Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Estádios e campos de futebol

Foto sacada daqui
Marcha do Vapor, em 3 do corrente, abordou o tema: “Estádio para a Naval”.
O mesmo blogue, depois de “o assunto ter sido manchete de O Diário as Beiras”, no dia 7, no dia seguinte, ontem portanto, vem de novo à liça: “a partir de hoje (dia 8) e até ao próximo dia 15 criámos uma SONDAGEM para registar a opinião dos visitantes do Marcha do Vapor sobre o
Projecto Estádio Naval – Figueira da Foz”.

Pronto: cada um considera importante o que quer e, pelos vistos, para o Rogério Neves,
“O Projecto Naval Estádio”, é o assunto da ordem do dia na Figueira. Está no seu mais do que pleno direito, ponto final.
Só que, a história é mais completa, como refere o também blogue figueirense quintopoder, em post que, com a devida vénia, passo a transcrever:
“Há umas duas ou três semanas, o diário As Beiras já havia publicado, com grande relevo, em duas edições diferentes, separadas de uns escassos dois ou três dias, notícias sobre um anunciado projecto para um magnífico centro comercial a construir ali para os lados da Várzea de Tavarede .
Achei estranhas as referidas notícias e sobretudo a sua insistência. Ainda mais porque as enquadrava muito mal numa mera intenção informativa da sua publicação. Aquilo cheirava-me a publicidade não paga, ou melhor, não facturada .
Ontem, foi a vez do mesmo diário regional encher 30 a 40% da sua primeira página, e a totalidade da sua página 25 com novo anúncio : “ Naval ganha novo estádio” . Acompanhou-a uma espectacular fotografia, destas que agora os arquitectos fazem facilmente num computador, cheia de muito verde, exibindo mais um magnífico estádio de futebol, que um conhecido empreendedor figueirense do negócio do imobiliário diz querer construir.
Co’ caneco!. É gente empreendora desta que o País está carecido !. Gente generosa, de vistas largas, olhando o futuro, que não se deixa intimidar pelo clima de depressão, de pessimismo, de concessão de crédito escasso e difícil, e de dinheiro cada vez mais caro, que se vai vivendo por aí!...Qual crise, qual meia crise! Para a frente é que é caminho, dêmos largas aos sonhos babilónicos, e se o povo gosta de futebol e circo, pois então que se lhe dê futebol e circo. Para o pão, logo se vê.
Pelos vistos, faltará só arranjar um terreno conveniente para concretizar tal monumental e generoso projecto. Terreno que terá de estar bem localizado, pois claro. Suspeito mesmo que pretenda que o mesmo terreno seja disponibilizado ( isto é, oferecido...) pelo Município. A bola estará então agora do lado deste. Há todavia ainda um pequeno pormenor, detalhe de somenos. Ao que percebi, o projecto de construção do grandioso estádio deverá ser acompanhado pela autorização para a construção de sete-grandes torres-sete, de 6 andares cada. Ou seja, estamos na realidade perante um projecto de negócio imobiliário puro e duro.”





Porque será, que estádios e campos de futebol, têm de andar sempre associados a “projectos de negócio imobiliário puros e duros”?

4 comentários:

Anónimo disse...

Belo post aqui transcrito. Certeiro na denúncia deste hipotético atentado ao desenvolviemnto sustentável do noso Concelho. Só se embasbaca perante o boneco virtual quem a ignorânica cega.

Anónimo disse...

Li, li e li e fico doido com os argumentos que são apresentados.
Quanto a este Castelo de Areia como o proprio nome diz deve ser para ruir mas antes disso diga aonde vê o "hipotético atentado ao desenvolviemnto sustentável do noso Concelho"
Quanto ao Quinto Poder fala-se em "Especulação Imobiliária" Como? De quem? Com o dinheiro de quem?

Anónimo disse...

Eu cá sou favorável ao novo estádio:
1-Faz muita falta na Figueira. Toda a gente o diz e sente.
2-O estádio e o centro comercial são bons para entreter a malta que não tem nada que fazer. Até me arrepio da emoção de me imaginar a passear, ao domingo, a ver as montras.
3-Aquilo dá emprego. Vou já inscrever a minha filha que não conseguiu acabar o 9º ano e tem 19 anos e até a minha sogra para fazerem limpeza ou tomarem conta das retretes.
4-É um empreendimento que atrai gente de fora só para verem tal maravilha. Estou a ver as várias excursões do Paião, de Moinho de Almoxarife e, talvez dos Vieirinhos a lá chegarem. Vai é complicar o estacionamento...
5-Os prédios à volta não interessam nada, mas até ficam bem para se abrir no r/c uma loja dos chineses ou mesmo um Rei dos frangos.Dá sempre jeito.
Por isto e mais ainda adoro e apoio o novo estádio.

Anónimo disse...

É muito triste o nível de debate por aqui. Apesar de toda a Ironia, ela não escamuteia o fulcral do assunto. O investimento não é publico - e se tivesse um pouco o Ginásio não morreria de vergonha - e caso seja aprovado pela CMFF, Assembleia Municipal e por fim pelo ssócios acho que todos os que são contra só lhes resta uma solução. Ser contra.