.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Taxas...

Corria o ano de 2004.
Portugal organizou o campeonato europeu de futebol.
Foi assim como uma espécie de bebedeira colectiva!.. A bola ia mudar o país. A economia nunca mais parava. Aquilo era bom para o turismo. Os estádios ficavam para outras coisas…
Aquilo deve ter sido mesmo bom, pois nem foi preciso fazer as contas finais!..
Entretanto, a despesa continua... Por exemplo,   a manutenção dos "monos" em Aveiro, Leiria e no Algarve é uma dor de cabeça...
Mas, de certeza que valeu a pena.
Não sei bem porquê, lembrei-me disto a propósito da anunciada taxa municipal que aí vem para a Protecção Civil.
Claro que vai ser feito um estudo… Mas, segundo li, “dificilmente a solução será outra”.
Pergunta de algibeira: para que  serve o estudo se já se sabe qual será a solução final?..
Para fazer contas?..
Tal como no  Europeu de 2004, se a taxa é mesmo boa, para quê fazer contas?
De certeza que vale a pena…
Há apenas um pormenor, mas como para quem manda deverá ser irrelevante, nem deverá ser tido em conta quando a decisão final for tomada: estarão os figueirense em condições de pagar mais uma taxa?..
É que ao que sei, ou a taxa para justificar a sua cobrança é elevada ou então não vale a pena o esforço!..


P.S.-
Se o critério para justificar a criação de mais esta taxa é a "sustentabilidade financeira da actividade", "justifica-se" que venham por  aí outras taxas municipais. Por exemplo, para continuar a manter a Empresa Municipal que certamente irá sair da fusão das existentes, pois certamente esta continuará a ser um fardo pesado para o orçamento municipal...

1 comentário:

Guimaraes disse...

O IMI não é para essas coisas?