.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Enfim!..


De todas as questões humanas, a única que se encontra resolvida, desde o início, é a inevitabilidade da morte.
Sempre que notificava os amigos acerca do seu estado de saúde, Marcel Proust não perdia a oportunidade de declarar que estava perto de morrer. Fê-lo durante os últimos dezasseis anos da sua vida até que, no dia 18 de Novembro de 1922, o autor de “Em busca do tempo perdido” morreu mesmo.
Como assegurou outro escritor, o poeta Ruy Belo, a morte, para todos nós, “é a única saída”.
Ainda assim, custa-me quando alguém morre. Sobretudo, quando a pessoa que morre simboliza um venábulo de esperança, um trilho de rectidão e generosidade.
Foi o caso da vida de Mandela.
Agora, vejam o vídeo acima... 
Que seria do mundo se Mandela não tivesse morrido?..

Sem comentários: