.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Estacionamento pago no Hospital da Figueira da Foz: a procissão ainda vai no adro...

No decorrer da reunião camarária realizada  hoje, compreendi melhor a trama em torno do caso do estacionamento pago no parque do Hospital da Figueira.
Pelo que tive oportunidade de ouvir até o  presidente já está farto deste caso. E a procissão ainda vai no adro.
"Não me agrada nada taxar ali o estacionamento", admitiu o presidente da autarquia. O projecto resultou da "pressão" da administração do Hospital para a regulação do estacionamento, num investimento que rondou os 50 a 70 mil euros,  custeados pela Figueira Parques.
Logo a seguir, porém, Hugo Rocha, da empresa municipal Figueira Parques, convocado pelo  presidente para prestar explicações, informa que os custos já vão em 80 mil euros, havendo um acordo com a administração do Hospital com a duração de cinco anos, para a Câmara tentar ser ressarcida do investimento (o que neste momento é uma completa incógnita...)  prazo findo o qual o equipamento reverte para o HDFF. A ideia é a de, no final do ano, em função da receita que entretanto conseguir arrecadar, ver se os cinco anos são suficientes para garantir o retorno.
Tudo isto, ao que tive oportunidade de ver em directo na internet, me pareceu infeliz e confrangedor, por diversos motivos.

1. Uma Câmara que não tem dinheiro para nada, investe 80 mil euros numa obra que deveria ser realizada pela Administração do Hospital da Figueira da Foz.
2. Ainda por cima, cria polémica - o que era de todo dispensável. 
Ao situar, com as obras realizadas, um hospital dentro de um parque de estacionamento, colocou na ordem do dia pertinentes questões de operacionalidade da unidade hospitalar, pois, como as coisas ficaram, não está "salvaguardada  a entrada de quem se dirige ao hospital em emergência, mesmo que não numa ambulância", como muito bem referiu Miguel Almeida.
3. Também, desde o início, tal como Miguel Almeida hoje acentuou  “tenho dificuldade em perceber qual é o argumento para ter o parque a pagar todo o ano", uma vez que a praia adjacente, de setembro a junho, está praticamente deserta.
O parque exterior, frente ao mar, e as ruas em torno do hospital têm agora muitas viaturas,  porque os utentes do hospital passaram a estacionar por lá para fugir ao pagamento no interior do parque do hospital.
4. Será que nos meses de praia, a Câmara vai colocar estacionamento pago nestas zonas, pois vai haver outro problema: onde vão os veraneantes (e sabemos como o turismo é importante para o pequeno comércio da Cova-Gala...) colocar os veículos, se os lugares que existem para o efeito estão ocupados pelos utentes do hospital?..

Ataíde e esta maioria absoluta do PS recentemente eleita,  têm um lindo problema para resolver com esta história do estacionamento pago no Hospital Distrital da Figueira da Foz.
Como é que uma Câmara, que não tem dinheiro para fazer cantar um cego, avança com 80 mil euros para resolver um problema que não é seu, que na melhor das hipóteses prevê recuperar em cinco anos, metendo-se num enorme imbróglio, isso, confesso, faz-me  uma enorme confusão!..
Vamos esperar pelos próximos capítulos, pois pelo que presumo a procissão, neste caso, ainda vai no adro.

7 comentários:

Anónimo disse...

E ainda existe a questão da legalidade pois a entidade patronal não pode explorar a qualquer título directamente os seus trabalhadores ou dar amercearmos essa exploração, principio que está assente em qualquer legislação laboral.

Anónimo disse...

E ainda existe a questão da legalidade, pois a entidade patronal não pode explorar a qualquer titulo directamente os seus trabalhadores ( caso de cantinas,bares ou neste caso o parque) ou dar esta exploração a terceiros, principio este que está assente em qualquer legislação laboral.

Anónimo disse...

Como é que uma Câmara, que não tem dinheiro para fazer cantar um cego, avança com 80 mil euros para resolver um problema que não é seu?
UMA PERGUNTA PARA FAZER AOS SRES. DO PARTIDO SOCIALISTA.
E SERÁ QUE SABEM RESPONDER?

Anónimo disse...

Os cidadãos têm o direito de ser informados sobre este tema pela "transparente" Câmara Minicipal.

Anónimo disse...

Entretanto Camaradas, deverá continuar o BOICOTE. Perante decisões acéfalas, devem os cidadãos tomarem decisões inteligentes e BOICOTAR o que está errado a todos os níveis.

Anónimo disse...

O Sr Presidente que não diga que está cansado, pois a ideia foi corroborada por ele com entusiasmo. Isto de dirigir a Câmara Municipal não é o tribunal que as pessoas não podem reclamar e avaliar a qualidade da prestação que francamente é má.

Anónimo disse...

Vamos criar um movimento.
Bora!!