"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Finalmente

Foto de Fernando Campos
Finalmente, já se está a circular, quase em pleno, na "NOVA PONTE DOS ARCOS".

Que o processo correu mal - quase toda a gente o sabe.
Que o projecto inicial não era este - quase toda a gente o sabe .
Que o prazo para a construção da obra ultrapassou tudo o que seria admissível - quase toda a gente o sabe.
Que aconteceram mortes que poderiam ter sido evitadas - quase toda a gente o admite.
Que esta ponte, quando for apurado o seu custo final, vai ter uma derrapagem financeira - quase toda a gente o presume.
Que, tal como em outros tantos casos por este país fora, a culpa vai morrer solteira, pura, casta e virgem – também, quase toda a gente o advinha.

Mas, neste momento, o importante a registar, é que já se está a circular, quase em pleno, na "NOVA PONTE DOS ARCOS".
Desde ontem, dia 23 de Outubro de 2008, ao fim da tarde.

6 comentários:

Anónimo disse...

Excelente nome para a ponte, já que houve propostas mirabolantes: assim fica muito melhor "NOVA PONTE DOS ARCOS".

Anónimo disse...

Ou somente "Ponte dos Arcos"
Cumprimentos
JMoreira

Anónimo disse...

Inauguração Oficial na próxima Segunda Feira?
Boa, posso dormir mais vinte minutos, com o fim das filas de trânsito.
Cuidado com a velocidade para não estragar a Rotunda!

Anónimo disse...

Apesar de alguns posts com mentalidade de velho do restelo que pensava não ser possivel ler nos seus escritos dr. Agostinho diga lá se não está uma obra bonita, bem conseguida e aparentemente funcional.
Apesar de não invalidar tudo o que postou o dr. criticou antes de ver a obra terminada só por saudosismo da anterior. Essa mentalidade não julgava que a tivesse.
Quanto ao nome não há discussão possivel é e será sempre a"Ponte dos Arcos".

António Agostinho disse...

Vou ser breve:

Velho do restelo, do meu ponto de vista, é um personagem de “Os Lusíadas que constitui uma espécie de defensor da antítese à tese expansionista. Com efeito, este velho «de aspecto venerando», com «um saber de experiência feito», e, como tal, «digno de ser ouvido» - para usar as expressões de Luís de Camões - interveio junto dos navegadores portugueses que se aprestavam para partir para a empresa marítima da Índia, no sentido de lhes alertar contra os perigos da ambição em excesso e da cobiça pelas riquezas vindas do Oriente. Como solução alternativa, advogava a ida para o Norte de África, onde havia praças fortes a conquistar aos Mouros.
Deste modo, o Velho do Restelo representa a voz da razão num momento de euforia e deslumbramento, A VOZ DA EXPERIÊNCIA. Em certa parte, OS SEUS CONSELHOS ACABARAM POR SE REVELAR PROFÉTICOS, pois a prosperidade das Descobertas cedo se revelou fugaz, seguindo-se a decadência económica e territorial. “

Portanto, muito obrigado pelo elogio, mas acho que não merecia tanto.
Já agora: vá ao Portinho da Gala e veja se consegue ver a Figueira. Tínhamos o muro da variante e ganhámos mais um muro com a nova Ponte dos Arcos.
Estamos a ficar emparedados, mas isso, já vi, não o preocupa. Nem antes, nem agora.

P.S- Estamos numa sociedade livre. O seu comentário, pelo seu conteúdo, poderia perfeitamente ter sido assinado. Tinha outro valor. Acredite.

Anónimo disse...

Julgo não cometer nenhuma confidência ao revelar que o próprio engº Duarte Silva ontem me garantiu pessoalmente, que não aceitava a proposta do Verador Lopes. Fica-lhe bem que assim seja.