém pode tomar por nós. 

É a chamada solidão de quem tem de decidir. 

Da parte do Custódio, são sinais que ele tem dado de maturidade, de confiança e, sobretudo, de vontade...

De uma férrea vontade...