.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Alguém compreende estes políticos?... 600 quilómetros de linhas férreas vão ser “poupados”!...


Somos campeões mundiais em extensão e crescimento da rede de auto-estradas desde 1990.
Portugal,   está entre os países que mais investiram e que têm maior número de km por habitante e área.
Contudo, à boa maneira portuguesa, segundo  dados da União Europeia e OCDE,  investe-se  pouco em manutenção.
Só de 2008, até ao presente ano,  a rede nacional cresceu  50%!..
Todos os estudos e comparações o mostram - Portugal tem uma das maiores redes de auto-estradas da União Europa a 15, ao nível de quilómetros por habitante e por área.
Como compreender  que um país com problemas em tantos sectores teve necessidade de construir tantas auto-estradas!..
Cavaco Silva, Guterres, Durão Barroso, Santana Lopes, José Sócrates, Paulo Campos, e alguns mais,  devem ter a explicação, pois, como sabemos existem outras soluções de mobilidade mais baratas, como as adoptadas em Espanha, onde as autovias, com menores exigências m termos de construção e traçado, coexistem com as autopistas.
Até há pouco tempo, o crescimento da taxa de motorização em Portugal foi o principal sustentáculo da progressão de tráfego nas auto-estradas.
Todavia, sabia-se que a expansão não iria continuar para sempre.
Primeiro: porque o número de automóveis por habitante,  em Portugal, aproximou-se da média europeia;
segundo: a actual crise fez o resto.
Tudo isto não é novidade. Tudo isto foi estudado, em devido tempo, pelos técnicos.
Mas, os políticos “amarrados” aos interesses instalados fizeram orelhas moucas.
E, assim, se passaram mais de 20 anos de governação dos partidos do chamado “arco do poder” – leia-se PSD, PS e CDS.
Ontem, na Figueira da Foz, o secretário de Estado das Obras Públicas, Sérgio Silva Monteiro, ao usar da palavra no encerramento do fórum sobre "O potencial logístico da Região Centro e das suas infra-estruturas", um encontro promovido pelas Comunidades Intermunicipais da Região de Aveiro e do Baixo Mondego, Conselho Empresarial do Centro – Câmara de Comércio e Indústria do Centro, Associação Industrial do Distrito de Aveiro, Associação Comercial e Industrial da Figueira e comunidades portuárias de Aveiro e Figueira, que veio substituir o ministro Portas,  considerou  que «exageramos no investimento rodoviário» em detrimento da ferrovia.
Quando ainda há pouco tempo estava equacionado o encerramento da Linha do Oeste,  este político disse que o Governo diz que vai “investir” nas linhas ferroviárias!...
Assim seja… Mas, eu fico no que me parece… E o que me parece é que andamos a ser "governados" por uma "tropa fandanga", escolhida pelos portugueses, em geral...

Sem comentários: