Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Os pequenos com mania de grandeza

O "ter" do que parece, e do que realmente aparece, acaba por corresponder a um "não ser".
Até numa Terra como a nossa, há pequenos grandes homens e, homens que se julgam grandes, que são pequenos.
E, às vezes, entre os que se julgam grandes e os pequenos, há coincidência entre o que parece e o que realmente é.
Começo a não conseguir entender esta esquizofrenia, talvez por não fazer parte dessa casta que desabrochou para a política local nos últimos 12 anos.

Há práticas pessoais e políticas, que apesar de nascerem de bons e justos propósitos construtivistas, depressa caíram nas malhas do devorismo e da empregomania, especialmente depois de começarem a apodrecer por dentro.
Tudo começou, aliás, como sempre, por uma espécie de esquizofrenia puritana, onde se desperdiçam energias em verborreia, vinganças e perseguições inquisitoriais

Ao contrário do que é propalado pela grande união local que, da direita à esquerda, nos comanda, entre fantasmas da direita e complexos da assumida esquerda, são os liberais coerentes que se devem preocupar com a justiça e, portanto, com a defesa da confiança pública, da concorrência desleal e da luta contra a corrupção.
Só com a restauração das liberdades locais poderemos algum dia extinguir o centralismo absoluto e absolutista.
Claro que, tudo, tem como base a educação e o respeito, a começar pelo respeito por si próprio.

A FESTA

“Este post não se destina a “vender” a Festa do Avante! seja a quem for.”“Até porque, por uma questão de respeito, o Partido Comunista Português merece que se tenha medo dele. Tratá-lo como uma relíquia engraçada do século XX é uma desconsideração e um perigo. Mal por mal, mais vale acreditar que comem criancinhas ao pequeno-almoço.”

Para aceder à página da Festa, clique aqui.

Gentes

Foto:Pedro Cruz

Merda de cão


Em plena “época alta”, este problema incomodou muita gente, inclusive, veraneantes ...
Bastava sair de casa, para encontrar um passeio cheio de merda de cão!..
Em 6 de Julho passado deixámos um alerta. Contudo, em Agosto não abordámos o tema, pois poderíamos ser acusados de ser os responsáveis pela fuga dos turistas!..
Como a situação se mantém, pois por aqui ninguém parece incomodado por viver num mar de merda de cão, fica mais uma vez o reparo.
É feio, é anti-higiénico e um péssimo cartão de visitas da Freguesia de São Pedro, mas, acima de tudo, constitui uma falta de civismo dos donos dos cães.

PS: Capitão, desculpe a invasão do terreno, mas este é mesmo um verdadeiro problema de merda...

X&Q442


quarta-feira, 3 de setembro de 2008

“Silly season” no fim

Aquele período de tempo, entre Julho e Agosto, a que chamam “silly season”, no decorrer do qual abdicamos ainda mais de pensar, terminou.
A nível nacional, as televisões anunciam novos programas, o futebol já cá canta, os políticos um dia destes voltam ao parlamento, mas, sobretudo, finalmente, a Dona Manuela Ferreira Leite vai falar no próximo domingo de manhã...
Pronto: chegou o tempo dos políticos começarem a fazer “coisas sérias” a sério.
“NENHUM SILÊNCIO É INOCENTE”.
A Dona Manuela Ferreira Leite vai, finalmente, falar.

X&Q441


Gentes

Foto: Pedro Cruz

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Esta casa!...


A nostalgia não é boa se não for acompanhada de lucidez.
Sem lucidez a nostalgia é perigosa. A lucidez é que permite que a memória esteja no sítio que deve ocupar.
Esta, é uma casa com memória.

A foto de cima, desta montagem, é de 1992 e pertence a Carlos Freitas.
Ainda se lembram do enquadramento da foto de baixo?
Nessa altura, ainda não tinha sido construída a chamada variante da Gala.
Era ali, o “ex-libris” da nossa Terra ...

X&Q302




“Tanto, tanto ainda por fazer!”


Gentes

Foto: Pedro Cruz

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

São Pedro e as obras do molhe norte



Segundo o diário as Beiras de hoje, as “alterações na costa figueirense preocupam alguns autarcas”.
Se, por um lado, se presume que a entrada na barra e navegabilidade na zona portuária vão ser facilitadas, há quem tema os efeitos da nova geografia costeira na zona a sul do estuário do Mondego.
Entretanto, a pergunta que colocámos neste espaço em 11 de Abril do corrente ano mantém-se sem resposta, o que é preocupante:
“será que alguém sabe, porque estudou, as REPERCUSSÕES QUE MAIS 400 METROS NO MOLHE NORTE terão na zona costeira na margem a sul do Mondego?”

Para avivar a memória, recordemos o que já em 22 de Dezembro de 2006 postámos aqui no Outra Margem: “Portugal, é a nação da Europa mais vulnerável às alterações climatéricas.Desde logo, porque tem uma área marítima superior 18 vezes à superfície terrestre. Depois, porque 70% da população está concentrada no litoral, uma zona que, nos últimos 30 anos, ficou completamente desarrumada e caótica, onde foram cometidas autênticas atrocidades urbanísticas.Muitos mandam e ninguém é, verdadeiramente, responsável, nem responsabilizado.A sobreposição de competências é uma realidade na gestão do litoral. Basta dizer que, salvo erro, são 12 (doze) as instituições que têm competência sobre o litoral!..Todos nos apercebemos que a costa portuguesa está a recuar. As consequências são conhecidas: casas, estradas, habitats naturais, tudo está em risco, a par com a insegurança sentida pelas pessoas que vivem nas zonas perto do mar.”

Porque nos preocupa, levantámos o problema neste espaço, por diversas vezes, como por exemplo, aqui, aqui e aqui. Ainda bem, que alguns autarcas figueirenses partilham estas nossas inquietações.
Fica a pergunta a quem de direito, Câmara Municipal da Figueirta da Foz e Junta de Freguesia de São Pedro: “porquê então insistir em continuar o programa de expansão urbanística do actual executivo camarário figueirense, numa zona depauperada, DE RISCO ELEVADO, com os cordões lunares ameaçados pelo avanço do mar”.
Será assim tão difícil prever o que é previsível?

Gentes

Foto: Pedro Cruz

A vida não tem de ser obrigatoriamente a preto e branco

Portanto:
Não aceito o autoritário: "quem não está contra mim, está a favor de mim".

Repudio o totalitário: "quem não está a favor de mim, está contra mim".

aF29