Sou o senhor de meu destino; Sou o capitão de minha alma.” William Ernest Henley

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

O pensamento que me acompanha desde que me lembro de ser gente (confesso que já não sei de onde o plagiei...), acompanha este bogue desde a sua fundação, me vai acompanhar para o resto da minha vida e vai acompnhar o resto da vida deste blogue...


Vivo numa cidade tão azarada, mas tão azarada, que para achar uma agulha num palheiro, era só sentar-me nele...
Faz parte da vida, haver gente que não compreende, que aqueles a quem se dobram, são os mesmos, que do alto da sua prepotência e arrogância, governam a polis sem respeito pelos figueirenses.
Se disso tivessem conhecimento,  perceberiam facilmente que,  até perante esses - aqueles que do alto da sua prepotência e arrogância governam, sem ter em atenção quem os lá meteu com o seu voto - ficam mal vistos na fotografia...

Sem comentários: