domingo, 23 de junho de 2013

"Assim, se vê, a força do PC"..

João Ribeiro, prometedor porta-voz do  partido socialista...
"Combate PS ao PCP tão ou mais importante que luta à direita"...

Em tempo.
Gostava de poder acreditar que se tenha tratado  de um erro de táctica política, de mero disparate de principiante, ou de um simples lapso.
Mas, quer-me bem parecer que não. Ainda recentemente, na mesma linha, recordo o insulto de Francisco Assis à luta dos professores, colocando-se, como se viu, ao lado de Nuno Crato e do governo.
Infelizmente, parece-me ser mais do mesmo - isto é,  aquilo que há de mais verdadeiro e de mais genuíno neste PS.
O PS ataca o PCP com a mesma naturalidade, o mesmo jogo político, as mesmas armas e com as mesmas tácticas, com que qualquer outro partido de Direita ataca um partido de Esquerda. 
Eu sei que Amigos meus,  militantes do PS,  acham errado.
Cada vez – e penso que não estarei enganado – encaro isto com  perfeita normalidade.
Só se desilude quem se deixa iludir.

2 comentários:

João Tomé disse...

Pois é, meus amigos.
Nós, no BE, já reunimos com o PC na Figueira para tentarmos algo em comum mas não conseguimos nada para já.
Iremos continuar a tentar fazer uma frente de esquerda. Não será por nós que esse objectivo de interesse nacional não será atingido!
J. P. Tomé

António Agostinho disse...

Em 30 de abril neste Outra Margem podia ser lido (http://outramargem-visor.blogspot.pt/2013/04/vamos-ao-que-interessa-uma-verdadeira.html) o seguinte:

Vamos ao que interessa: uma verdadeira alternativa autárquica para a Figueira...

Todos sabemos o que se passa no PSD/Figueira...
Todos sabemos o que se passa no PS/Figueira...
Todos advínhamos o que se vai passar no Movimento 100%...
O que é que impede a esquerda de apresentar uma verdadeira alternativa à gestão da Câmara Municipal da Figueira da Foz nos próximos 4 anos?..
Sim, estou a falar da apresentação de uma lista conjunta PCP/VERDES/BE mais independentes de esquerda, à Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Juntas de Freguesia...

Nota: continuo a pensar o mesmo.