Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

sábado, 9 de dezembro de 2006

Cantar as janeiras por solidariedade



Um grupo, em que alguns dos componentes são já veteranos, anda a cantar as janeiras há anos pelas mais diversas causas, como por exemplo, pela Cercifoz ou pelas vitimas dos incêndios de 2003.
Este ano, aí estão de novo, desta vez para arranjarem fundos para o Centro Social S. Salvador em Maiorca.
Contando com a solidariedade de quem os ouve, apresentam 3 canções de Natal, com duas das letras da autoria de um dos componentes do grupo, suportadas com músicas conhecidas. A actuação acontece em restaurantes, cafés, colectividdes ou em casa das pessoas que os quiserem ouvir e dar a sua contribuição para uma causa, que é sempre, disso ninguém duvida, uma causa justa.
Começou ontem e prolongar-se-á até ao próximo dia 6 de Janeiro.

Formação do Cova-Gala: resultados


Escolas :

Tocha 2 / Cova-Gala 2

Infantis:

Touring 0 / Cova-Gala 11

quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

PARA “NASCER NA FIGUEIRA”

Ficaram as URGÊNCIAS!..


Encerrou o BLOCO DE PARTOS ....

(Ver notícia desenvolvida no www.diariocoimbra.pt)

Tenham um bom dia




Que desejar neste dia?
Simplesmente, tenham um bom dia...

Olhe, senhor poeta,
Está com dificuldade em rimar?
Então, simplesmente vá-se catar...

Não seja pateta,
Apesar dos azares
Conserve o bom-humor
Não faça esgares,
Creia no pai natal e no amor

Olhe, senhor poeta
Em linguagem discreta
Para lhe agradar
Digo-lhe: continue a amar...

Isso é que é preciso!..
Portugal continua um paraíso.

Aquele pinhal e este mar


Penso que nunca conseguiria viver longe do mar.
Ainda me lembro das dunas, com samoucos e camarinhas, da minha meninice, naquele pinhal em parte já levado pela zona industrial, entre o cata-vento e a Costa de Lavos. Aquele pinhal, tal como era, já só existe dentro de mim.
Resta-me este mar, que vai da Cova ao Cabedelo, para aliviar a dor afiada.
Ás vezes, temos necessidade de nos agarrarmos a um vestígio qualquer, para suportar a melancólica travessia do nosso mundo.
Hoje, vai ser mais um dia frente ao mar.
Estou convencido, que quando fizer a viagem definitiva, este mundo pouco se importará com isso.
No entanto, este mundo jamais será o mesmo: terá todas as coisas, menos a mim.
Abandonado, então, por este meu mundo, ficarei como gosto: definitivamente só.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Iluminação


Se eu não me queimar!..
Se tu não te queimares!..
Se nós não nos queimarmos!..
Haverá iluminação?..

Em vez de maldizer as trevas,
Não seria mais inteligente acender (ao menos) uma vela?...

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Água rebelde rumo ao mar


Sou água rebelde
rumo ao mar ...


Na esquerda fica São Pedro,
o coração,
onde corre,
não sangue,
mas em torrente
um rio.


Cavado e frio...
Com gente
impetuosa,
solitária,
ardente...

Na junção com o mar,
as águas fazem lembrar...
Uma imaginária maré unida de vozes!...

Vale a pena lutar
neste mar de tinta
virtual?...

Obras da Ponte dos Arcos vão durar até ao início de 2008

O secretário de Estado adjunto das Obras Públicas, Paulo Campos, garantiu que a obra de duplicação da ponte da Gala, mais conhecida como ponte dos Arcos, na freguesia de S. Pedro, vai estar concluída no início de 2008.
A declaração do secretário de Estado aconteceu no decorrer da visita que ontem realizou ao local da obra.
Há que esperar para ver.

Câmara da Figueira já tem orçamento para 2007

Foto Figueira.net

- Orçamento camarário aprovado com o voto de qualidade de Duarte Silva

- Paulo Pereira Coelho "saiu" da sala no momento da votação

- Vereadores do PS votaram contra

- Orçamento da Figueira Domus foi retirado da agenda

- Habitação Social vai ser repensada

(Ler notícia desenvolvida em http://www.asbeiras.pt/?area=regiaocentro&numero=36189&ed=05122006)

domingo, 3 de dezembro de 2006

Cova-Gala 1 / Águias 2


Complexo Desportivo do Cabedelo

Árbitro: Freitas da Costa
Auxliares: Jorge Rodrigues e Álvaro Martins

Bolas; Ruizito (Ivo Cruz aos 22 m), Copimho, Hugo, Dani (Mané aos 69 m), Pedro Mota, Tó Jó (Paulo aos 46 m), Alex, Ivo, Rui Camarão (cap.), Lambreta

Suplentes não utilizados: Rui, João Tiago e Pedro Fernandes

Treinador: Carlos Silva

Jorge; Hilmo, João Barbeiro (cap.), Tiago (Filipe aos 15 m), Rogério, Andrade, Carvalho (Pedro Nuno aos 75 m), Hermano, Vasco, Humberto e Nuno Sousa (Hélio aos 59 m)

Suplentes não utilizados: Samuel, Raul, Melo e Pimpão

Treinador: Paulo Santos

Resultado ao intervalo: 0 – 0

Resultado final: 1 – 2

Golos: Humberto aos 50 m; Carvalho aos 55 m; Mané aos 80 m

Dsciplina:
Amarelos: Pedro Mota (9 e 58 m); Rogério (41 m); Hilmo (57 m); Dani (68 m); Hélio (70 m); Jorge (88 m) e Copinho (aos 95 m)
Vermelhos: Pedro Mota


Depois de uma primeira parte que terminou com uma igualdade a zero, o jogo ficou praticamente decidido logo nos primeiros minutos da segunda metade, com o Águias a marcar dois golos de rajada, aproveitando dois erros defensivos da equipa da casa, aos 50 e 55 minutos.O Cova-Gala, mesmo a jogar com dez, após a expulsão de Pedro Mota aos 58 minutos, reagiu e reduziu a desvantagem com um golo de Mané aos 80 minutos.

sábado, 2 de dezembro de 2006

Amigos da Figueira angariam dinheiro para a Cruz Vermelha


Vanessa Reboca
http://www.ojornal.com

NEW BEDFORD - Os Amigos da Figueira organizaram sábado passado no Clube dos Pescadores o seu XIX convívio anual com a finalidade de reunir pessoas oriundas da Figueira da Foz e angariação de fundos para uma instituição daquele concelho com necessidades financeiras. Cerca de 220 pessoas compareceram ao evento, no qual decidiram qual o destino a dar às verbas angariadas naquele convívio. Um boletim de voto foi entregue às pessoas na entrada do salão para determinar a sua escolha. Os fundos angariados reverteram a favor da Cruz Vermelha da Figueira da Foz, instituição de cariz humanitário, não governamental e de utilidade pública que foi votado de forma unânime pelos presentes. A Cercifoz ficou em segundo; o Lar de Lavos e o Jardim de Infância São Pedro de Buarcos ficaram em terceiro e quarto lugares, respectivamente. O entretenimento ficou ao cargo do DJ JTJ Productions que fez com que os figueirenses dessem o seu pé de dança até à uma da manhã. Foram também sorteadas rifas nas quais foram atribuídos os prémios que consistiam numa viagem a Portugal oferecido pela Azores Express, um certificado de $300 da companhia Pavestone e um leitor de DVD presenteado pelo North End Stereo. Houve também espaço para o sorteio de mais rifas (chinese auction) com ofertas de outras companhias portuguesas que quiseram prestar o seu contributo à festa. Quando este convívio começou há dezanove anos com um grupo de amigos imigrantes da Figueira da Foz, o objectivo era meramente uma oportunidade de se reunirem, disfrutarem a gastronomia e música popular portuguesas. Contudo, os lucros obtidos nesse primeiro convívio foram destinados a uma instituição humanitária daquele concelho e a partir desse ano, todas as verbas angariadas pela Comissão dos "Amigos da Figueira" têm como fim uma organização de caridade que necessite de ajuda monetária. Ao longo de quase duas décadas a Comissão doou aproximadamente $50,000 a instituições do Concelho da Figueira da Foz e o ano passado $4000 foram presenteados aos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz. A Comissão dos "Amigos da Figueira" constituída por 14 elementos naturais daquele concelho pretendem perpetuar o evento e transmitir a cultura e valores às futuras gerações. "Mais uma vez, este ano, queremos angariar fundos para doar a outra instituição de caridade da Figueira da Foz," afirmou Ana Lúcia Lima, membro da Comissão dos Amigos da Figueira. "A Comissão agradece a todas as pessoas que contribuiram com uma pequena ajuda para auxiliar não só aqueles que precisam, mas também para continuar com uma tradição que pretendemos transmitir aos nossos filhos." Sem o apoio de empresas, barcos de pesca e individuais este evento não se podia realizar, disse ela. Para o ano fica a promessa de uma Festa da Figueira mais arrojada para celebrar os 20 anos do convívio.

Formação do Cova-Gala: uma vitória e uma derrota frente à Académica


Infantis

Cova-Gala 6–Académica “C”-1

Complexo Desportivo do Cabedelo
Árbitro: Alberto Caixeiro

Cova-Gala: Pedro Duarte; João Carlos; João Manuel; Pedro (cap.); João Pedro; Paulito; Carlos Daniel; Zé Pedro; Fredy; Carlitos; Hugo e André

Treinador: João Camarão e Rui Camarão

Académica: João; Fábio; Tiago; João Nuno (cap.); Igor; Gonçalo; Rafa; Luis; João Patrício; Travassos e Maurito

Treinador: Celso

Resultado ao intervalo: 0 – 3
Resultado Final: 6 – 1

Golos: Zé Pedro ( 3,16, 52 e 56m); Paulito (25m); Carlos Daniel (48m) e Luís(57m)






Escolas:
Os escolinhas do Cova-Gala deslocaram-se a Granja de Ança, onde foram derrotados pela Académica “C” por 4 bolas a 1.

Sorria, está em Portugal!

O mundo está perigoso.
Portugal está na paz dos anjos: o Presidente da República está encantado com José Sócrates.
.
Está descoberto o maior enigma da política portuguesa: José Sócrates tem ideologia.
“dinamancólogo” nos dias pares e “finlandista” nos dias ímpares.
.
Vem aí mais um referendo sobre o aborto.
.
Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, foi eleito “europeu do ano 2006” pelo semanário European Voice.
.
Pedro Marques, secretário de Estado da segurança Social do actual governo: “este governo é marcadamente de Esquerda”.
.
Entre ser pobre e mal agradecido, ou rico e irreverente, preferiu ser completo, verdadeiro e livre.
.
Lavos e Vila Verde mantêm um braço-de-ferro por causa da Morraceira.
As duas autarquias afirmam ter documentos que sustentam a soberania da ilha.
A Ilha da Morraceira, até prova em contrário, pertence a Vila Verde, afirma o presidente da junta, João Carronda. Para ser mais preciso, João Carronda esclarece que a maior parte da ínsula tem soberania vilaverdense.
“Temos um documento que nos permite afirmar que a ilha nos pertence”, assegura, por sua vez, Isabel Oliveira, presidente da junta de Lavos. “De forma alguma abdicaremos da soberania da Morraceira”, reforça ainda a autarca em declarações ao jornal “As Beiras”.
Quanto à menor parte, ao que parece, é que ninguém tem dúvidas: pertence a S. Pedro.
.
Que final há-de dar-se a este texto?
Romântico? Clássico? Regionalista?