"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

terça-feira, 15 de junho de 2021

Santana pode ser uma utilidade...

O PSD ao longo dos anos teve de aturar as tropelias de Santana. Apesar de Santana ter saído, a
inda não está livre dele. 
Uma candidatura presidencial com sucesso, em 2026,  é um projecto essencialmente pessoal. Ao alcance, não dos mais capazes, não dos mais brilhantes, não dos mais serenos, não dos mais lógicos, não dos mais competentes, não dos mais inidicados, mas dos mais audazes.
Não vale a pena tentar  desmistificar a trivialidade, "o tal populismo", porque é para esse lado que Santana Lopes dorme melhor.
 
O melhor que a Figueira pode ter, neste momento, é mesmo ver os pretensos candidatos irem-se chegando à frente. Está a chegar a hora de darem o corpinho ao manifesto. Agora, já é tarde para recuarem. Um pião testa-se rodopiando. Os peões testam-se e são sacrificados e comidos pela rainha.

Santana tem todo o direito de querer ser presidente da República. 
A câmara da Figueira pode ser, mais uma vez, um atalho para a concretização dos seus objectivos pessoais. Santana tem todo o direito de achar que é um bom candidato a presidente da República. Santana tem todo o direito de ocupar o espaço mediático. Santana tem todo o direito de querer ser hoje controverso e amanhã consensual. Santana tem todo o direito de achar que ser popular não é ser ingénuo. Mas, também tem de entender que nem todos os outros são ingénuos ou otários. Santana tem todo o direito de achar que este é o tempo de ir testando o caminho para tentar chegar a presidente da República. Santana tem todo o direito de pensar que falarem dele é bem melhor que falarem de Costa. Santana tem todo o direito de utilizar a Figueira como quer. Mas, também tem de ter a humildade de perceber que pode ser utilizado.

Santana tem todo o direito de dizer que foi dos primeiros a avisar que continua a andar por aí. Pelo menos, até 2026. 
Santana tem todo o direito a dizer, que se não fosse ele, hoje o presidente da câmara da Figueira da Foz, a partir de outubro, de 2021 continuaria ser  o Monteiro.
Santana tem todo o direito a dizer que o PSD vai estar melhor, distraído com ele, do que contraído com Rui Rio.
Santana tem todo o direito a usar a demagogia e os seus amigos na comunicação social nacional para fazer ruído. 
Santana tem todo o direito de pensar que eu não percebo nada disto. Mas, ninguém, nem Santana Lopes, me vai inibir de expressar a minha opinião.

A putativa candidatura de Santana Lopes à câmara da Figueira da Foz pode ser útil a António Costa e ao PS. Carlos Monteiro pode ser o sacrificado. Mas, o que vale a Figueira e Carlos Monteiro perante os interesses de António Costa e do PS nacional?
Santana, se for candidato e se for eleito presidente da câmara da Figueira da Foz, vai ser um factor de desestabilização dentro do PSD, mais concretamente à actual liderança de Rui Rio. Se não for eleito, vai continuar a andar por aí...

Isso interessa a quem? Acima de tudo ao PS e a António Costa.
E perguntarão vocês: e Pedro Machado?
Pedro Machado ao fazer o sacrifício de se candidatar não teve, nem tem, nada a perder. Se ganhar, vai ser presidente de câmara. Ponto final.
Se perder, vai continuar no Turismo do Centro até 2023. Depois, deverá ter um lugar à espera na lista de deputados do PSD à Assembleia da República.
Com a idade que tem, depois de 2 mandatos como deputado tem o problema dele resolvido.

Anda para aí uma crispação dos diabos na bolha política figueirinhas.
Não se preocupem: vai acabar tudo bem. Como sempre, para alguns. Aconteça o que acontecer em outubro próximo. Tenho pena é dos ingénuos que não se importam de ser idiotas úteis. Politicamente falando, claro.
Não vá haver para aí gente a ficar ofendida (pessoalmente) comigo.
Logo comigo, que nao faço mal a uma mosca...

Sem comentários: