.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

domingo, 21 de fevereiro de 2016

A política do quiosque...

imagem sacada daqui
"A autarquia da Figueira da Foz anunciou  que vai investir cerca de 300 mil euros na remodelação de quiosques, aumentando o número de estabelecimentos e as finalidades de uso, com possibilidade de servirem comida e bebidas."
Esta administração camarária ou não tem ideias, ou para as ideias que tem, era bem melhor que não as tivesse. 
Tal como Jaime Lerner, acho que as cidades devem ser discutidas mas no mundo inteiro. Os cidadãos de uma cidade devem ser cidadãos no mundo. Como tal não me incomoda que os políticos que gerem uma cidade venham de outras terras.
Contudo, detesto pessoas que não gostam da sua cidade. Se os senhores da câmara estão tão isentos de ideias, que já não sabem fazer política, porque insistem em atitudes primárias e de gosto duvidoso? 
Se não gostam desta terra, porque já têm a vossa, porque não se vão embora? 
Para que queremos nós vereadores da cultura cultos e políticos hábeis? 
Para que queremos nós autarcas de esquerda, que mais parecem de direita? 
Ou será que a política e a cultura morreram às garras do pato-bravismo ligeiro, não havendo lugar para quem quer dar cor e sentido às ideias e a vida? 

Sem comentários: