Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Figueira na Hora, um projecto em evolução

Desde 7 de Abril do corrente ano, a Figueira da Foz tem um inovador portal de notícias – Figueira na Hora, no  Facebook.
“Noticiar a actualidade da Figueira da Foz, divulgar os acontecimentos no concelho e contribuir para uma cidadania informada, respeitando e contribuindo para a pluralidade democrática”, têm sido os objectivos dos seus promotores e autores – Andreia Gouveia e Jorge Lemos.
Desde o início tenho acompanhado  o Figueira na Hora.  
Por isso, tenho constatado que tem abordado diferentes temas sobre o dia a dia, sobretudo, da Figueira e do seu concelho (política, entretenimento, desporto,  ambiente,  educação, cultura, etc.), sempre de forma aberta e pluralista, permitindo também ampla participação dos leitores, que além de comentarem os textos do portal, podem sugerir temas e assuntos.
Fica o convite: conheça o Figueira na Hora,  um projecto em evolução, a partir da sua página do Facebook, para os figueirenses e com os figueirenses, pensado e feito  por jornalistas profissionais que amam o nosso concelho  e querem contribuir, com o seu trabalho competente, para que a Figueira continue a ser um óptimo lugar para se continuar a viver.

É a vida...

Passos Coelho,  incomodado por  Jerónimo de Sousa  o ter acusado de favorecer os grandes grupos económicos, em detrimento dos cidadãos, a propósito dos muitos sacrifícios a estes exigidos, versus os benefícios fiscais aos primeiros (as políticas do Governo  só “servem os grandes”, como por exemplo as ajudas à banca, em especial ao Banif, que mais tarde Passos Coelho não excluiu poder vir a ser um novo BPN...) terá tentado negar.
Contudo,  não foi feliz na escolha das palavras.
No mínimo, foi curiosa a afirmação, ainda que irreflectida, de Passos Coelho ao dizer: “Ó sr. deputado, eu não tenho amigos”.
“Não admira!”... É de crer, mesmo, que tenha muitos inimigos...
Aliás, tudo tem feito para que isso seja uma realidade incontestável.
Já agora:  a mim, Passos Coelho nunca me enganou. 
Porém,  tenho a certeza absoluta de que terá enganado muito boa gente que nele votou...

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Mais sacrifícios porquê, para quê e (mais uma vez) por quem?..

Dívida pública atinge 131% do PIB e é a terceira maior na Europa...


A famosa entrevista de Sócrates...

Já não compro o Expresso há muitos anos. Mas, ontem, um Amigo com quem almocei trouxe-me a revista para eu ler a tal famosa entrevista. Esta manhã comecei a ler. Parei quando cheguei aqui:
"Antes da minha tomada de posse, o Santana recebeu-me. Fui lá e disse-lhe: você desculpe, mas a nossa relação pessoal não existirá mais.  Na televisão, insinuou num debate que eu era homossexual, queria que dissesse que era, era isso isso que ele queria. O bandalho! E com o Diogo Infante, pessoa que nunca conheci nem falei na minha vida! Sabe donde vem isso? Namorava com a Fernanda (Câncio) e ficava muitas vezes em casa dela..."
A meu ver, um político que fala sobre os dias em que ficava à noite com a ex-namorada,  em casa dela, deixa muito a desejar como homem...
Sobretudo, quando ousa falar sobre isso, apenas,  para provar que não é homossexual...

Efectuada uma pesquisa aprofundada aos fenómenos mais insólitos da sociedade portuguesa, o resultado não se fez esperar...

“O Gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro contratou dois jovens de 21 e 22 anos para acompanhar a execução de medidas do memorando de entendimento com a troika.“
Mas, há mais...
Isto, comparado com isto, é uma mera brincadeira de cachopos!..

«O Rio Mondego e a Sua Navegação -- da Beira Alta a Coimbra e Montemor… e ao Mar e ao Mundo...».

Ontem, na sede em Coimbra da empresa «Águas de Coimbra», a convite da respectiva administração, o director do CEMAR-Centro de Estudos do Mar, Alfredo Pinheiro Marques, proferiu uma conferência sobre este tema.

Recebido por mail.

Os devoristas

"O Governo de Portugal e o Governo da Europa perderam o contacto com os seus cidadãos. Para quem não desiste da sua cidadania, outrossim dela faz alimento da alma, a raiva e o desespero dominam. Só me contém a noção dos meus limites e da minha mortalidade. Mas sofro. Sofro com tantos que sofrem às mãos de devoristas.

O pior de Portugal não é a dívida em si. É o que foi feito com a dívida contraída. Não edificámos com ela uma economia competitiva e produtiva. Não tornámos sustentável um débil Estado social, que agora soçobra às investidas dos devoristas. Instituímos, tão-só, um perene cartão de débito internacional, que alimenta a sofreguidão da “mercadotecnia” dominante. Até o presidente da República traveste, de modo repugnante, o juramento que fez em mercantilismo primário, anunciando que a constitucionalidade ou não do orçamento não é assunto de Direito, mas de custos. Para ele, o mais honesto entre os honestos, os compromissos de honra prescrevem se os custos forem altos.

O orçamento do Estado para 2014 é de uma desumanidade aviltante. A chamada consolidação orçamental proposta soma mais 3.900 milhões de euros aos 15.000 dos últimos dois anos. A simples papel molhado ficaram reduzidos os pronunciamentos de Paulo Portas, que garantiu não vir mais austeridade. Desta feita, a “revogação” vale 612 milhões de euros. Coisa pouca. Depois de ter pulverizado a classe média e aumentado exponencialmente o desemprego e a emigração dos mais preparados, Passos Coelho investe agora sobre os salários de 600 euros mensais. O Governo de Portugal e a “troika” que ele representa, que não o povo, que devia proteger, têm a mesma atitude perante os portugueses que os donos mantinham relativamente aos escravos: então, alimentavam-nos minimamente para que pudessem trabalhar; agora, permitem-lhes que vivam para pagar impostos. Não terminará bem esta negação da realidade. E já que terá de vir a explosão social, é duro dizê-lo, mas que não tarde. Basta!"

Santana Castilho - Professor do Ensino Superior. Para ler o texto na íntegra, clicar aqui.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Na despedida dos 100%

foto Pedro Agostinho Cruz
Caros Amigos

Chegou ao fim o mandato que o Movimento Figueira 100% há quatro anos se comprometeu perante os figueirenses levar até ao fim, de forma empenhada, na constante defesa dos interesses de todos, com sentido de responsabilidade, na Câmara e Assembleia Municipais e nas freguesias.

Quero, na qualidade de presidente em exercício da Associação que teve origem no movimento, agradecer a todos a disponibilidade com que se empenharam ao longo do mandato e que permitiu atingir o inegável sucesso do projecto. Agradecimentos que se estendem também aos nossos apoiantes e eleitores que nele acreditaram.

É certo que o mesmo não teve sequência. Não importa agora dirimir as razões pelas quais o Movimento não se apresentou de novo às eleições, pese embora a conjuntura favorável que o poderia ter determinado.

Sem que tal fosse um objectivo ou que constituísse uma intenção, não tenho dúvida que a história política da Figueira da Foz referirá no futuro esta nossa participação cívica.

Estou certo de que cada um de nós continuará a participar com o mais elevado espírito de cidadania nas iniciativas que cada um entenda servir os interesses da cidade e do concelho.

O futuro é desconhecido. Não sabemos o que virá.

Quem sabe se de novo cá estaremos noutra ocasião, com a mesma atitude cidadã, em espírito de serviço, para participar também com o nosso contributo para uma melhor Figueira da Foz.

Um grande e sentido BEM HAJAM a todos.


Daniel Santos

Cruz Vermelha da Figueira sem mão a medir para ajudar famílias carenciadas do nosso concelho



Cortes, que nos querem fazer crer que são "poupanças"...

Salário 2013 (7h)
Salário 2013 (8h)
Salário 2014 (8h)
Corte real (€)
Corte real (%)
620,00 €
708,57 €
603,66 €
-104,91 €
-17,4%
800,00 €
914,29 €
769,14 €
-145,15 €
-18,9%
1.000,00 €
1.142,86 €
947,86 €
-195,00 €
-20,6%
1.500,00 €
1.714,29 €
1.370,79 €
-343,50 €
-25,1%
2.000,00 €
2.285,71 €
1.760,00 €
-525,71 €
-29,9%
3.000,00 €
3.428,57 €
2.640,00 €
-788,57 €
-29,9%
4.000,00 €
4.571,43 €
3.520,00 €
-1.051,43 €
-29,9%
E não vão ficar por aqui...

E que tal dar aos gases o verdadeiro nome...

"Já imaginou uma vaca de mochila às costas? E com um tubo ligado directamente a um dos seus quatro “estômagos”? É precisamente isso que uma equipa de cientistas argentinos pretende fazer, para recolher os arrotos das vacas. Tudo para ajudar a reduzir os gases com efeito de estufa emitidos pelos bovinos." - (via Público)

Em tempo.
"Arrotos? Arrotos saem pela boca. Neste caso, os gases saem pelas traseiras. São as peidocas, caro jornalista. Vamos chamar as coisas pelo nome!" - (comentário de um leitor)

Ontem, no Prós e Contras...

Jorge Reis Novais, Professor Associado do Instituto de Ciências Jurídico-Políticas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa deu, ontem à noite na RTP1, em horário nobre, uma aula de Direito Constitucional e Direitos Fundamentais aos "meninos" João Almeida (deputado do CDS/PP) e   Ricardo Arroja (aprendiz de feiticeiro)
Espero que tenham aprendido alguma coisa, pois o Professor não vai durar sempre...

Aviso laranja

Chiça...
Não pára de chover!

Estes publicitários são cá uns exagerados!..

«A CGTP deu aos portugueses heroína e agora quando quer dar a cocaína já não consegue criar excitação». 
(Marcelo Rebelo de Sousa, naquela coisa da TVI, terminando a declaração com o seu mais alucinado sorriso, de olhos esbugalhados e boca aberta, mimando o espanto do sábio de depara com a Verdade).
A elegância da palavra! A profundidade da metáfora! A agudeza da análise! Olhai a grandeza de Marcelo, o que lê dois livros por dia (garantem os que, nunca tendo lido um livro, não medem bem o disparate), o que dorme duas horas por dia (uma por cada livro), o campeão do apotegma saloio, o intelectual orgânico da direita rastejante.
Via Aventar

RAPAZES MODERNAÇOS...

No passado sábado, no Fogueteiro, Seixal, apanhei com um fulano destes num restaurante, à hora de almoço, na mesa ao lado!.. 
Mais motivado fiquei para a travessia da Ponte 25 de Abril.
Reformados? Cortem nessa cambada de inúteis que andam a viver à custa do orçamento”; “viúvas? A tomarem chá das cinco e a receberem o dinheirinho ao fim do mês”; “greves? Lá vem essa seita de gente bem remunerada a dar cabo da economia do país. Vejam lá se os desempregados fazem greve?”; Tribunal Constitucional? Bando de socialistas e comunistas que não querem perceber que não há dinheiro para pagar luxos”. 
Estes rapazes nasceram fora do seu tempo. Se tivessem nascido há 60 ou 70 anos não precisavam de gritar, como gritam. Viviam na paz e no sossego do seu “ambiente natural”.