Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Ataíde em dificuldades na CIM: Aeroporto de Coimbra provoca clivagens na “família” socialista (II)

A assembleia municipal da Figueira da Foz, ontem realizada, também debateu o caso aeroporto na região centro.

"O deputado municipal do PSD Teotónio Cavaco indagou João Ataíde sobre o aeroporto na região, alertando que, se não houver consenso, o Centro poderá ficar sem aquela infraestrutura. 
O presidente da Figueira da Foz, que também preside à Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra, saliente-se, defende a base aérea de Monte Real, enquanto o seu homólogo de Coimbra, Manuel Machado, propõe o aeródromo de Cernache (verr aqui). 
“Não me importava nada de correr o risco de perder, porque tinha algo a ganhar”, respondeu João Ataíde, considerando que a intervenção do deputado socialista [Ferreira da Silva, da Assembleia Intermunicipal] foi absolutamente desastrada.
“Com amigos assim, não preciso de inimigos”, acrescentou, em tom jocoso. 
“Não abdico do plano de Monte Real, porque esse é o que estrategicamente nos interessa. Mas, se vier um plano sustentado para Cernache, venha ele, não vou opor-me”, rematou..."

Ficou desvendado o mistério ontem à tarde no decorrer da Assembleia Municipal: Tróia, é o sonho húmido de Ataíde para o Cabedelo!..

Foto Pedro Cruz
Eu já andava desconfiado...
Não me parece que seja o concreto que faz sonhar o senhor presidente da câmara Municipal da Figueira da Foz...
Sonhar, para o senhor presidente, a meu ver, é a abstração completa que tudo permite, em que tudo é possível, pois não parte da realidade, antes a constrói ao seu belprazer.
Mas, será que o acaso existe?
Pelos vistos, neste caso, não...
Da mesma forma que não existe a coincidência, sempre que se quer tirar ilações da sobreposição de factos, que só o poderiam ser  por obra do acaso.
Reparem na coincidência: até o arquitecto Hipólito é o mesmo de Tróia!..


Cerca de 100 pessoas deslocaram-se ontem à reunião da Assembleia Municipal da Figueira da Foz, em protesto contra a  intenção da autarquia em acabar com o parque de campismo da praia do Cabedelo.
O grupo de manifestantes, parte do qual esteve concentrado, antes da reunião, em frente ao edifício da autarquia, acompanhado da PSP, contesta a intenção camarária, decidida no âmbito de um projecto de requalificação, que ninguém ainda sabe em concrecto o que é.


Uma das campistas, Maria Teresa Ferreira, usou da palavra na reunião, lembrando o historial do parque de campismo - que começou por ser um local de campismo selvagem e foi legalizado há quase 30 anos, em 1988, através de uma concessão feita pela administração portuária à Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMP), que termina a 31 de dezembro - e alegando que o entusiasmo pelo local "foi crescendo" ao longo dos anos, sendo que o parque "tem utilização superior" aos três restantes existentes no concelho e não teve "qualquer melhoramento" por parte da Câmara.
"Depois destes anos todos no esquecimento, vem o senhor presidente da Câmara, de forma cruel, maldosa, prepotente e autoritária, correr com quem sempre cá esteve. Já somos três gerações de campistas, somos a escumalha do Cabedelo", acusou a munícipe.
A intervenção mereceu o aplauso generalizado dos cidadãos que enchiam a sala, levando o presidente da Assembleia Municipal a intervir, avisando da proibição de manifestações do género, que não voltaram a suceder.


Cristela Costa, actual proprietária da mais antiga escola de surf do Cabedelo, disse que o projecto de requalificação não foi apresentado aos utilizadores daquela zona.
"É difícil entender como é que uma via de acesso passa por um café recentemente construído e o parque de campismo não pode ser requalificado", frisou Cristela Costa, embora manifestando, a exemplo dos campistas, não ser contra a requalificação do Cabedelo, "mas contra a forma como está a ser conduzido o processo".


Da parte da bancada do PSD, o deputado Tiago Cadima - que explora a cantina do parque de campismo e disse ter já pedido a cessação do contrato assinado com a FCMP - argumentou que o projecto apresentado publicamente pela autarquia "não é aquele que está a levar por diante", numa alusão ao plano original, onde o parque de campismo aparecia deslocalizado umas centenas de metros para sul.
Tiago Cadima citou declarações do presidente da Câmara, João Ataíde, que terá afirmado que o parque de campismo do Cabedelo - localizado junto à orla marítima, entre os molhes sul e interior sul do rio Mondego - "é um espaço demasiado nobre para estar alocado a parque de campismo", classificando-as de "despropositadas e algo xenófobas".
"O que o senhor transmitiu a cerca de 50 mil associados da Federação é que não eram bem-vindos à Figueira da Foz", declarou o deputado municipal.
Tiago Cadima classificou ainda o planeamento da área de reabilitação urbana do Cabedelo como "um caso de estudo em como fazer tudo mal", questionando sobre a deslocalização do café instalado no local há menos de um ano, por a estrada para ali projetada passar onde o edifício foi construído.


Imagem sacada daqui
Na resposta, o presidente da Câmara, João Ataíde, alegou que o parque de campismo do Cabedelo "não é propriamente um projecto estimado pelos figueirenses e pela comunidade local".
O autarca lembrou que a requalificação do "espaço urbano de praia" do Cabedelo assenta na degradação da envolvente e que o projecto, aprovado pela autarquia, prevê um investimento de 2,5 milhões de euros que ainda aguarda visto do Tribunal de Contas.
João Ataíde adiantou que foi pedido a um arquitecto paisagista a valorização do espaço, comparando o Cabedelo a Tróia, afirmação que motivou risos na assistência.
"O parque de campismo, com a sua configuração actual, é conflituante com este objectivo. Não vemos grande vantagem em prol da cidade na manutenção deste parque de campismo, no nosso projecto não está integrado nem tem de ser integrado", argumentou o autarca.
Disse ainda que não existe "nenhum direito adquirido" dos campistas e utilizadores do parque, nem nenhum direito de propriedade ou posse "nem foi gerado qualquer tipo de expectativa", finda a concessão.
No entanto, o autarca admitiu, a "título precário", antes de começarem as obras e sujeito a reavaliações "de três em três meses", que a concessão se possa manter "enquanto não ocuparmos aquele espaço".
"A expectativa era o prazo de concessão e temos oferta suficiente em termos de campismo", disse ainda João Ataíde.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Ataíde em dificuldades na CIM: Aeroporto de Coimbra provoca clivagens na “família” socialista

Os deputados da Assembleia Intermunicipal da CIM Região de Coimbra (RC) reuniram-se ontem, pela primeira vez, neste mandato.
O objectivo era a instalação dos eleitos e a votação do orçamento para 2018. 
No entanto, o debate ficou marcado pela discussão sobre o futuro Aeroporto Internacional de Coimbra, anunciado por Manuel Machado no período de campanha eleitoral. 
Ferreira da Silva, companheiro de partido de Ataíde, afirmou que, “se o projecto do aeroporto de Coimbra falhar” o autarca da Figueira “terá responsabilidades neste fracasso”.
Via jornal AS BEIRAS

Pode ser que para a próxima resulte...

...então, foi uma bela de uma tentativa eleitoral!..

Agora, via Diário de Coimbra, ficámos a saber, que "com a presença de dois vereadores (Miguel Pereira – também sócio da associação – e Carlos Monteiro), a assembleia – geral da Vela Pravida realizou-se com mais de três dezenas de associados, tendo na ordem de trabalhos, entre outros, o plano de actividades e orçamento para 2018 e as diligências efectuadas no que se refere aos incêndios de 15 de Outubro, que, recorde-se, dizimaram por completo toda a envolvente da Lagoa da Vela. O presidente da direcção, que, no dia seguinte à assembleia-geral, pediu a demissão «imediata» do cargo, invocando problemas de ordem pessoal e de saúde, mas também «divergências» no seio da direcção, disse, sem querer avançar mais pormenores, entregou já ao conselho fiscal «o espólio» que tinha em seu poder (documentos, correspondência e outros), e diz esperar ser substituído «por procedimento legal e estatutário/regimental e não por arranjos com roupagem ilegal»."
Noutros locais do País, já começaram trabalhos de limpeza e recuperação da zona que ardeu.
Por aqui, resta perguntar onde ficaram as promessas do vereador das florestas?..
O que é compreensível, pois, como se nota, anda absorvido com outras tarefas...

Hoje, é dia de luta pelo Cabedelo...

Mais logo, pelas 14 horas, em frente à câmara, tem lugar a manifestação a favor do Parque Campismo do Cabedelo.
Em causa, está o futuro e a vida de pessoas com rosto: como, por exemplo, o meu companheiro de sueca, o senhor Surrécio, aqui retratado pelo Pedro Cruz, que mostra uma fotogenia complexa, aparentemente de  uma pessoa serena, consciente do seu espaço e do seu lugar,  alguém que pensa com serenidade as coisas. 

Tem 90 anos e muitas histórias de vida,  umas quantas vividas neste local onde faz campismo há dezenas de anos.
Se for por diante, a atitude prepotente de sua excelência, o presidente da câmara municipal da Figueira da Foz, de em 31 do corrente encerrar o Parque de Campismo Foz do Mondego, vai ser responsável e vai carregar para sempre o ónus de prejudicar definitivamente um local e pessoas com alma. 

O Cabedelo detém uma ambiência especial,  em que nos elevamos, convivemos e comungamos  com a mãe natureza. 
Quero e vou continuar por aqui. É por aqui que vou permanecer na companhia do meu Amigo Surrécio.
Há lugares em que nos sentimos completos, dada a sua beleza. 
Há lugares onde temos a sensação de plenitude, onde nada mais precisamos para nos sentirmo-nos em paz connosco e com o que nos rodeia.

Na essência, o Cabedelo é isso para muita gente.
Estes decisores políticos, que cairam de pára-quedas na Figueira, querem dar-nos um murro no estômago... 
Um político responsável e competente deve ter os pés firmemente assentes na terra, conhecer o terreno, o visível e o invisível - e não apenas no conveniente período eleitoral.
O drama da Figueira, é que os políticos vivem há muitos anos, demasiados anos, dentro da bolha decisória de reuniões, inaugurações e relatórios. Entre croquetes e beberetes, umas palavras escritas e uns salamaleques, estes políticos decisores vão gerindo. 
E que é feito da necessária sensibilidade social?
Todos sabemos, porque o sentimos, que a  discussão político-partidária nas reuniões políticas (de câmara e asembleia municipal) não reflecte, como deveria, os problemas do cidadão comum que habita no concelho.
Entretanto, continuamos sem soluções para quase tudo.

Exemplo disso, é também mais esta obra faraónica que vai mudar a zona proxima dos Caras Direitas, em Buarcos...
Mais um exemplo, a par com o  Cabedelo, talvez a melhor e mais acabada demonstração da incompetência com que tem sido gerido o espaço do concelho da Figueira da Foz nos últimos anos.
E, isso, acaba por ter influência na qualidade de vida das pessoas.
O que é grave.

No Cabedelo, a simplicidade é perfeita. Não é todos os dias que capturamos um pôr - do -sol luminoso poisado na leve ondulação do oceano ...

foto Isabel Maria Coimbra
No Cabedelo, basta olhar e ver, até onde a vista alcança, e ficamos com a alma cheia de um contentamento que não é fácil de descrever, mas que uma sensibilidade arguta e aguçada, como a da Isabel Maria Coimbra, consegue transmitir. 
Foi, penso eu, uma forma diferente e boa de reencontro interior e anterior. Isto é, que remonta a anos atrás, quando o Cabedelo era a praia de eleição da Isabel Maria Coimbra, a autora do excelente texto que, precisamente um ano e um dia depois, relembro. 

Por vezes, a perspectiva da Aldeia, vinda do outro lado, pode trazer-nos uma agradável surpresa!..

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

"Com papas e bolos se enganam os tolos"...

João Vaz:
"Contrariamente ao que acontece em outros países (Itália, perguntem à SONAE quanto paga ao Município pelo seu estacionamento "privado") os contratos com grandes superfícies deveriam obrigar a que cada lugar de estacionamento pagasse uma tarifa.
Isto em prol da "igualdade" perante o comércio local, cujos clientes têm que pagar estacionamento."
Na Figueira é assim: dá-se um doce...

Desmazelo...

Vamos lá resolver, de vez, essa história do coreto?..

Dadas as evidentes dificuldades do presidente Ataíde em resolver o famoso problema do coreto (e já lá vão mais de 8, oito, anos), deixo a chave para resolver o problema: aproveitem o vosso fantástico plano de requalificação do Cabedelo (que nunca mais acaba com os acabamentos…) e tragam-no para o Cabedelo. Espaço, não há-de faltar!
Nada é impossível,  para quem não tem que resolver o problema por si, senhor presidente Ataíde.
Basta de realidade, venham mais sonhos!
E escusa de me agradecer…

19 valores. Fica o agradecimento do matriarca/patriarca em funções...

Ontem foi um dia feliz, com algumas lágrimas.Continuamos a ser gente que tem o sentido das raízes, que sente e que se abre de par em par para os amigos. A vida é feita destes importantes momentos e destas pequenas coisas boas e saborosas.
UMA FAMÍLIA É ISTO. OBRIGADO Beatriz Cruz. OBRIGADO PedroCruz.

Fica o texto de Pedro (o tal que saiu da fábrica “bonito”…) sobre a irmã, Beatriz (…que além de bonita, a fábrica também forneceu com excelentes qualidades de trabalho e inteligência…).
Passo a citar.
19 Valores
A minha irmã, a Beatriz acabou ontem o Mestrado em Toxicologia e Ecotoxicologia, um dos mestrados mais exigentes da Universidade de Aveiro, com 19 valores.
"São poucos, aliás muito poucos os alunos que optam por este mestrado, mas os que frequentam são efectivamente alunos muito bons. Sabemos a exigência e dificuldade deste mestrado", disse o regente de mestrados da Universidade de Aveiro.
Não vou partilhar a dezena de elogios que ouvi sobre o trabalho, a forma como o apresentou e defendeu ainda que seja pouco o que percebi durante aquela hora. Na verdade, assisti a um bela aula de chinês.
Espero que o meu país tenha a capacidade de aproveitar estes jovens. Devemos exigir esse aproveitamento. Temos tudo a ganhar com eles.
Fazem parte de um grupo restrito que por mérito próprio, trabalho, dedicação e empenho estão num nível superior. São os melhores da área de formação.
A Beatriz não vai precisar de uma cadeira de sonho. Vai precisar de uma oportunidade para fazer o que melhor sabe. Todos os outros valores que nutre são de uma imensidão maior do que esta escala de 0-20.
Ontem, o 20 ficou guardado para nós que mais uma vez, mostrámos ser uma família unida. Ficámos nervosos, ansiosos, chorámos e sorrimos juntos. Também sem ninguém dizer pensámos em alguém que ia ficar ainda mais feliz do que nós todos com o feito da Beatriz.
Bem, mas nesse ponto você viu. A Beatriz foi Beatriz. Foi brilhante (...)
Que orgulho Tiz! Que orgulho que orgulho (...)
Obrigado por esta prenda no meu dia de anos Tiz.
(agora como te prometi  vamos os dois para o outro lado do mundo. Let's Go To Tokyo!!)

A polícia tem no Bairro Novo “atitude arrogante”, afirmou Miguel Babo, escolha imprescindível de Carlos Tenreiro para a lista de vereadores PSD...

O vereador do PSD Miguel Babo disse, ontem, na reunião de câmara, que a polícia tem uma atitude arrogante, quando se referia à alegada falta de segurança no Bairro Novo, tema suscitado pelo líder da vereação social-democrata, Carlos Tenreiro. “No Bairro Novo, há zaragatas a todo o momento. A polícia está lá com a carrinha parada, no meio do passeio, onde nem pode estar, com os polícias à porta, numa atitude que parece que querem bater em alguém, com o cacete, numa atitude arrogante”, afirmou o autarca da oposição. 
João Ataíde não gostou do que ouviu. “[O vereador Miguel Babo] diz uma coisa e o seu contrário: pede mais segurança e, depois, diz que os polícias têm uma atitude arrogante!”, atirou o presidente da Câmara da Figueira da Foz. O líder do executivo acrescentou que se revê na atitude dissuasora da polícia. Por isso, enfatizou: “Não me revejo nas críticas que fez à polícia”. O presidente defendeu que “as cifras de criminalidade da cidade são baixíssimas”. Daí, sustentou, “falar disso [falta de segurança no Bairro Novo] é desprestigiante para a cidade”. Por outro lado, acrescentou que “as noites da Figueira da Foz são seguras, sem embargo de surgir um ou outro foco”
Carlos Tenreiro tentou atenuar os efeitos da intervenção de Miguel Babo. “Obviamente que a bancada do PSD não se revê em observações antagónicas à PSP, e o vereador Miguel Babo também não se revê nelas. Tem a sua maneira de se expressar… Estamos a falar de incidentes que são fatores de insegurança e afastamento”, argumentou.
Miguel Babo voltaria a falar sobre o assunto, na sequência da intervenção de Carlos Tenreiro. No entanto, começou por observar que aquilo que pretendeu dizer é que “a atitude da polícia é pouca”, defendendo que aquela força de segurança “não pode intervir apenas em pancadaria”. E afirmou: “Os exemplos de ineficiência são aos montes”, ressalvando, contudo: “Esta crítica não é para arrasar com a polícia, é construtiva”. Porém, atirou: “Vi jogadores de râguebi todos nus e não lhes aconteceu nada. Vejo jovens a partir garrafas todas as noites…”. João Ataíde frisou que “ainda bem” que a vereação do PSD não se revê em declarações contra a polícia. Não obstante, elucidou: “Quis marcar a minha posição”
Contactado pelo DIÁRIO AS BEIRAS, o comandante da Divisão da Figueira da Foz da PSP, Mário Rocha Quintal, garantiu que “nunca a presença da polícia assume uma atitude intimidatória”. Acerca da alegada insegurança no Bairro Novo, esclareceu: "Não tenho indicações de nenhuma situação grave ocorrida nas últimas semanas que ponha em causa a segurança das pessoas".
Via AS BEIRAS

Nota de rodapé.
Só apetece colocar a mão na testa e abanar a cabeça, com esta  inacreditável e incrível  prestação desta oposição PSD!..
Qualquer figueirense fica seduzido!

Isto não é futebol, muito menos política, mas é um espectáculo...

Via AS BEIRAS

Perante isto, rir é o melhor remédio: Manuel Luís, o gémeo de Manuel Domingues!..

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Água doce e mole em pedra dura, tanto bate que um dia... acaba a água!..

PODIA TER SIDO UTILIZADA ÁGUA DO RIO?..
PODIA. MAS, NÃO ERA A MESMA COISA!..
Imagem sacada do jornal AS BEIRAS

A propósito da "mercearia"...

A central política figueirense de interesses sempre funcionou: Bom Dia Buarcos, foi aprovado por unanimidade!
A "mercearia" figueirense continua a crescer!..
Não respeita nada, nem sequer a lei.
Pelos vistos, compensa pagar a multa. Nestes dias que antecedem o Natal, os dias que estiverem abertos ilegalmente o lucro é maior que a multa.
Já agora, para quando o aumento das coimas, senhor presidente e senhores vereador?
Por vezes, somos um pouco descoordenados e complicados! E, por vezes, algo "burritos"!.. 
A câmara até precisa de reforço de receita...


Como qualquer partido que se preze, na Figueira também o PSD tem os seus agentes politicos, que o mesmo  é dizer, as  pessoas responsaveis pela politica do PSD/Figueira.
A saber: Comissão Politica, Vereadores Camarários, Deputados Municipais, Membros de Assembleias e Juntas de freguesias.

Toda  esta gente é responsavel politicamente.
No dia 17.01.2017 houve a reunião de Câmara em que foi analisado e aprovado por unanimidade o pedido da Sonae Retail Park- pedido de informação prévia - aprovação condicionada de uma superficie comercial.
PS e PSD aprovaram por unanimidade.

Na altura, o que disseram os membros da  Assembleia de Freguesia de Buarcos e S. Julião sobre o assunto a esta deliberação por unanimidade da Câmara Municipal? 
Nada... 
Da parte do PS até entendo.
Mas, que se passou consigo dr. Carlos Tenreiro, membro da anterior Assembleia de Freguesia de Buarcos e S. Julião? 
Isso é que estava atento à agenda politica, não do seu concelho, mas da sua freguesia!..


Como é que agora, alguém eleito pelo PSD pode criticar uma deliberação que  os anteriores agentes políticos eleitos pelo PSD votaram a favor, juntando-se à maioria socialista,  não  dizendo nada...
Na Figueira, a central de interesses sempre funcionou.
Carlos Tenreiro, na altura membro da Assembleia de Freguesia de Buarcos S. Julião, que ambicionava ser Presidente de Câmara, por onde andava?...

domingo, 17 de dezembro de 2017

CONTRA O ENCERRAMENTO DO CAMPISMO NO CABEDELO...

A petição já pode ser assinada na internet.
Para o efeito basta clicar aqui.

Rua da República, Natal de 2017...

Passada uma semana, já com luzes!..

Barão dos colégios privados esteve na apresentação da candidatura de Santana Lopes na Figueira...

Em 2005, o grupo GPS recebeu autorização para ter 4 colégios com contrato de associação ao Estado, e como tal receber financiamento público, quando esses colégios ainda não tinham existência legal. O despacho foi assinado por José Manuel Canavarro, secretário de Estado da Administração Educativa de Santana Lopes, e José Almeida, diretor Regional de Educação de Lisboa do mesmo governo, a cinco dias das eleições perdidas por Santana Lopes. José Manuel Canavarro e José Almeida tornaram-se depois consultores do grupo GPS.
Pelo grupo GPS, que em 2014, foi alvo de buscas por parte da Polícia Judiciária por suspeitas de apropriação ilícita de verbas transferidas pelo Estado,  passaram vários ex-responsáveis políticos do PSD e do PS.
Presidido por António Calvete, antigo deputado do PS e membro da Comissão Parlamentar de Educação, no tempo de António Guterres, passaram pelo GPS nomes como José Junqueiro, deputado do PS, Domingos Fernandes, ex-secretário de Estado da Administração Educativa de António Guterres, e Paulo Pereira Coelho, ex-secretário de Estado da Administração Interna de Santana Lopes e ex-secretário de Estado da Administração Local de Durão Barroso.
António Calvete tem todas as razões para estar grato a Santana Lopes, pois foi no governo de Santana que viu autorizados 4 colégios com contrato de associação ao Estado.
Amor com amor se paga?..
O que fazia um homem socialista, ex-deputado pelo seu partido, na apresentação de Santana Lopes na Figueira?
Será porque a esposa do santanista  Pereira da Costa foi professora no ex-Colégio de Quiaios?
Ou teremos de recuar a 1997, ano em que Santana Lopes aceitou candidatar-se à Câmara Municipal da Figueira da Foz?..