.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

E agora admiram-se!..

Marcelo Rebelo de Sousa disse, ontem,  no seu comentário semanal na TVI, que a revisão em baixa das previsões económicas do Governo foi uma "bomba" e que cabe a Passos Coelho reconhecer a falha e explicar que há uma razão para mudar o rumo da estratégia.
"Olhando para os números de 2012 estava na cara. É uma bomba que se deve a isto: o Governo foi optimista nas previsões e agora? O Governo tem dois caminhos, que é disfarçar e reconhecer ao de leve, que é a tentação de Gaspar e Passos, ou admitir o erro", afirmou Marcelo.
"Mas a solução imposta pela honestidade intelectual é só uma. Devem assumir o erro e mudar de discurso, explicando que precisamos de mais um ano para o défice"...
Os portugueses, sobretudo a maioria – a que votou PSD e CDS –,  parece que anda cabisbaixa, triste e desiludida com  o falhanço das previsões económicas do governo, com especial destaque para as  do Ministro Vítor Gaspar,  o tal que explica devagar...
Estavam à espera de quê?..  
Sobretudo e incompreensivelmente  vocês, que ao votarem PSD e CDS, deveriam saber  (e se votam sem saber o que estão a fazer, são irresponsáveis, estúpidos e burros, o que não vos iliba da responsabilidade…) o que é uma economia de mercado – como todos sabemos,  uma economia cujo crescimento  deveria depender,  em teoria,  das empresas e dos indivíduos, e não dos planos e da intervenção do governo.
Fiquem com esta garantia.
Minha – que vale o que vale...
Enquanto permanecer o saque fiscal, as empresas continuarão a falir, o desemprego e a despesa do estado a aumentar, e os índices económicos a definhar.

Em tempo.
"Se nós temos um Orçamento e não o cumprimos, se dissemos que a despesa devia ser de 100 e ela foi de 300, aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa também têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus actos e pelas suas acções"
Nota - 
Citação de Novembro de 2010 de um antepassado do actual primeiro ministro Passos Coelho.

Sem comentários: