Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Da série "A comédia dos quiosques", um filme em exibição na Figueira há mais de 3 anos!

"Município realiza hasta pública para ocupação e exploração de quiosques municipais:
No dia 18 de dezembro, pelas 10.00 horas, a Câmara Municipal da Figueira da Foz, vai realizar, no Edifício dos Paços do Município, Av. Saraiva de Carvalho, uma hasta pública com vista à “atribuição do direito de ocupação e exploração de quiosques municipais localizados em espaços públicos”, num total de quatro espaços.
imagem sacada daqui
Em causa estão os seguintes quiosques:
• Rua D. José I, junto à Escola 2/3 Dr. João de Barros;
• Rua Joaquim Sotto Mayor, junto ao Coliseu Figueirense;
• Rua do Hospital, na Gala - São Pedro;

• Rua de Moçambique, junto ao Centro de Saúde da Figueira da Foz."

Nota.

A política do quiosque...

A autarquia da Figueira da Foz anunciou, em devido tempo, que investiu cerca de 300 mil euros na remodelação de quiosques, aumentando o número de estabelecimentos e as finalidades de uso, com possibilidade de servirem comida e bebidas.
Entretanto, "a política do quiosque continua..."

Regabofe...

Antigo líder da JSD/Madeira condenado a 3 anos de prisão de pena suspensa por burla

"José Pedro Pereira foi ontem condenado a três anos de prisão, com pena suspensa por igual período, num processo em que foi acusado de burla.
O antigo líder da JSD/Madeira respondeu assim pela segunda vez pelos crimes de burla e falsificação de documentos, alegadamente cometidos contra um empresário, que terá pago a José Pedro Pereira 25 mil euros pelo trespasse de uma loja na Praça CR7.
De acordo com a acusação, o processo envolvia um espaço comercial que era propriedade da Sociedades de Desenvolvimento da Madeira.
O Ministério Público considerou que José Pedro Pereira falsificou documentos da antiga Vice-Presidência do Governo Regional, na altura tutelada por João Cunha e Silva, para efectivar o suposto negócio.
"

Rotura na conduta da Estrada das Lágrimas...

Pingo doce, para o patronato. Pingo amargo, para o trabalhador...

Via Notícias ao Minuto
«"Uma trabalhadora sofreu a brutal humilhação de se urinar no posto de trabalho, impedida de sair do local, mesmo depois de pedir várias vezes para ser substituída, numa das caixas da loja do Pingo Doce da Bela Vista, em Lisboa", denuncia o CESP - Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços que divulgou publicamente o caso, ontem, segunda-feira no site da CGTP.
Trabalhadora terá pedido para ser substituída na caixa para ir à casa de banho. O pedido ter-lhe-á sido negado, acabando por urinar no posto de trabalho. 
O grupo Jerónimo Martins diz não ter encontrado "qualquer fundamento" para a denúncia em causa.»

Em Coimbra também é sempre carnaval... Tudo "gratuito"...

Via Diário as Beiras
«... pista de gelo natural, um carrossel parisiense e uma árvore de Natal interactiva são os destaques da programação de Natal de Coimbra, que animará a cidade durante cinco semanas.»
Para além disto, haverá "espectáculos de rua, concertos, teatro, dança, cinema, feiras, mercados, conferências, oficinas e ‘workshops’ estão entre as várias actividades previstas na programação, que a Câmara de Coimbra apresenta pelo sétimo ano consecutivo.
Com esta programação, a autarquia pretende “reafirmar a diversidade cultural da cidade, reforçando a sua atractividade nesta época natalícia”, e também “promover o comércio da Baixa e atrair mais público a esta zona central de cidade”.
A pista de gelo natural, o carrossel parisiense e a árvore de Natal interativa ficarão instaladas no Terreiro da Erva e terão acesso gratuito.
“As três estruturas poderão ser usufruídas desde o dia 06 até ao dia 25 de dezembro”.»

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Deputado Maló de Abreu esteve hoje na Figueira

Camané

Vida difícil: "número de bombeiros em Portugal diminuiu nos últimos 25 anos"...

Vida difícil: "ordenados em atraso e funcionários com fome nos bombeiros de Constância"...

Acção de surfista tornou-se fundamental para salvar tripulantes de naufrágio na Figueira da Foz

"
Foto Pedro Cruz
Via SURFTOTAL
"Foi pelas 10:30 horas da manhã que um veleiro com cerca de 12 metros de comprimento conduzido por dois tripulantes de nacionalidade Francesa encalhou na Praia do Cabedelo da Figueira da Foz. Ambos os tripulantes decidiram abandonar a embarcação e atirar-se à água.
Os dois tripulantes, um casal francês, lançaram-se à água. Foi aqui que o surfista local da Figueira da Foz de nome Miguel Guedes encontrando-se na Escola ISurf Figueira viu a situação e prontamente vestiu o fato, pegou nos pés de pato e correu cerca de 400 metros até onde estavam. Aqui entrou na água para auxiliar o individuo da mota de água que tinha saído para resgatar as vítimas. Este ultimo entregou a primeira vítima a Miguel Guedes que prontamente a ajudou a caminhar para a zona segura na Praia. Passados uns minutos o mesmo aconteceu com a vítima feminina, esta encontrava-se em paragem cardio respiratória e aqui o papel de Miguel foi fundamental pois teve de se lançar à água para segurar a vítima feminina e juntamente com o condutor da mota de água a transportarem para a zona onde se encontravam os socorristas.
Este foi um acto que mais uma vez demonstra que os surfistas (com experiência) e conhecedores das dinâmicas das ondas e mar nas praias, têm vindo a ser uma presença fundamental para que se minimizem o número de afogamentos nas praias Portuguesas durante todo o ano, e não apenas na época Balnear."

“CONFUNDIMOS A FAMA DE LÍDERES PAVÕES COM A SUA EFICÁCIA”

Característica pouco valorizada, a humildade pode ser, de acordo com Arménio Rego, professor catedrático na Católica Porto Business School, o ingrediente chave dos grandes líderes. É sobre isso que escreve no seu último livro Liderança: Humildade e Soberba [Edições Sílabo], lançado hoje. E foi sobre isso que conversámos com ele.
Arménio Rego, professor da Católica Porto Business School, lança esta segunda feira o livro "Liderança - Humildade e Soberba".

Para ler a entrevista de Catarina Pires, publicada no Diário de Notícias, basta clicar aqui. A fotografia é de Maria João Gala/Global Imagens.

Porque já houve um tempo em que tudo era muito secreto, registe-se esta nova postura da Câmara da Figueira presidida pelo Dr. Carlos Monteiro

Não há nada mais agradável, para quem gosta da Figueira da Foz, do que ter motivos para elogiar.
Todos sabíamos que as reuniões à porta fechada não serviam a ninguém.
A última coisa que devemos recear é a liberdade. Isso, está mais que provado.
Só com  liberdade encontraremos o caminho do equilíbrio.

Carlos Monteiro, actual presidente da câmara, como político experiente e experimentado percebeu o óbvio.
Uma Câmara Municipal é um órgão democrático do Poder Local...
A normalidade é mesmo isto: via página do Município da Figueira da Foz, no dia 2 já sabemos as datas e as horas das reuniões de câmara que se realizam durante o mês. Espero que a atitude seja para continuar: o Natal não tem, necessariamente, de acontecer apenas em Dezembro... 

No País como na Figueira...

A barra da Figueira...

Via Diário de Coimbra
"Um casal francês, a bordo de um veleiro, tentou ontem de manhã entrar na barra, quan­do esta se encontrava fechada a embarcações menores de 35 metros, sendo “apanhado” em zona de rebentação. Aflitos, acabaram por se lançar ao mar e tiveram de ser resgatados, na praia do Cabedelo. O homem encontrava-se, à hora do fecho desta edição, «estável, em observação», segundo fonte do Hospital da Figueira, enquanto a senhora, que aparenta ter cerca de 60 anos, foi transferida para Coimbra."

Nota.
"É urgente demonstrar às pessoas que existe um problema muito grave mas que tem solução. Basta de tanta mentira."

"Qualquer que seja a solução para consolidar as areias a norte, será uma certidão de óbito para a Figueira da Foz, porque a praia vai continuar a crescer".
- Manuel Traveira.

domingo, 1 de dezembro de 2019

Iate encalhou na Praia da Cabedelo esta manhã


Via Pedro Agostinho Cruz
Via TVI
"Casal francês atirou-se à água. Mulher foi retirada do mar em paragem cardiorrespiratória.
Duas pessoas foram transportadas para o hospital, depois de retiradas de um veleiro em dificuldades, na praia do Cabedelo, na Figueira da Foz. A informação foi confirmada à TVI pela Polícia Marítima.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Coimbra disse à agência Lusa que os dois tripulantes se atiraram ao mar. Os dois tripulantes, um casal francês, lançaram-se à água, tendo primeiro sido resgatado o homem com apenas ferimentos ligeiros, e mais tarde, às 11:23, a mulher, que se encontrava em paragem cardiorrespiratória.

A embarcação, com 12 metros, encalhou na praia do Cabedelo, a sul da cidade da Figueira da Foz, cerca das 10:35, acrescentou a mesma fonte.
No local estão elementos do Porto da Figueira da Foz, com duas embarcações, o INEM e os Bombeiros Voluntários e Municipais da cidade."

ACTUALIZAÇÃO.
Recorde-se: a obra do aumento de quatrocentos (400) metros do molhe norte do porto da Figueira da Foz (e com a alteração da sua orientação, de oés-sudoeste [WSW, c.247º] para sudoeste [SW, c.225º]), criou um novo e muito diferente enfiamento da linha de entrada e saída das embarcações, que deixou de ser de oeste [W, 270º], ou oés-sudoeste [WSW, c.247º], e passou a ser de su-sudoeste [SSW, c.202º], e muito mais longa do que era antes… 
Vários naufrágios aconteceram. Hoje foi mais um. Entretanto, o iate já deu à praia. 

Para reflectir...

Da série a democracia permite que cada um tenha o que merece... Até a Figueira!

 Imagem via jornal O Figueirense
A Figueira já foi uma cidade e um concelho onde dava gosto viver.
Ainda hoje tem recantos encantadores, para quem aprecia a natureza, a harmonia, o sossego, o sol e o mar.
E se é agradável usufruir da qualidade de vida desses locais, melhor seria se o concelho tivesse tido sorte com os políticos que o povo elegeu, ou com as elites económicas, sociais e políticas.
A Figueira, a sorte que teve com a localização e o eco sistema, não foi correspondida com os que a dirigiram e determinaram o seu destino nos últimos cerca de 40 anos.
Dos primeiros anos da década de 80 do século passado para cá tem tido um azar do caraças. Quem esteve minimamente atento, deu conta da decadência, que não foi travada pelo crescimento do turismo, a nível nacional, ou por alguns negócios de ocasião, como estamos a ver agora com o incremento brutal, selvático e desregulado da "mercearia".

Ao longo dos últimos anos, o Casino da Figueira perdeu importância. O turismo definhou. As pescas estão a atravessar uma crise prolongada. A construção naval desapareceu. A indústria não consegue ser a locomotiva que o concelho precisa. As empresas que temos com algum significado a nível nacional são altamente poluidoras, o que é um contra senso num concelho que deveria ter turismo de qualidade.
Se as elites politicais, sociais, intelectuais,empresariais, industriais e comerciais não estiveram à altura das possibilidades oferecidas por um concelho como a Figueira da Foz, também não deixa de ser lamentável que os figueirenses não tenham sido exigentes para com os políticos, conclaves e interesses de grupo locais.
Os figueirenses, nas suas sucessivas escolhas de lideranças autárquicas, optaram por políticos sem grande visão e sem mundo.
"O poder local, não só se demitiu da sua função de pressionar o Governo, como tentou descredibilizar a cidadania activa."
Continua com a cabeça enterrada no "maior areal urbano da Europa, na verdade, um autêntico desastre ambiental, sem ver o que é óbvio".
Os resultados estão à vista: o concelho está quase todo destruído.
O que resta aos figueirenses?
Talvez, apenas, tentar evitar que seja destruído o pouco o que resta...
Vamos ver se este executivo "consegue desenterrar a cabeça da areia"...

Da série a democracia permite que cada um tenha o que merece...