segunda-feira, 21 de março de 2016

Vou ali gritar: é assim, assado, cozido, frito...

Miguel Almeida, hoje no jornal AS BEIRAS:

"Volto a um tema que deveria preocupar os responsáveis autárquicos todos os dias dos seus mandatos.
O facto de termos a maior taxa de desemprego do distrito, do envelhecimento no concelho ser superior à média nacional e a circunstância do concelho vir a perder 13% da população até 2031, são temas que nunca podem sair da agenda política municipal.
Estes são os grandes problemas que o concelho têm hoje pela frente. Não há receitas mágicas e só um conjunto muito vasto de medidas, pode inverter esta tendência. Mas cruzar os braços e esperar que outros façam o que a nós diz respeito, não é solução.
É necessário provocar o debate, encontrar caminhos e ter a humildade de assumir o que correu mal no passado para ter a ambição de projectar o futuro. Podemos estar unidos, mesmo com divergências políticas e de opinião.
É preciso sermos responsáveis e reflectirmos sobre os temas cruciais para o nosso futuro coletivo.
Para além do debate e da intervenção cívica, é necessária uma nova atitude e novas competências para os desafios que temos pela frente.
É necessária uma dinâmica que eleve a autoestima dos figueirenses, que atraia investimento, e transforme o concelho numa terra moderna, inovadora, competitiva e alegre. O presidente da câmara tem que ser o rosto desse dinamismo e os problemas têm que ser resolvidos com celeridade e imaginação.
Não é aceitável perder mais tempo."

Miguel Almeida, recorde-se, faz parte de um dos partidos que mais contribuiu para que o desemprego atingisse números jamais tão elevados em Portugal.
Miguel Almeida, recorde-se, faz parte do partido cujo primeiro-ministro afirmou que o desemprego não é fatalidade mas sim oportunidade...
Pensa Miguel... Então o  que interessa não é que o país depois de 4 anos do governo do teu partido está melhor?..
Aliás, a acreditar no que diz Passos, muito melhor...
Ah, existe o pormenor das pessoas!..
Mas para que quer um país as pessoas?
Não te percebo Miguel Almeida...
O que foi bom para o país (um desemprego nunca visto. A emigração a imitar os tempos de Salazar.  A redução dos salários. A facilitação dos despedimentos), não serve para o concelho?..
Então o concelho, depois de 6 anos de João Ataíde, esquecendo o pormenor de existirem pessoas, não está como o país?
"Melhor"!..

2 comentários:

Rui Monteiro disse...

Como social democrata e liberal, lamento ter que expôr este assunto num espaço politicamente adverso.
Mas, na realidade não há um blogue que reflicta a área social democrata na Figueira da Foz. O PPD devia já estar a reflectir no futuro e analisar o trabalho dos seus autarcas e eventuais candidatos.
O Sr Miguel Miguel de Almeida tem a obrigação de iniciar este debate, mas também deve ter a humildade para perceber que já não é a alternativa que o PPD precisa.
Aliás, o PPD está mal e de cabeça perdida. Um líder eleito por maioria esmagadora, mas apenas por falta de alternativa; sem rumo político; com intervenção no Parlamento aleatória (ver as propostas que chumbou); embrulhado em casos nada transparentes (e evito enunciar nomes) e com uma postura titubiante face ao novo PR.
Na Figueira da Foz há que mudar de rumo, e o PPD não pode voltar a perder a oportunidade de estar nessa mudança.
Com um candidato forte, credível, inserido na sociedade civil e figueirense.

Antonio Agostinho disse...

Espaço politicamente adverso, este!...
Com a sua licença, que se lixe o que escreve um arauto da direita sobre o meu blogue.
Não é o senhor que decide sobre o que me apetece escrever.
Estou-me nas tintas para a direita e para os complexos íntimos da esquerda...
Olhe meu caro: organizem-se e entendam-se. Entendam-se, ouviram?
Isto antes que seja tarde. A situação na Figueira não está para brincadeiras.
Vejam lá bem isso...