Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

terça-feira, 5 de junho de 2007

FALA BARATO DE JUNHO JÁ SAIU

VEJA A PRIMEIRA PÁGINA AQUI.

A VINGANÇA DE DONA TERESA

Afinal para que serve uma maioria absoluta?


RECORDEMOS OS RESULTADOS PARA A CÂMARA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ NAS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS DE 2005.
PRESIDENTE DA CÂMARA:
PPD/PSD - António Batista Duarte da Silva com MAIORIA ABSOLUTA.
(PPD/PSD - 15428 votos, 47,93%, 5 mandatos
PS - 10666 votos, 33,14%, 4 mandatos).
Face ao que se está a passar neste momento, para que serviu esta votação?


Segundo o "Diário de Coimbra, " na última reunião camarária uma proposta da oposição minoritária, foi aprovada por 5 votos favoráveis (PS e Pereira Coelho) e 3 contra (Lídio Lopes, Teresa Machado e Duarte Silva. José Elísio esteve ausente da sessão).
Declarações:
Duarte Silva – “é legal», mas é «demonstração pública de falta de confiança no presidente da câmara”.
Vítor Sarmento - “a câmara e mais concretamente o presidente, não tem sabido encontrar as melhores soluções”.
António Tavares – “é um procedimento normal em democracia», que pretende “dar maior operacionalidade a algumas matérias em que a câmara demonstrou ser pouco operacional e passar a colocar em cima da mesa muitos do assuntos que estavam subtraídos à competência da câmara”.
Paz Cardoso – “não está em causa a confiança no senhor, mas “antes podermos colaborar para melhores soluções, mais eficácia, maior rapidez”.
Pereira Coelho - “no final da votação, o autarca do PSD justificou o seu voto contra, recordando a Duarte Silva as palavras que utilizou quando lhe retirou os pelouros, “a quebra de confiança política”. Faço minhas as suas palavras, a falta de confiança é a mesma que passou a existir desde aquele dia. Há uma estrondosa falta de organização e de capacidade de gestão de que resultam prejuízos enormíssimos para a câmara”.
Lídio Lopes(em seu nome e no de Teresa Machado, garantindo que também «em nome de José Elísio», que ficou de aparecer mais tarde, mas até ao final da sessão não compareceu)- estamos contra a proposta do PS, por ser “uma questão eminentemente política, pelo alcance, pelas motivações e pelo enquadramento político”. “É desacreditação do presidente, desconfiança para exercer o interesse público e não aceitamos, porque confiamos no presidente”.

E agora?
Depois do tremor de terra autárquico, em Lisboa, parece que os sábios, na Figueira, não estão a encontrar meio mais eficaz para prevenir a ruína autárquica total, do que oferecer ao povo um belo auto-de-fé: o espectáculo de um presidente a ser queimado em fogo lento.

segunda-feira, 4 de junho de 2007

O medo



"... Ah o medo vai ter tudo
tudo

(penso no que o medo vai ter
e tenho medo
que é justamente
o que o medo quer)

O medo vai ter tudo
quase tudo
e cada um por seu caminho
havemos todos de chegar
quase todos
a ratos

Sim
a ratos"

[Alexandre O'Neill, O Poema pouco original do medo]

Concorrência!...


Irreverência e humor, imagem de marca desta dupla.

X&Q51


O primeiro domingo da época balnear








Ontem, foi o primeiro domingo da nova época balnear.
Vento e água fria, não ajudaram. A afluência de banhistas não foi numerosa.

domingo, 3 de junho de 2007

A garraiada em fotos





Hoje há garraiada

Para ver como foi há um ano clicar aqui.

X&Q59

Afinal, quem vai pagar a OTA?...Os mesmos de sempre: os otários!...


“Para garantir o monopólio do futuro concessionário, o Governo terá que desactivar o aeroporto da Portela em 2017. Ora, em 2017 a Portela será um aeroporto rentável, com capacidade para 16 milhões de passageiros, no centro de Lisboa e com ligação ao metro. Pela sua localização e pela sua capacidade, a Portela terá um valor económico da mesma ordem de grandeza que o valor do futuro aeroporto da Ota. Esse valor é património público. Será mais um valor a pagar por todos os portugueses para que a Ota possa ser construída, mas que não será recebido por ninguém. Será pura e simplesmente destruído. Restarão os terrenos, cujo estatuto legal é incerto e que terão que ser descontaminados de toda a poluição acumulada. O dr. António Costa quer transformá--los num "pulmão verde" muitíssimo caro e o ex-ministro da Economia Augusto Mateus quer mantê-los de reserva para a eventualidade de a Ota saturar lá para 2030.”


João Miranda
Investigador em biotecnologia

sábado, 2 de junho de 2007

Boa nova

Os 31 quilómetros de auto-estrada, do troço da A17 entre Marinha Grande e o Louriçal, são inaugurados domingo, às 11 horas.
Estarão presentes o ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, e o secretário de Estado daquele ministério, Paulo Campos.

No primeiro semestre de 2008 deverão estar concluídos os restantes 60,4 quilómetros do segundo troço da auto-estrada, que irá ligar Louriçal a Mira.

O Portugal de Mário Lino

sexta-feira, 1 de junho de 2007

VIGÍLIA PELA REABERTURA DA MATERINIDADE DO HOSPITAL DISTRITAL DA FIGUEIRA DA FOZ






É HOJE A PARTIR DAS 20 HORAS. AQUI, NA JUNTA DE FREGUESIA DE SÃO PEDRO.

Uma encomenda

E que encomenda de Daniel Abrunheiro ao pintor
Fernando Campos
!... Veja aqui.

Dia Mundial da Criança

No dia 20 de Novembro de 1989, foi adoptada por unanimidade nas Nações Unidas, a Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC).
Direitos civis, políticos, económicos, sociais e culturais, constituem todo um conjunto de direitos fundamentais que estão presentes na CDC. Quatro são os pilares fundamentais que sustentam os direitos das crianças: a não discriminação, o interesse superior da criança, a sobrevivência e desenvolvimento e a opinião da criança.
E Portugal como trata as suas crianças?...

Abriu a época balnear






Que tal um mergulho para inaugurar?...

UM PRANTO CÍNICO