.

#FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA.#FIQUE EM CASA.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Gravura de Buarcos

Por gentileza do  Centro de Estudos do Mar e das Navegações Luís de Albuquerque - CEMAR (Figueira da Foz - Praia de Mira) publica-se a gravura de Buarcos (Foz do Mondego).
Data das primeiras décadas do século XVII, poucos anos depois das gravuras de Lisboa, de Belém e Cascais, de Coimbra, e de Braga, antes incluídas em "Civitatis Orbis Terrarum", é uma das mais antigas imagens de iconografia urbana, impressa, de Portugal inteiro.
Nesta  gravura  vê-se claramente que a fortaleza marítima de Buarcos, então, 1638 (ou alguns anos antes disso), ainda estava em construção.
Em 1996, no âmbito dos Encontros do Mar 96 - "a maior realização cultural desde sempre levada a cabo na Figueira da Foz" - nas palavras de José Pires de Azevedo -, um exemplar original desta gravura seiscentista, que havia sido para esse fim adquirido por Alfredo Pinheiro Marques na Alemanha, foi apresentado ao público numa exposição organizada na Figueira da Foz, e foi publicado, em facsimile, na edição do CEMAR.

Sem comentários: