quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Como se uma coisa tivesse a ver com a outra

Como se ordenados altos fossem sinónimo de profissionalismo, como se ordenados altos fossem sinónimo de responsabilidade, como se ordenados altos fossem sinónimo de racionalidade e independência nas decisões, como se não fosse precisamente o contrário, depois das provas dadas o mérito reconhecido pelo promoção salarial.

Ver a esquerda, que quer marcar a diferença em relação à direita, a argumentar pelos mesmos padrões da direita que pariu administradores de excelência, e bem remunerados, como Jardim Gonçalves, Zeinal Bava, Oliveira e Costa, Henrique Granadeiro, Ricardo Salgado, como se o cerne da questão não fosse a fiscalização e a supervisão que não há, a justiça que não funciona, nem sequer é célere para os infractores e prevaricadores, a impunidade que reina.

A viagem leva-nos ao encontro do que desejamos e queremos...

"Marcelo encontra-se com Fidel Castro. 
Foi Marcelo quem solicitou o encontro"...

Não é brincadeira de carnaval... Na Figueira, o carnaval este ano está a começar mais cedo... Ninguém leva a mal...

A Figueira, continua detentora de uma luminosidade única.
Porém, a Praia da Claridade celebrizada no século XIX, quando o extraordinário desenvolvimento da Figueira da Foz e as condições naturais da paisagem atraíam banhistas de todo o país, celebrizada e imortalizada por Ramalho Ortigão, perdeu encanto e qualidade de vida.
A Figueira dos dias de hoje, é uma  cidade e uma construção que se tornou numa catástrofe onde  a assimetria e a desconformidade foram levadas ao limite.

E o limite, na Figueira, não é o céu.
Pode ser o simples facto de, na Figueira, ser sempre carnaval.
Na Figueira, esse sonho tem sido possível...
Portanto, nada mais natural, que este executivo camarário - na minha modesta opinião, o pior executivo camarário que geriu os destinos da Figueira da Foz, desde que tenho memória -   se sinta  na obrigação de mantê-lo e assegurar o engenho e arte de o ir tornando realizável.
A ele, ao carnaval...

E ainda bem que assim pensa quem de direito. 
A vida são dois dias, o carnaval são três e a saúde é um estado transitório que não augura nada de bom! 
E enquanto o pau vai e vem, folgam as costas.
Viva o carnaval!
A folia, mesmo que artificial, e o bom humor, são duas das melhores peças de vestuário que alguém pode usar na sociedade...

Se calhar não foi bem uma promessa. Foi, apenas, um processo de intenção de ocasião...

Uma Homenagem Esquecida...
"Com toda a pompa e circunstância que o momento exigia, bombeiros e entidades estiveram presentes numa manhã quente de sábado (28/05/2011), onde de forma orgulhosa fizeram guarda de honra ao descerramento da placa toponímica, que foi erguida no centro da referida rotunda. Seguidamente, Bombeiros Municipais e Voluntários fizeram um desfile motorizado, em conjunto, pelas ruas da cidade, deixando assim vincado a importância do dia.
À data desta inauguração, e na presença de Duarte Caldeira e Fernando Curto (presidente da Liga de Bombeiros Portugueses e Presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais respectivamente), João Ataíde, edil figueirense prometeu publicamente, que ali seria erigido um elemento escultórico, “logo que fosse (financeiramente) possível”, de forma a dar expressão física e condigna à homenagem.
Sabemos que os tempos são de crise. E sabemos que a Câmara Municipal da Figueira da Foz tem feito um esforço financeiro brutal.
Mas, ainda assim, passaram quase cinco anos..."

Luís Gaspar

Não temos vulcão, não temos furacão, não temos tsunami... Mas, temos erosão...

O que resta do bypass do Cabedelo, que operou na década de oitenta do século passado...