.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

domingo, 14 de dezembro de 2014

Setembro de 2010, quando Mário Soares tinha 85 anos de idade...


Fui só eu que reparei, ou Mário Soares, na altura, há pouco mais de 4 anos, elogiou alegremente Cavaco Silva? 
São muitos anos, nesta vida. 
E a estar atento a vidas destas...

Portugal é, sobretudo, isto...


Neste momento, pelo menos,  SICN, RTP/Informação, TVI24, BOLATV, Porto Canal e CMTV estão com directos sobre o FC do Porto- Benfica que se realiza às 20 horas. 
Registe-se, pois é um retrato de Portugal. 
Até parece que o nosso futuro depende do resultado deste jogo de futebol!..

"Por que razão é que, acedendo como nunca a uma possibilidade de falar universal, com as “redes sociais” garantindo um tecido de vozes como nunca se ouviu, se diz tão pouco?"

"O deserto cresce. Infeliz aquele que crê no deserto.” 
(Nietzsche)
Em tempo.
José Pacheco Pereira escreve aqui um texto interessante — coisa rara no nosso panorama da chamada “cultura intelectual”...

Porque hoje é domingo, um momento de pausa para reflectir...

"Rua dos Tropeções, mais tarde Rua do Quebra-Costas (hoje rua 31 de Julho) esta a rua onde, por ironia toponímica, nasceu Manuel Fernandes Tomás, numa casa entretanto arrasada e que espreitava para a praça que hoje ostenta a sua figura de bronze em expressivo gesto".  

"Não enlevava os ouvidos, nem arrastava os ânimos com as torrentes da eloquência. Persuadia ou desarreigava! A frase quase nua e correcta, toda luz e força, partia directo ao alvo e feria-o no centro. Revelando todo o pensamento detestava as ampliações retóricas e os artifícios supérfluos. Não ornava a verdade: dizia-a". (Rebelo da Silva)  

A Figueira é o berço do Patriarca da Liberdade e uma Terra aberta e disponível para a democracia.
243 anos depois do seu nascimento, como entender que tivesse sido imposto por um executivo camarário PS, com maioria absoluta, tendo como presidente de Câmara o Dr. João Ataíde, reuniões camarárias realizadas à porta fechada?.. 

À sombra dos privilégios ...


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Sondagens, estudos de opinião e comentadores ...

"PS sobe apesar de Sócrates". 
Em Portugal, ao longo dos anos, têm existido para quem acredita na democracia participativa, pelo menos, dois grandes adversários a vencer em eleições: o triunfalismo (sugestionado pelas "sondagens", "comentadores" e outros "estudos de opinião". Os portugueses não podem esquecer que os votos não estão nem nas "sondagens", nem nos "estudos de opinião" e, muito menos, nos "comentadores"Votar, é uma escolha dos portugueses.e a abstenção (ir votar, isto é, combater a abstenção, significa ultrapassar o apatia de que "já está tudo decidido" e que "não vale a pena")
Claro que vale a pena votar. 
Nada, mesmo neste País, está decidido para sempre. 
Tudo vai sendo decidido em cada dia que passa.
E tudo depende de nós.

No Natal, o meu estado de espírito costuma ser como o do peru: passar tormentos (por se ter transformado num ritual que, duvido, a maioria dos católicos perceba...)


Bem prega frei Costa...

No fundo, como o passado nos ensina, portanto, facílimo de prever, vai ser isto: 
- Até às eleições, Costa afasta alianças à direita e quer partidos à esquerda na "solução"... 
- Depois das eleições, Costa, conforme já disse a Passos, defende "projecto comum" pós-eleitoral...
A malta, espero, já sabe do que a casa gasta.
Recordemos que em 2005, a maioria absoluta do partido socialista, foi conseguida à custa de um conjunto de promessas que, mesmo antes das eleições, já se sabiam ser impossíveis de concretizar. 
Há três anos, esta maioria PSD/CDS fez o mesmo...
Por isso, Costa,  agora, antes das eleições, quer mostrar que é diferente...
Pois é: e depois das eleições?..
Eu já sei o que vai acontecer se Costa ganhar com maioria absoluta. 
E também já sei o que vai acontecer se Costa ganhar com maioria relativa.
É simples: mais do mesmo.

No país de doutores e engenheiros!..


Cerca de 100 funcionários das Finanças poderão ser investigados pela Autoridade Tributária por terem consultado, sem autorização, dados fiscais do primeiro-ministro e do ex-líder do Governo José Sócrates. 
Os funcionários que consultaram informação fiscal sujeita a sigilo trabalham em repartições e serviços de Finanças de vários pontos do país, tendo alguns deles já sido ouvidos pelo núcleo de auditoria interna da Autoridade Tributária (AT), apurou o JN junto da Direção de Serviço de Auditoria Interna (DSAI). 
Agora, o fisco investiga funcionários que terão consultado dados de Passos Coelho...

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Ídolos...


Comissão ouve Morais Pires. Audição ao “génio financeiro do BES”...

Manoel de Oliveira - 106 anos!..

Um provérbio chinês enriquecido: quando o leopardo morre, deixa a pele; quando o homem morre, deixa a sua reputação - quando o banqueiro do regime morre, deixa a sua “narrativa”...

... “a pele de Ricardo Salgado”...

O Joaquim Namorado

"Joaquim Namorado, de que em 2014 passa o centenário de nascimento, foi uma personalidade singular e cuja influência a vários níveis ultrapassou muito o que resulta da sua obra como escritor. No próximo sábado, 13, inaugura-se uma exposição que assinala a efeméride do autor de Incomodidade.  Que bem merece, por vários motivos ser recordado.

O seu estilo muito próprio, amiúde "provocador", por vezes (para alguns) insuportável, escondia um homem não só muito inteligente, como muito humano e sensível. E a sua gritada ortodoxia, que as mais das vezes era outra forma de provocação (numa entrevista ao Expresso, após o 25 de Abril, até se declarou "estalinista"...), não tinha correspondência com a realidade: era desalinhado e incómodo, tanto ou por vezes tão surpreendentemente que talvez por isso não tenha, que eu saiba, desempenhado ou sequer sido convidado para qualquer relevante cargo público ou partidário." 

Extractos do Editorial do JORNAL DE LETRAS ARTES E IDEIAS desta semana, assinado pelo Director José Carlos de Vasconcelos

Alerta, também, fora da Comporta?..

Machado da Cruz, ex-contabilista do BES, que até agora era dado como desaparecido, contactou o presidente da comissão de inquérito ao caso BES, disponibilizando-se para ser ouvido no Parlamento.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Coimbra perdeu encanto



Morreu Fernando Machado Soares, o cantor e compositor, autor de uma das mais famosas canções da música portuguesa, "Balada da despedida", cujos primeiros versos dizem assim: "Coimbra tem mais encanto / na hora da despedida"
Tinha 84 anos.

Era uma vez "o BES para criancinhas"...

... "sobre Ricardo Salgado, e o que eu queria saber não inclui o que ele diz que pensa. Noto que se defende em liberdade, ao contrário de tão boa gente, e que entra no parlamento pelo portão da residência oficial do primeiro-ministro." 
... "Ricardo Salgado continua a ser o dono disto tudo, dantes comprava-os com dinheiro, agora compra-os com o medo de dizer quanto lhes custaram.

Hospitais...

foto de António Agostinho sacada daqui
O Hospital de Santo António (Centro Hospitalar do Porto) é o melhor entre os grandes hospitais públicos portugueses, de acordo com um ranking divulgado ontem
Nas outras categorias, foram premiados os hospitais de Santa Maria Maior (Barcelos), Espírito Santo (Évora), o Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga e a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano.
Entre os hospitais de nível B, o de Barcelos foi premiado, suplantando os Hospital Distrital da Figueira da Foz e o Centro Hospitalar de Póvoa de Varzim/Vila do Conde, que também estavam nomeados.

Depois do dia mais longo...

Salgado atacou o Banco de Portugal, pôs em causa idoneidade do primo e «está de consciência tranquila». 

Ricciardi, ripostou que insinuações de Ricardo Salgado são uma "infâmia". 

Cavaco contesta que tenha influenciado compra de acções... 

A flor do entulho tomou conta disto tudo e, com um peido mal cheiroso, arrasou com quase tudo... 

Entretanto, "Portugal tornou-se nos últimos anos um país mais desigual em termos de distribuição de rendimentos e isso danifica seriamente o crescimento da economia, assinala a OCDE, num conjunto de estudos hoje divulgado. Por exemplo, o rendimento dos 10% mais ricos é hoje dez vezes superior ao dos 10% mais pobres."

A culpa é do contabilista!.. O resto é conversa da treta...

Assembleia dos Pescadores Portugueses da Arte-Xávega mostra a insatisfação e indignação dos homens do mar pelo desinteresse a que está votado o sector

No passado dia 6 de Dezembro, realizou-se na Praia da Vieira, convocada pelo respectivo presidente, o pescador José Vieira da Praia de Mira, a assembleia, a nível nacional, da Associação Portuguesa de Arte-Xávega, a associação que reúne os pescadores portugueses da "Pesca de Cerco e Alar para Terra" ("Arte-Xávega"). 
Como convidado, participou também  Alfredo Pinheiro Marques, director do CEMAR-Centro de Estudos do Mar, a associação científica sem fins lucrativos que, desde há dezoito anos (1996), a partir da Foz do Mondego e da Praia de Mira, se dedica especialmente ao estudo, apoio e divulgação da "Arte" ("Arte-Xávega") e das comunidades de pescadores portugueses que a praticam: os Homens e Mulheres que, desde há séculos, heroicamente, conseguem dar remédio à sua pobreza pescando na rebentação (surf), na rebentação assassina do mar mais difícil do planeta, o Atlântico Norte, sem utilizarem quaisquer portos (!), e simplesmente praticando a sua dura faina - uma faina de vida e de morte… - a partir das próprias praias (a partir das praias de areia fina do Extremo Ocidente peninsular, as praias das "terras de Espanha, areias de Portugal"). 
Nesta assembleia, que teve como entidade anfitriã a Junta de Freguesia da Vieira de Leiria, e para a qual havia sido especialmente convidado, e interveio, também, o deputado local ao Parlamento português, da Vieira de Leiria (Marinha Grande), João Paulo Pedrosa, os pescadores portugueses da Arte-Xávega manifestaram a sua insatisfação, desilusão, impaciência e indignação pela demora da implementação concreta das medidas legais com vista ao reconhecimento, salvaguarda e valorização deste tipo específico de actividade marítima, tão produtiva e tão cultural, que é a Arte-Xávega: um tipo de Pesca que, na verdade, desde há muito, secularmente, se tornou identitário de Portugal, do "Mar Português", e da familiaridade dos Portugueses com o Oceano; e que, por isso, ainda hoje, no presente, apesar da agonia em que se encontra, constitui uma realidade económica e social bem viva, e que merece ser preservada, para bem da Identidade Nacional de Portugal. 
Em 6 de Dezembro de 2014, completaram-se um (1) ano, cinco (5) meses e vinte e três (23) dias desde a data de 7 de Junho de 2013, a data em que, na Assembleia da República Portuguesa, por unanimidade (com os votos favoráveis de todos os partidos políticos do espectro partidário português aí representado), foi aprovada uma "Resolução" parlamentar (a nr. 93/2013) com uma recomendação ao Governo português no sentido de que promova medidas de valorização e alterações regulamentares que permitam a salvaguarda, valorização e sobrevivência da Arte-Xávega... e completaram-se seis (6) meses e um (1) dia desde a data de 5 de Junho de 2014, a data em que foi concluído, para envio ao Governo, o "Relatório de Caracterização da Pesca com Arte-Xávega", produzido pela Comissão de Acompanhamento da Pesca com Arte-Xávega, a comissão técnica ministerial criada no âmbito do Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território do Governo da República Portuguesa (DGRM-Direcção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos), nos termos da Portaria nº 4/2013, de 7 de Janeiro, para produzir informação, estudar e propor novas soluções legislativas e económico-sociais com vista à regulamentação e à sobrevivência deste tipo de pesca artesanal e das comunidades de pescadores que a ela se dedicam desde há séculos nos litorais portugueses. 
Passado todo este tempo, parece portanto incompreensível que, perante uma deliberação política que foi aprovada por unanimidade num Parlamento nacional, e perante um relatório técnico que foi produzido por uma Comissão técnica do Estado (dois documentos que tiveram, ambos, um sentido muito claro, e cujas conclusões foram, em ambos os casos, convergentes na afirmação da necessidade de serem tomadas, e efectivamente implementadas, as medidas necessárias à sobrevivência desta pesca ancestral, produtiva e identitária), nada tenha sido feito nesse sentido, nem nada pareça estar a ser feito. 
Os pescadores portugueses da Arte-Xávega têm, de resto, entretanto, durante todo este tempo, nas galerias do público da Assembleia da República Portuguesa, e fora dela, nas ruas e nas praias, dado verdadeiros exemplos de educação e de contenção, com elevação digna de verdadeiros Secretários de Estado da Cultura, no trato com a administração fiscal e estatal do Governo português. 
Mas... o tempo passa, e a mesma realidade permanece sempre sem resolução… Quanto tempo mais vai passa?... 
Foi isso mesmo o que,  em 6 de Dezembro de 2014, na reunião nacional da sua associação representativa, com tristeza e preocupação, foi notado pelos Pescadores Portugueses da "Pesca de Cerco e Alar para Terra" ("Arte-Xávega"). 
O CEMAR-Centro de Estudos do Mar, que desde há dezoito anos os tem acompanhado na sua travessia a caminho do Futuro (e que, desde 2012, pela voz de Paulo Rocha e Alfredo Pinheiro Marques, para eles reivindicou a criação de uma candidatura a Património Cultural da Humanidade), aqui se faz eco desses mesmos sentimentos.