Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Bem prega(va) Frei Thomaz

Abaixo os plátanos, motosserras ao poder: JÁ...

Carlos Ângelo Ferreira Monteiro, nascido em 24 de Agosto de 1962, em S. Julião da Figueira da Foz....

Figueirenses: muitas e muitas vezes somos os nossos principais adversários sem nos darmos conta disso...

Amigos Socialistas e povo em geral da Figueira

"Alguém sabe de onde vieram os vereadores?
São da Figueira? São gente com qualidade e experiência? 

Técnico Albuquerque: veio de Cantanhede....Se fosse competente, não o deixavam sair....
Presidente Ataide: Nasceu, acidentalmente na Figueira, passou a infância em Aveiro e sempre viveu em Coimbra, esteve enclausurado como juiz durante 10 anos no Tribunal da Figueira!
Como Coimbrinha comprou uma casa, para férias, na Figueira!
Carlos Monteiro: Nasceu na Carapinheira e viveu enclausurado na Joaquim de Carvalho! Nada sabe da vida do Concelho!
Agora é o cacique do regime...
Ana Carvalho: Nasceu nos arredores de Leiria e nada consta, que tenha feito ligada a Figueira!
Pelas habilitações estava bem na Laticoop...
Mafalda Azenha: É de Tavarede, nasceu em 1983!
Pouca experiência de vida.....
Miguel Pereira: Nasceu em Liceia, Montemor-o-Velho, licenciado on- line
Nada fez, até agora, politicamente digno de registo...
Nuno Gonçalves: Nasceu em Gatões, Montemor-o- velho, licenciado (mais um ) na Universidade Aberta!
Mal educado, agredindo verbalmente quem não estava a favor, na última reunião com público. Vou da Figueira Domus...

Esta é a triste realidade do Executivo, vereadores rurais, deslumbrados, sem humildade e sem conhecerem as matérias sob as quais se têm de pronunciar!
De facto, com ESTA MATÉRIA PRIMA só deviam poder fazer Gestão Corrente! Este Executivo não tem condições técnicas nem políticas para fazer Obras de Fundo!"

Via Casimiro Terêncio

Agora, nas barbas do Manuel Fernandes Tomás!..

Mais 5 árvores com sentença de morte!

A não esquecer: hoje, às 18 horas...

NOTA DE RODAPÉ.

O detalhe do pormenor "apenas"...

A propaganda não se compadece com amadorismos. 
Então é assim: segundo o jornal AS BEIRAS, edição de hoje, "a Câmara da Figueira da Foz decidiu abater “apenas” 10 árvores naquela zona, contra as cerca de 20 inicialmente previstas"...
No que concerne à contestação, a favor e contra do abate das árvores, o gabinete de João Ataíde realça: “(…) Consideramos que o justo equilíbrio entre as duas propostas será o mais consentâneo com a actualidade. Verificados os alegados malefícios, não deixaremos de ponderar a necessária intervenção”
E conclui assim: “Por ora, estamos certos que a preservação possível da mancha arbórea é digna de respeito, sem embargo do futuro, com o espaço verde consolidado, apelar a outros ajustamentos”
Um pequeno pormenor. "Apenas".
Não eram só as 17, que já estavam marcadas, que iam ser abatidas... 
O número total em risco de abate, se fosse concretizada a vontade dos políticos que estão à frente do destino político da Figueira da Foz há 9 anos, deveria rondar as 40... 
Para que conste: as que estão para o lado o OVO também estão em risco de abate.

E é isto, temos de fazer o que tem de ser feito...

Devemos recordar, mas não os detalhes: os detalhes são sempre vulgares...

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Não gostam de plátanos? Tomem lá poeira...

Nesta cidade nada acontece por acaso: o carro para Condeixa, o jornalista que orienta a propaganda da Câmara Municipal da Figueira da Foz e a Câmara da Figueira da Foz vai “mesmo” matar árvores em Buarcos!

"A Câmara da Figueira da Foz esclareceu hoje não ser compatível “a manutenção de cerca de uma dezena de árvores” com o projeto de requalificação da frente marítima de Buarcos.
A compatibilização paisagística é quase total, promovendo-se a plantação de mais de 230 árvores em toda a área. Ainda assim, não é compatível, em situações pontuais, a manutenção de cerca de uma dezena de árvores”, refere a autarquia, em comunicado.
Os motivos para esta incompatibilidade são a sua situação fitossanitária e “casos excecionais de localização”, não tendo as árvores condições para permanecerem no local, acrescenta. 
Este esclarecimento da Câmara da Figueira da Foz surge na sequência de protestos contra o abate previsto de 16 árvores – faias, plátanos e outras espécies – localizadas em dois espaços ajardinados em frente à estação dos CTT e do mercado municipal da vila de Buarcos, e que foram marcadas com cruzes vermelhas.
A autarquia refere que o comunicado hoje emitido, no qual dá a conhecer a sua “posição final”, surge “após reunião com a equipa técnica que, superiormente, coordena e supervisiona a obra em causa”, e “apreciação e análise das alegações por parte das várias forças partidárias, do movimento Parque Verde e de um grupo de moradores que, espontaneamente, se organizou para manifestar o apoio à obra de Buarcos”.
A Câmara da Figueira da Foz explica que o projeto de requalificação da frente marítima de Buarcos “assenta, desde sempre, em critérios de compatibilização urbana e simbólica relativamente às preexistências mais significativas”.
Segundo a autarquia, “a manutenção e reforço de toda a estrutura verde existente serviu de base aos critérios de organização espacial, nomeadamente a valorização do Jardim Dr. Fernando Traqueia e de todas as áreas verdes” que o envolvem.
Sendo um projeto que assenta num princípio de valorização e aumento dos espaços pedonais e verdes, invertendo totalmente o rácio atual de áreas automóveis versus áreas verdes e pedonais, oferece-se aos últimos uma área de 70% do total intervencionado, quando era de 30%”, refere.
A autarquia considera que “é de louvar o empenho e atenção da população para esta obra, no sentido de evitar situações pontuais não previstas em projeto, relativamente ao coberto vegetal da zona”, e garante que, juntamente com a equipa projetista, continuará “a fazer a conveniente monitorização da obra, assegurando o mínimo de abates necessários”.
Embora se verifiquem apelos no sentido de confortar uma posição mais radical, em benefício de alegados problemas de qualidade do ar e saúde, consideramos que o justo equilíbrio entre as duas propostas será o mais consentâneo com a atualidade”, sublinha.
No entanto, “verificados os alegados malefícios, não se deixará de ponderar a necessária intervenção”, assegura.
Por agora, a autarquia está convicta de que “a preservação possível da mancha arbórea é digna de respeito, sem embargo do futuro, com espaço verde consolidado, apelar a outros ajustamentos”.
Via Notícias de Coimbra.

Nota de rodapé.
Nesta Figueira, nada acontece por acaso...
Na reunião camarária de 16 de janeiro do corrente, conforme se pode ler na acta 2/2018, "o Vereador Ricardo Silva indagou sobre a veracidade das exigências do Chefe de Gabinete, Nuno Matos, em relação à atribuição de um iPhone 8, de um computador Mac, topo de gama e de uma viatura, que está a ser usada nas deslocações da sua residência para a autarquia. ----------------------------------------------------
O Presidente respondeu que em relação às telecomunicações, foi-lhe distribuído um telemóvel assim como é distribuído aos colaboradores do Gabinete da Presidência. Em relação ao automóvel, esclareceu que o mesmo está adstrito ao Gabinete da Presidência, para deslocações de ordem funcional. -------------------
O Vereador Ricardo Silva questionou se já havia viatura adstrita ao Gabinete, tendo o Presidente respondido que sim. ------------------------------------------
O Vereador Ricardo Silva questionou se também era usado para deslocações para casa. ---------------------------------------------------------------------------
O Presidente respondeu que o veículo é utilizado estritamente no exercício de funções, nomeadamente se tiver de se deslocar fora de horas."

Imperdível... Ler.

Brigada do reumático, versão 2018...

"Bem diz o velho ditado que se é “preso por ter cão e preso por não ter….”
Depois do movimento Parque Verde, elementos de vários partidos e alguns populares se terem insurgido contra a intenção da autarquia de abater 16 árvores em frente ao Mercado de Buarcos, no âmbito do projecto de reabilitação da frente marítima, ontem foi a vez de um grupo de moradores de Buarcos solicitarem uma reunião com o presidente da Câmara, para pedirem exactamente o abate de árvores. 
Ao nosso Jornal foi vedada a entrada, mas no final, um dos elementos presentes explicou que «a população está cada vez mais envelhecida, com problemas respiratórios e pode ser devido aos plátanos», disse Rosa Figueira, que assegura que, no local onde trabalha (no Hospital), vê frequentemente entrar pessoas com esses problemas «e essas árvores poderão estar na origem»."
Via Diário de Coimbra
imagem sacada daqui

Nota de rodapé
.

 A brigada do reumático.
Em março de 1974, reúnem-se na Presidência do Conselho, em S. Bento, os generais das Forças Armadas. Ali manifestam o apoio incondicional a Marcelo Caetano e à "defesa do Ultramar"
Spínola e Costa Gomes faltaram e foram exonerados no dia seguinte.
O Governo demite os Generais Spínola e Costa Gomes dos cargos de Chefe e Vice-Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas, alegando falta de comparência na cerimónia de solidariedade com o regime, levada a cabo pelos três ramos das Forças Armadas. Essa cerimónia de solidariedade será ironicamente baptizada nos meios ligados à oposição ao regime como "Brigada do Reumático" nome pelo qual ainda hoje é muitas vezes referenciada. A demissão dos dois generais virá a ser determinante na aceleração das operações militares contra o regime...
Um mês e pouco depois, a 25 de Abril de 1974, caía o regime. 
Às vezes, nestas cerimónias, conta mais quem não está, do que quem está...

Para que conste: houve quem colocasse perguntas em devido tempo...

Como muito bem lembrou o Pedro Silva. 
E também por ser verdade e estar na acta da Assembleia Municipal...

"O Compadrio" em Pedrógão.

Para ver a reportagem completa TVI, clicar aqui

O Poder mostra ter saudades da "velha" oposição...

Como vimos aqui, o PSD contestou a gestão camarária...
Eis a resposta do o gabinete da presidência da câmara, via AS BEIRAS.
“O PSD reitera a posição que tem assumido desde o início do mandato, ao arrepio da posição assumida em reunião de câmara, na qual aprovou os projetos de requalificação urbana. Sabemos que a composição da vereação do PSD tinha uma configuração diferente, mas, deste partido, espera-se, em benefício da segurança e da certeza, a implícita coerência”, afirmou o gabinete da presidência da câmara. A resposta da maioria PS acrescenta que “os projetos têm um crivo e condicionalismos muito apertados e apenas são elegíveis e cofinanciados por beneficiarem a vida dos cidadãos, libertando espaços rodoviários, a favor de percursos pedonais, diminuindo, de forma substancial, a carga de CO2”. Aduz, por outro lado, que aqueles “e outros argumentos estão exaustivamente revertidos na candidatura aprovada”. Para concluir, defende: “Este é o nosso programa, que está a ser cumprido, em benefício de todos os cidadãos”
Nota de rodapé
Conclusão e moral da "estória"... 
João Ataíde preferia a anterior oposição, liderada por Miguel Almeida. 
No anterior mandato eram 4 do PSD e 5 do PS. 
Agora, são 3 do PSD e 6 do PS.
Todavia, entre 2013 e 2017, funcionou o tal "entendimento" entre os partidos do "arco da governação"  como sempre tem acontecido na Figueira. É o chamado "porreirismo" figueirinhas...
Contudo, parece que neste mandato, embora menos, os vereadores da oposição são mais trabalhadores e mais aguerridos politicamente. Isto é: estão a cumprir o objectivo para que foram eleitos.
Isso, pelos vistos, está a incomodar o Poder. E ainda bem, na minha perspectiva.
Até outubro de 2017, onde esteve a oposição?
É que se foram os vereadores e vereadoras PSD lideradas por Miguel Almeida, a mim, só me dá para rir...

PSD/Figueira contesta gestão camarária

"Qual o objetivo a atingir com obras 6,5 ME?
O actual Presidente da Câmara Municipal tem a sua agenda demasiado ocupada, com as varias inúmeras deslocações ao estrangeiro (sem qualquer beneficio visível para Figueira da Foz) e a Presidência da CIM Região de Coimbra.
Assim, como é do conhecimento público, na ausência do Presidente, é o Vereador Dr. Carlos Monteiro, que tenta mostrar serviço, para dar a ideia que sabe liderar a Câmara Municipal, mas fica demonstrado que é incompetente e arrogante (qualidades que sempre andam juntas) ...
Não é a primeira vez que o Sr. Presidente da Câmara tem de “vir a terreiro” emendar os erros e a falta de capacidade do Dr. Carlos Monteiro em gerir os seus pelouros.
Estas obras no valor 6.5 milhões é um esbanjamento de recursos públicos!!
É um replicar de obras! Face a outras áreas urbanas e rurais do concelho que estão ao abandono!
PSD Figueira da Foz, tem vindo alertar, que existem muitos mais assuntos, além do inconcebível abate de árvores, a Câmara Municipal deve dar esclarecimento Público!!
Estes projetos adjudicados estiveram em consulta Pública? Informaram convenientemente a população? De que forma?
Quais os objetivos a atingir com estas obras?
Atraem investimento? Fomentam o Turismo? Criam Riqueza? Criam Postos de Trabalho? Qual o estudo económico?
Onde está o estudo do plano Rodoviário de Tráfego? Que justifiquem as alterações ao trânsito? Ou no mínimo a contagem de trânsito!!
Qual a razão da destruição da estátua do pescador e construir uma nova a 3 metros da existente?
Qual a razão pela qual o Município da Figueira da Foz não dialogou com os investidores e com as forças vivas para encontrar soluções???
Porque não fez consulta prévia à Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz?
Qual a razão das obras em duas fases? Será 1º fase Legislativas e a 2º fase Autárquicas?
Quantos lugares de estacionamento vão desaparecer? Diminuindo-se o estacionamento!!!!!!! ( o que o PSD não se opõem desde que encontradas as soluções alternativas)
Foi traçado algum plano de transportes públicos, até com o objetivo de diminuir poluição?
Qual foi o parecer das Águas da Figueira?
Qual foi o parecer da Assembleia de Freguesia de Buarcos e São Julião?
Qual foi o Parecer do Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Buarcos e São Julião e do seu executivo?
NÃO BASTA FAZER OBRA, É PRECISO VERIFICAR A SUA NECESSIDADE E OS VERDADEIROS OBJECTIVOS A ATINGIR SEMPRE COM O PENSAMENTO NOS HABITANTES E INVESTIDORES DA FIGUEIRA DA FOZ".
Imagem via Beiras


O texto acima é um comunicado da Comissão Concelhia do PSD/FIGUEIRA. Entretanto, na edição de hoje do jornal AS BEIRAS, pode ler-se que falta uma assinatura para poder ser convocada a Assembleia Municipal extraordinária proposta pelo PSD, na sequência do anunciado abate de árvores na zona de requalificação da frente marítima de Buarcos. 
Contudo, essa Assembleia Municipal, a realizar-se, não se circunscreve apenas àquele assunto: o ponto único da proposta é a “intervenção no espaço público da Figueira da Foz”, referindo-se às obras do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU). 
Esta “sessão será o espaço para o total esclarecimento e clarificação relativamente a todos os espaços que estão a ser intervencionados ou que o irão ser brevemente, o que nunca poderá acontecer numa assembleia ordinária, dado o tempo manifestamente insuficiente que este assunto teria, entre os pontos da ordem de trabalhos”, lê-se na proposta enviada pelo líder dos social-democratas naquele órgão autárquico, Teotónio Cavaco.
O prazo para a assinatura do requerimento do PSD termina amanhã, pelas 12H00. 
Porém, a iniciativa daquele partido da oposição encontrava-se a uma assinatura da eficácia.
Neste momento, conta com o apoio dos deputados municipais do partido (10), da CDU (dois) e do BE (um). 
Entretanto, os contactos com outros elementos da Assembleia Municipal continuam.

Governantes, comediantes, desistimulantes... (e outras palavras terminadas em antes, tais como avestruzes...)