Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Uma campeã nacional da Cova-Gala

Foto sacada daqui
Via marcha do vapor, fiquei a saber que “a Câmara Municipal da Figueira da Foz reuniu no Auditório do Museu Municipal os atletas campeões figueirenses que durante o ano de 2008 se sagraram Campeões Nacionais ou tenham obtido qualquer um dos outros lugares do pódio em competições nacionais.”
Na oportunidade, “258 atletas foram galardoados, sendo 92 com estatuto de Campeões Nacionais, 99 segundos lugares e 67 terceiros lugares.”
Ana Mendes, Campeã Nacional de "Karate Point", no escalão de Infantis Femininos em representação do Desportivo Clube Marítimo da Gala, foi uma das atletas distinguidas pela autarquia figueirense.
Outra Margem felicita a atleta e o Clube.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

“Super optimista e irrealista estimativa”....

Os botes da minha Terra

"FALTA DE SEGURANÇA NA PONTE DOS ARCOS" já chegou aos jornais

Foto Cova d´Oiro
Depois dos blogues (aqui, aqui e aqui) terem alertado para o problema, e depois do assunto ter chegado a reunião de Câmara, por iniciativa do vereador do PS, João Vaz, hoje é a vez do jornal as Beiras:
“A travessia sobre o braço Sul do Mondego é um lugar perigoso para quem anda a pé.”
Recorde-se, que a primeira vez em que o problema foi levantado publicamente, foi no próprio dia da inauguração (27 de Outubro de 2008), aqui no Outra Margem, por um comentador:

“Será que ainda não repararam que os passeios da nova ponte vão dar a lado nenhum?
Quem vem a pé da ponte Edgar Cardoso, como pode aceder aos passeios, sem ter de andar pela berma da faixa até perto do tabuleiro e saltar as protecções metálicas?
Esqueceram-se dos peões, o passeio no tabuleiro é para os pescadores de cana que brevemente voltaremos a ver no local."


X&Q539


Um mito?

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Dizem que lá por Lisboa...





... a Comissão Política do PPD aprovou o nome de Santana Lopes como candidato à câmara!...
E porquê?..
Simplesmente, porque Santana Lopes é o melhor que o PSD tem para candidatar ao lugar.
Ponto final.

Rosadinho&Coradinho 11


Os botes da minha Terra

Plano de Urbanização: próximos capítulos só em 2009





O Plano de Urbanização, era para ter ido na passada segunda-feira a votos na reunião de Câmara...
Mas, foi retirado da agenda da sessão camarária, nesse dia, pelo eng. Duarte Silva...
Sendo assim, já não vai dia 22 à Assembleia Municipal ...
Janeiro, próximo, será o mês da solução final?..
Afinal, tanta, tanta pressa, porquê?..
Afinal, tanta, tanta pressa, para quê?..

2009 é outro ano...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Não sou pessimista, mas...

Desde pequenino que me dizem que “o trabalho dá saúde”.
Mas, com um desemprego tão elevado e um Serviço Nacional de Saúde tão cheio de problemas, que futuro espera os portugueses?..

X&Q536


Cova

Como teoria de senso comum, poderíamos avançar com o argumento: a Cova-Gala é o sítio onde vivem os covagaleneses.
É claro que, por si só, esta tese não é válida, pois na Cova-Gala não vivem só covagalenses.
A Cova-Gala é um sítio, portanto, um espaço.
Esta tese merece algum interesse. No entanto, não será só o espaço e o sítio que definirá a Cova-Gala.
A Cova-Gala, é um território que constitui uma unidade cultural e política, espaço demarcado dotado de uma idiossincrasia própria, herdada pelo passado.
"As pequenas povoações piscatórias eram caracterizadas por construções primitivas de madeira, erguidas por estacaria e denominadas de palheiros. A pesca foi a actividade principal destas populações. A necessidade de não se distanciarem do mar obrigava-as a construções adaptadas às condições de instabilidade do terreno para vencerem a dinâmica litoral inerente à acção dos ventos e do mar. A povoação Cova de Lavos foi um exemplo típico desse tipo de aglomerado de palheiros. Hoje apenas denominada de Cova, a povoação lembrava uma aldeia lacustre construída sobre uma depressão dunar, em frente ao mar.
Os palheiros da Cova, disseminados por vezes em arruamentos, foram sempre de forma rectangular e chegaram a totalizar as cinco centenas de habitações."

Os botes da minha Terra