.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Em Dia de Greve Geral (III)

Em relação à Greve Geral, OUTRA MARGEM esteve em silêncio até às 10 horas e 50 minutos de hoje.
É claro que nunca esteve em causa o apoio a todos os trabalhadores que usam a greve como meio legítimo de protesto e de defesa das conquistas que conseguiram, a pulso, desde que existe democracia em Portugal.
Só que temos de deixar de ser paternailistas.
Mesmo considerando que a dupla Passos/Portas mentiu descaradamente na campanha eleitoral, nunca nos iludimos. Por conseguinte, não somos dos que estão desiludidos nem com o actual Governo e, muito menos, com o actual Presidente da República.
No momento próprio, votámos em conformidade, pois era fácil de adivinhar ao que esta gente vinha…
Contudo, como Povo que também somos, manifestamos a nossa solidariedade com os portugueses que têm sido miseravelmente tratados por este poder – mesmo com aqueles que, por oportunismo, ignorância ou desleixo, se alheam da vida política e colectiva, pensando que estas coisas não lhe dizem respeito.

2 comentários:

Custódio Cruz disse...

Greve geral em Portugal...para medir o quê?...
A adesão... ou o medo desta Ditadura Democrata???

Sinceramente repugna-me a falta de objectividade e isenção de certos órgãos de "comunicação social" em Portugal...
Um dia inteiro a ouvir noticiários,intervenções em directo,análises e analistas...e poucos são os que têm a coragem de caractrizar em rigor o resultado desta greve geral do dia 24 de Novembro de 2011...
Contas e mais contas...somas e mais somas...subtracções e menos subtracções...e a verdade é quase sempre escondida pela HIPOCRISIA...e pelo...MEDO...
Há jornalistas em Portugal que não podem...e se calhar até "nem devem" traduzir a verdade dos seus próprios sentimentos...
Não!!!
Não é dos seus sentimentos!!!
Mas sim daquilo que estão a ver e deviam reproduzir...deviam mencionar...deviam adicionar...
Até entendo...que tenham que agradar "a gregos e a troianos"...para não ficarem sem emprego como por exemplo "os outros" que não se lembraram disso...
Não contem só com os que aderiram à greve...contem também com aqueles que como eu...estão descontentes com os nossos políticos e governantes...e porque já não acreditam em PARTIDOS...pura e simplesmente não aderem...
Mas não aderir...não é sinónimo de cobardia cívica... é sim...reflexo de desencanto...
Desencanto que pode ser manifestado mesmo sem deixar de trabalhar...e de "forma pontual" marcar uma "qualquer diferença" que coloque em sentido a sociedade cível...
Há gestos e atitudes que estão gastos,viciados e inoperantes no tempo...e é preciso renová-los com acções mais criativas e com a suficiente firmeza de quem agora tem que pensar no futuro... e não em si...
Deixem-se de "tretas" e contas de somar...assumam a decadência de "um sistema" que está completamente falido...
Afinal esta "Greve Geral" mediu o quê?
O medo ou a hipocrisia desta Ditadura Democrata ?
Sinceramente...acho que mediu ambas... e o resultado está bem evidente...

CUSTÓDIO CRUZ

Olímpio disse...

Um povo que vai para a rua gritar que o tramaram, não pode estar feliz. O direiro no protesto e na greve, faz parte da dignidade e da razãoque todos devemoa assumir quando governados tor tiranos e gente sem solidariedade para com o proximo, é por isso que surgem as revoluções e por culpa de muitos que governam os sistemas e se governam a si e aos amigos no poder
A greve é justa mas triste, porque revela tremendas injustiças sociais
numa sociedade que foi orientada por verdadeiros comem tudo, comem tudo e não deixam nada.Ao Agostinho e ao Custódio, afinal, aos cidadãos de boa vontade, o abraço da esperança em melhores dias. Olimpio Fernandes