segunda-feira, 23 de julho de 2018

A democracia é isto?..

O  estádio civilizacional e de desenvolvimento não planeado e não planificado, na Figueira, entendido em termos técnicos e de suprimento das necessidades reais da sua população, há muito que deixou de ser compatível com a realidade das nossas vidas. Tornou-se o  produto de uma miríade de pequenas invenções e aselhices que permitiram que desaguássemos no estado a que isto chegou e conhecemos. 
O problema não é de hoje, nem de ontem: tem décadas. 
Tal, permitiu que de desastre ambiental  e urbanístico, a desastre ambiental  e urbanístico, tivéssemos aportado a este crânio que nos governa há 10 anos, que, de descoberta em descoberta, nos há-de permitir chegar à grande descoberta: ficar na história como "um bom Figueirense".
Não sei se já repararam, mas, bem vistas as coisas, um presidente da Câmara (que o mesmo é dizer, apenas um homem...) tem o poder de  determinar o rumo e o futuro de uma cidade inteira durante 12 anos!..
E quando ele é teimoso e anda mal aconselhado, o resultado fica à vista.
Que é feito do projecto da regionalização?

Controlo democrático, precisa-se...

3 comentários:

marta disse...

O que interessa a quem nos governa (seja a nível nacional ou local) é encontrar forma de nos roubar. O que interessa, é acabar com o estacionamento gratuito para condensar todos os veículos em parques de estacionamento pagos. Parques esses que descaracterizam completamente a cidade, deitam abaixo árvores e espaços verdes, ou mesmo sítios emblemáticos bonitos e antigos da cidade apenas para colocar betão com fartura e pôr os carros todos a monte que bonito... o que interessa é encontrar formas de conseguir fundos europeus...com a desculpa das zonas pedonais e da reestruturação de parte histórica dão cabo das cidades (para conseguirem untar bem as mãos uns dos outros...)

Miguel Mattos Chaves -PhD disse...

Muito bem, mas o facto é que a maioria dos Cidadãos, de cada uma das Pessoas que residem no Concelho, o escolheram.
Cumprimentos
Miguel Mattos Chaves

Unknown disse...

A maioria dos votantes, não dos cidadãos. Dirá que são as regras da democracia...são também, seguramente,sinais de desencanto!