.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Foto de campanha (X)

Na passada segunda-feira, dia 14 de Setembro, pelas 21h30, decorreu o 4º Fórum Novo Rumo com o tema "Escola, Família e Autarquia: uma comunicação a renovar", na Assembleia Figueirense.
A iniciativa contou com a presença do Professor Doutor Daniel Sampaio, que teve uma prestação notável. Todavia, não conseguiu cativar toda a assistência presente nesse dia na sala da Assembleia Figueireirense, como a foto do Pedro Cruz comprova…

2 comentários:

alex campos disse...

Até deu para passar pelas brasas.
Política é política, do povo só querem o voto.Mais não é preciso.

o comendador disse...

Educação:(Escola,Família e Autarquia)...
De facto tenho que reconhecer que dentro do "lote" de "defeitos" que possuo(como toda a gente...),não me dedico à leitura e ao conhecimento que os outros nos trazem, e que tanto nos podem enriquecer...
Quando fui para este "colóquio" fui atraído fundamentalmente pelo tema,que me é grato ver discutido e explorado.
Assim,também começo por dizer que gostei da prestação do Dr.Daniel Sampaio(que desconhecia em absoluto...),pela clarividência dos seus conceitos e convicção das suas palavras...
Mas...
É como digo,há sempre um mas...
O Dr.Daniel Sampaio,confundiu "prepositadamente"(fruto da sua capacidade intelectual...) e a dado passo como resposta para a plateia,a ipótese levantada de"sinalização social" a partir das escolas e dos seus professores,tendo como reflexo uma intervenção autarquica e de acção social no terreno, fundamentada na história de vida de um dado aluno relativamente à sua realidade social e familiar...
Foi habilidoso,como todos somos para nos defendermos e proteger a circunstãncia em que nos encontramos...e porquê?...
Na tal resposta mencionou apenas o seu desacordo para com "rótulos"para com as pessoas,o que concordo em absoluto,mas de forma seca e sem ipótese de discussão...
O que me faltou dizer e "tentei..." logo a seguir,foi que uma abordagem social não tem necessáriamente de focar a "diminuição"de quem quer que seja,e ela pode ser feita de forma objectiva para ajudar no terreno quem precisa...(e ele sabe isso melhor do que eu...).
Preferiu ir avançando sem dar possibilidade de resposta,desmoralizando segundas intervenções por falta de tempo,e depois no final perguntar se "...alguém tinha ficado sem a tal resposta!!..
Enfim,como digo nada que outros já não tenham feito para apressar temas e dar reconhecimento a algo de novo ou menos cómodo mencionar(no caso num colóquio de natureza política e autárquica.....).
Mas reconheço que valeu a pena ter passado aquele tempo a ouvir esta personalidade,que evidencia fácilmente uma notariedade intelectual admirável e como refiro mais uma vez...é "agradável" e eriquecedor de escutar,porque as suas palavras fácilmente no transportam para uma reflexão séria e objectiva...

O Comendador