.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

sábado, 30 de setembro de 2017

Num país a sério a reflexão prescindia deste dia... Penso que nos estão a contar uma grande história...

Para ler melhor, clicar na imagem. Sacado daqui.

“-A minha raça sou eu mesmo. A pessoa é uma humanidade individual. Cada homem é uma raça, senhor polícia.” (Mia Couto)

Pequenas notas de um novato ingénuo...

Hoje, por aqui, vou limitar-me a reflectir com a serenidade necessária!.. 
É uma meta que ambiciono. É um estádio superior a que almejo chegar.
Para isso, até amanhã, vou precisar de tempo para me virar para dentro.

Como é evidente, amanhã, dia 1 de outubro, vou votar.  Como parte do coletivo que decide parte do futuro do concelho e da cidade, nunca poderia ter outra posição. 
A maneira como é governada a  Câmara Municipal, da Figueira e a Junta de Freguesia da minha Aldeia, influenciam a minha qualidade de vida. 
Por isso, como sempre, vou votar. 

Como é evidente,  não apoio nenhuma candidatura eleitoral e reprovo qualquer tentativa de aproveitamento, ou manipulação, daquilo que, ao longo dos anos, vou postando no OUTRA MARGEM.
No decorerr dos meus dias, vou-me cruzando com as coisas que acontecem na Aldeia, na Figueira, em Portugal e no Mundo.
E limito-me a ir deixando por aqui o respectivo registo. 
Nada, nestes encontros, fortuitos e casuais, autoriza qualquer interpretação de apoio específico.

No fundo, como novato que sou, escrevo sobre o Tempo... 
Como ingénuo que também sou, gosto de coisas simples, como passear nas ruas da minha Aldeia e da Figueira sem notar a agressividade que tem andado no ar.
A insatisfação e as carências,  a vários níveis, das pessoas torna-as agressivas.

Como vêem não  preciso de muito. Pouco mais que nada, apenas uns passeios pela beira mar... 
Importante, é poder continuar a  sorrir à beleza que me rodeia e descobri-la nas mais pequenas coisas!
Em verdade vos digo: é um privilégio descobrir a beleza!

Não se esqueçam: amanhã, vão votar! 
Nunca falhei uma eleição... 
E, reconheço, também já votei de forma errada!
Agora, uma coisa é certa: se os figueirenses têm a oportunidade de mudar e não mudam, depois  não têm de que se queixar!

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Autárquicas 2017 - a campanha na Figueira está a aquecer na ponta final

CNE manda CMFF retirar campanha ilegal de placards colocados na marginal...
"A falta de ética e de transparência durante a campanha politica por parte da candidatura do PS foi notória. Como exemplo, entre outros, no último debate promovido pela Associação Figueira Viva, realizado no CAE, foram distribuídos jornais de campanha junto do público que foi assistir ao evento. Mas já antes, a CMFF tinha colocado uma série de placards alusivos ao Geoparque a obra feita que não passa duma mera promessa. Denunciada a situação, a Comissão Nacional de Eleições tomou, no dia de hoje, decisão acerca desse facto e ordenou a retirada dessa publicidade indevida no prazo de 24 horas".
«Na decorrência dos deveres de neutralidade e imparcialidade previstos no artigo 41.º da Lei Eleitoral dos Órgãos das Autarquias Locais, nos termos do artigo 10.º, n.º 4, da Lei n.º 72-A/2015, de 23 de julho, conjugado com o Decreto n.º 15/2017, de 12 de maio, desde esta data, encontra-se proibida a publicidade institucional por parte dos órgãos do Estado e da Administração Pública de atos, programas, obras ou serviços, salvo em caso de grave e urgente necessidade pública, sendo
a violação dessa proibição sancionável por coima de € 15 000 a € 75000, eventualmente agravada no caso de reincidência, nos termos do artigo 12.º da mesma Lei.
Da análise da documentação remetida pelo Participante e Participado, verifica-se, por um lado, que a comunicação constante no site da Câmara Municipal da Figueira da Foz e remetida pelo Participante contém dados meramente informativos para a fruição do evento, como local, horário, custo da entrada, contactos para marcação de visitas de grupos e, por outro lado, que os outdoors não contêm esse tipo de dados meramente informativos, constituindo publicidade institucional
proibida no atual período eleitoral, pelo que, fazendo parte da
exposição, como alegado pelo Participado, poderão ser integrados no espaço da mesma, mas não disseminados como anúncios ao longo da cidade.
Assim, delibera-se, no exercício da competência conferida pelo artigo 5.º, n.º 1, alínea d), da Lei n.º 71/78, de 27 de dezembro, e no uso dos poderes consignados no artigo 7.º, n.º 1, da mesma Lei, notificar o Presidente da Câmara Municipal de Figueira da Foz para:
1. Promover, no prazo de 24 horas, a remoção dos doze outdoors que se encontram disseminados pela cidade relativos à exposição dos dinossauros, bem como de outra publicidade institucional que contenha conteúdos semelhantes, sob pena de incorrer na prática do crime de desobediência, previsto e punido pelo artigo 348.º do Código Penal;
2. Abster-se de, no futuro e até ao dia da eleição, realizar publicidade institucional, relativamente a quaisquer atos, programas, obras ou serviços, salvo em caso de grave e urgente necessidade pública, sob pena de ser instaurado processo de contraordenação, nos termos e para os efeitos do artigo 12.º da Lei n.º 72-A/2015, de 23 de julho.
Da presente deliberação cabe recurso para o Tribunal Constitucional, a interpor no prazo de um dia, nos termos do artigo 102.º-B da Lei n.º28/82, de 15 de novembro.»

MURO DO CABEDELO: senhor candidato do PS - o senhor mentiu no debate ou passa-lhe tudo ao lado?

O recordar também faz parte da viagem...
João Ataíde, candidato pelo PS a presidente de câmara,  no debate entre os candidatos que decorreu no CAE: "no Cabedelo, nem muro, nem ripanço..."
para ver melhor clicar na imagem

Esta imagem, foi sacada do jornal de campanha do Partido Socialista -  Figueira O NOSSO COMPROMISSO - e está publicada na página 6.
Não é preciso ser muito arguto ou perspicaz para perceber que isto é um muro, que vai ficar na frente de mar do Cabedelo quando o projecto estiver concluído!.. 
Se não for assim, o que é que vemos? 
Eu vejo uma promessa quebrada pelo candidato a presidente João Ataíde.
Os nossos sentidos tendem a enganar-nos, se não fizermos um exame crítico. 
Não podemos aceitar, sem filtros, o que os outros nos apresentam como a verdade e que a realidade desmente. 
Para mim, não há verdades apriorísticas -  há a verdade.
Pelo exposto, no debate o candidato pelo PS às autárquicas 2017, das duas uma: ou, como político que é, mentiu.
Ou, então, o que ainda será pior e mais grave, passa-lhe tudo ao lado e não controla nada...

Neste momento, o primeiro sentimento que tenho ao ver o medo que me rodeia, é o de revolta. "É escusado, não posso ter outro partido senão o da liberdade"...

"Querem menos carros e mais bibcicletas no Cabedelo", dizem os políticos. Mas, colocaram a ciclovia a passar pela zona do Alqueidão!..

Imagem sacada saqui.
No Cabedelo, o contrato assinado permitirá proceder à requalificação da margem sul, “retirando carga automóvel das zonas mais próximas dos sistemas dunares e criando as condições para a afectação daquele território a actividades, estruturas e serviços relacionados com os desportos de onda e outros e ainda a construção de cais de acostagem para servir o trânsito regular de um barco que ligue as margens norte e sul figueirenses”.
"Querem menos carros e mais bibcicletas no Cabedelo", dizem os políticos.
Mas, conforme se pode facilmente verificar pela imagem acima, colocaram a ciclovia a passar pela zona do  Alqueidão!.. 
Por aqui se percebe que a travessia do Mondego, da margem norte para o Cabedelo, continua a ser o que sempre foi em épocas eleitorais: uma anedota (lembram-se do projecto de uma ponte pedonal na Foz do Mondego, apresentado pelo Partido Socialista, numa campanha eleitoral já lá vão uns anitos?..)
Contas feitas, o Teleférico não vai ficar só na gaveta... 
Recorde-se que a proposta do Teleférico foi apresentada pelo Arq. Miguel Figueira em 2010, tendo sido então elogiada pelo presidente Dr. João Ataíde.
Posteriormente, foi susbtituída pela possibilidade de uma ponte móvel, com custos proibitivos e difícil compatibilidade com a navegação e, depois, por um barco cuja não elegibilidade aos fundos comunitários terá deixado naufragar a ideia.
Longe dos olhares, no silêncio dos gabinetes, o Cabedelo está a ser alvo de um atentado. Se nada mais conseguirmos, não podemos esquecer o julgamento e fazer cair definitivamente a máscara dos mandantes...

Juniores, Juvenis e Iniciados desistem dos Campeonatos Nacionais...

Houve um tempo para tudo... 
Ao que tudo indicia, até terá de haver um tempo para a extinção...
A perda, qualquer que ela seja, nada tem de belo e muito menos de digno! 
O fim é sempre deprimente... 
Citando Rogério Neves: "MORREU A NAVAL 1º DE MAIO."
Nos jornais que se publicam no nosso distrito, hoje, a Naval, pelas piores razões, é notícia de primeira página.
Segundo o jornal AS Beiras, «a direção da Naval 1.º de Maio decidiu acabar com as equipas de jovens que estavam a competir nos campeonatos nacionais. As formações de iniciados, juvenis e juniores  que competiam na 1.ª Divisão vão agora deixar de existir. Ontem à noite, e após uma convocatória realizada na véspera, elementos da direção da Naval 1.º de Maio, da Naval 1893, atletas e encarregados de educação participaram neste encontro onde foi dado a conhecer que, por vicissitudes várias e diversos problemas, nomeadamente financeiros, o futuro passava pela extinção das três equipas.» 
Ao mesmo jornal «Marco Figueiredo, da direção da Naval 1893, explicou que estes jovens – que competiam nas provas nacionais – foram convidados a integrar as equipas que competem no campeonato distrital da Associação de Futebol de Coimbra para, o mais rapidamente possível, conseguiram a subida aos nacionais.»
A competição distrital  tem início a 7 de outubro. 
Na sequência desta decisão, já este fim-de-semana, as três equipas não vão comparecer nos jogos que estavam previamente agendados. 

A lista castrada, que concorre à Assembleia Municipal!..

Na vida, por uma vez ou outra, todos passamos por situações constrangedoras de que nunca mais nos esqueceremos. 
Umas, vamos recordá-las com aquele gozo distante que o tempo proporciona.
De outras nem queremos ouvir falar, tal foi o incómodo que sentimos na altura!
É assim na vida. E é assim na política.
Esta lista,  faz lembrar aquela funcionária que quer fazer uma tatuagem com uma  borboleta, mas tem que fazê-la numa parte escondida do corpo, porque o patrão não gosta...
Como não consegui encontrar fotos, ficam os nomes... 

À espera do Bypass...

Via SOS Cabedelo

Espectáculo evocativo da música de Leonard Cohen

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Deixem-me continuar a sonhar a partir de 1 de outubro próximo...

Analisemos pela positiva: esta gente, especialmente o presidente da câmara, conforme o que também pode ser comprovado no video que pode ser visto clicando aqui, tem ultimamente feito milagres com a minha capacidade de sonhar...
Durante os últimos meses acenaram-nos com o eldorado.
A partir do dia 1 vamos acordar para a realidade pura e dura. 
Aquela que eles cuidadosa e meticulosamente foram criando para nós. 
A partir do dia 1 vou ser eu a exigir: basta de realidade, venham mais sonhos!

Devia haver eleições, pelo menos de seis em seis meses!..

Só passei por aqui para vos informar que, hoje, num restaurante do Bairro Novo, comi umas apetitosas pataniscas, acompanhadas de um arroz de tomate e de uma salada divinal.
Tudo devidamente regado por um tinto à maneira.
No meio do repasto, fui surpreendido pela simpatia da candidatura MUDAR JÁ, em especial pela minha Amiga virtual Paula Cavaco e pelo dr. Carlos Tenreiro, que me vieram cumprimentar de forma amistosa e efusiva...
Mas, voltando ao repasto...
Já não sei onde, li que comer gorduras era mau, mas, até hoje não deixei de comer. 
Também sei que fumar é mau e deixei de fumar. 
Já quanto ao beber: li que pode ser mau, mas não deixei de beber...
Por último, li que sexo era mau e, aí, não resisti: deixei de ler...

Há dias em que me basta o difuso...

A nitidez, ofusca e perturba.
Há dias em que precisamos de desligar.
Há dias em que o fazer de conta nos acalma.
Há dias que gosto de  pensar que comando a minha vida.
O poder precisa da burocracia, para permanecer difuso e longínquo. 
O cidadão normal raramente conhece os caminhos para a solução dos seus problemas. 
O poder é aquela entidade abstracta (apesar desta democracia; e também por causa dela...), que julgamos capaz de os resolver. 
E assim ele, este poder, permanece igual a si próprio - apesar dos debates em épocas específicas, normalmente no decorrer das campanhas eleitorais, e  das sucessivas eleições.

Hoje, é daqueles dias em que não me apetece ser preciso nem concrecto.

Fico-me pelo  fumado, que deixa o fundo em que nos movemos difuso, mas  giro.
Há dois sentimentos, contudo, que nos fazem sentir vivos, como João Villaret tão bem dizia ao declamar o "Amar ou odiar", de Fausto Guedes Teixeira.
"Amemos muito, como odiamos já: 
A verdade está sempre nos extremos, 
Porque é no sentimento que ela está."

Este, porém, para mim, é já o tempo de modorra, de descanso, de contemplação. 

A temperatura política na Figueira, muito alta e sensível à humidade, apela para que se faça nada! 
Por enquanto - e este por enquanto é até domingo - vou apreciar a  calma e a ausência de stress.
Estou tão tranquilo, que nem o facto de ontem à noite no debate, andar um assessor da câmara a distribuir o jornal da campanha do PS, no interior do CAE, me perturbou (oh Fernando Pata Cardoso, sabes que até me dou bem contigo, por isso fica o alerta: não vale tudo na vida, como na política. Eu sei que tu és ainda muito jovem e não podemos entender tudo de uma vez. Temos que ir por etapas, por camadas... E temos que deixar que os saberes se sedimentem, para podermos passar à fase seguinte. Não vale a pena queimar etapas... Não resulta! Saber e compreender demora anos! Mas, quem te avisa, teu amigo é...)
Entretanto, vou olhar, sorridente,  para as cartas que me venham a  couber em sorte para as partidas de sueca que vou jogar até ao próximo dia 1 de outubro!

Estamos em tempo de colheita. O semeado está pronto para a ceifa. 

Temos muito pouco tempo - dois dias  já é um tempo muito curto -  para se poder tirar produto novo e melhor desta  amaldiçoada terra figueirense. 
Por mim, neste momento, apenas tenho a dizer,  que gosto muito de todos. 
Abraços para quem é de abraços e abreijos para quem é de abreijos.
Depois do dia 1, a vida, por estas bandas, continua normalmente... 

A abstenção não coloca em causa a legitimidade dos eleitos....

Contudo, torna-os vulneráveis,  enfraquece a consistência social e política da sua representatividade e menoriza a democracia representativa.

Crónica publicada no jornal AS BEIRAS
"Nas vésperas das eleições autárquicas, impõem-se dois ou três apontamentos sobre o fenómeno da abstenção e da dimensão preocupante que ele tem vindo a assumir aqui na Figueira da Foz, em particular – e algo paradoxalmente – no espaço urbano. 
A primeira nota que cumpre fazer é que os cadernos eleitorais estão “inflacionados”
A fazer fé no Censos de 2011 e na estrutura da pirâmide etária nacional de 2015, haverá, aqui, qualquer coisa como 2000 a 2500 eleitores registados “a mais”. 
Se juntarmos a isso algum fenómeno migratório posterior a 2011, o número poderá ainda aumentar. Mas isso, como bem se compreende, só marginalmente explica abstenções que ultrapassam os 50%. 
Uma abstenção dessa ordem de grandeza suscita duas reflexões: a primeira é benigna. 
Consiste em dizer que os cidadãos pressentem que nada de verdadeiramente essencial está em jogo e que, seja qual for o resultado, o regular funcionamento das instituições e a dotação de bens e serviços públicos se manterá.
A segunda leitura é bem mais preocupante. 
É a que diz que os eleitores se desinteressaram totalmente da vida colectiva e deixaram de acreditar na possibilidade de, através das suas escolhas, melhorar os destinos da comunidade em que vivem. 
Um cenário que coloca em risco a continuidade da democracia, arrasa com os elementos identitários de qualquer espaço, diminui, em substância, a legitimidade dos eleitos e abre, no futuro, espaço para toda a espécie de populismo e demagogia . 
No domingo, vote!"

E o dia 1 de outubro tão perto...

Não, não vou dizer em quem vou votar no próximo dia 1.
Não tenho ligação com  partido algum em especial.
Sou sim, admito, aquilo a que se costuma denominar como um animal político.
Como tal, vou votar, sabendo, com absoluta segurança, que vou continuar a viver num concelho condenado a mais do mesmo.

Na minha Aldeia não existe um executivo socialista. 
Existe um executivo que já esteve proximo do PSD, quando este partido estava no poder concelhio.
Portanto, esta Aldeia não tem um executivo PS ou PSD.
Tem um executivo que matou a ideologia - que é o  tempo que se vive a seguir à morte da ideologia e que antecede a morte matada, que é o tempo da paz podre.

A Aldeia está no tempo da paz podre, que é o tempo a caminho do caos.
O que é bom.
A seguir, há-de viver-se  de novo a ideologia, que nos trará caminhos de criatividade e inteligência que hão-de apontar as soluções que hão-de catapultar a Aldeia no caminho do verdadeiro progreso...
Pelo menos, até que se volte a matar a ideologia...

Debate entre os candidatos autárquicos...

João Ataíde, candidato pelo PS a presidente de câmara. a noite passada no debate entre os candidatos que decorreu no CAE: "no Cabedelo, nem muro, nem ripanço..."
O recordar também faz parte da viagem...

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Ironia do destino é isto...

Carrinha faz alusão à promessa de mais estacionamento na capital.

Porque hoje é o dia do turismo...

Isto é a sério!
A Figueira da Foz é uma média cidade, mas nem por isso o tipicismo está totalmente arredado. 
Pelo menos, eu gostaria que houvesse vida nas zonas mais turísticas e um convívio sadio entre visitantes e moradores, criando-se assim um modo diferente de fazer turismo...
O tipo de turismo que não me seduz é aquele que junta as pessoas em multidões onde tudo é organizado pelos outros. 
Do meu ponto de vista, nada há como sermos nós próprios a delinear o trajecto e alterá-lo ao sabor dos caprichos do momento. 
Mesmo em turismo, prezo esse sentimento de Liberdade de fazer o que me der na real gana.

Autárquicas 2017

BYPASS

A importância de esclarecer...

O grande filósofo moral do século XIX, John Stuart Mill, argumentava que devemos instituir qualquer forma de governo que produza os melhores resultados.
Apesar de Mill ter a esperança de que envolver as pessoas na política as tonaria mais inteligentes e mais preocupadas com o bem comum, afirma que algumas formas de governo podem deixar-nos estúpidos e passivos. 
No entanto, existem outras que podem tornar-nos perspicazes, exigentes e activos.
Apesar das boas intenções dos políticos, as formas mais comuns de compromisso político não só falham no enobrecimento da sociedade, como tendem inexoravelmente para a estupidificação e a corrupção.
O economista Joseph Schumpeter bem lamenta.
“O cidadão típico desce a um nível de desempenho mental inferior assim que entra no campo político. Argumenta e analisa de um modo que prontamente reconheceria como infantil na esfera dos seus interesses reais. Torna-se novamente um primitivo.”
Em 1975,  mais de 90% dos portugueses com direito a voto votou nas primeiras eleições. 
A abstenção foi de 8,5%. 
Agora, no máximo, votam 40 e tal por cento para as eleições autárquicas na Figueira da Foz!..
Por isso é que os democratas se incomodam. A política não é valiosa para a maior parte dos habitantes do concelho da Figueira da Foz.
A democracia tem os seus defeitos e mesmo os seus limites.
Uma coisa, porém, devíamos ter presente no acto de votar. 
“A tomada de decisão política não é escolher para si próprio - é escolher para todos.”

Para quem desconhece o que é o PSD antigo...

"Consideração do trabalhador como sujeito e não como objecto de qualquer actividade. O homem português terá de libertar-se e ser libertado da condição de objecto em que tem vivido, para assumir a sua posição própria de sujeito autónomo e responsável por todo o processo social, cultural e económico." 
Esta é uma das chaves para perceber o pensamento de Sá Carneiro e dos fundadores doa actual PSD. 
Não vem do marxismo, nem do socialismo, nem do esquerdismo, vem da doutrina social da Igreja tal como se materializava no pensamento da social-democracia que se queria instituir. 
Demarca o PSD do PS, do PCP mas, acima de tudo, daqueles que no lugar do "trabalhador" colocam as "empresas", a "economia", ou outras variantes de qualquer poder que não "liberta".
Este é o PSD antigo, mas esta é também a parte que não é "modernizável", numa sociedade moderna, humana, democrática e Livre.

O coreto e a cultura...

Não é difícil imaginar, mas na minha memória estão bem presentes, os espectáculos que vinham daquele coreto rodeado de gente ávida de os ver. 
Era assim, com simplicidade, que a música e a dança chegavam ao Povo. 
E, hoje, na Figueira como é? 
Hoje, há espectáculos para elites que pagam, demitindo-se o Estado, neste caso via Câmara, de mais uma das suas funções culturais.

Preocupante, não é o barulho dos sem ética e dos privilegiados... Preocupante, é o silêncio e o conformismo dos bons!..

Custa  admiti-lo, mas  o passado dos últimos 40 anos mostra que assim é, na minha Aldeia, na Figueira, em Portugal e no Mundo.
A esperança, a minha esperança, é que já tenhamos  atingido, pelo menos o extremo da degradação ética por parte de quem exerce o  poder.
Na Figueira, espanta-me e mexe comigo,  sinceramente, que a maioria do povo possa apoiar esta "maioria"
Sendo mais claro, espanta-me e mexe comigo, sinceramente, que a maioria dos  votantes possa continuar a apoiar esta "maioria", pois julgo que no máximo 3% da população seja composta por privilegiados, que (esses sim...) votam coerentemente nestes senhoritos que têm uma noção de ética política e social abaixo de qualquer protozoário!

Mas a vida é assim... Que hei-de fazer?
Pois, o mesmo de sempre: continuar a afrontar "os poderes", com os custos que quem não faz parte do "rebanho", tem de pagar...
Há linhas de que, custe o que custar, não nos desviamos. 
As normas de conduta devem, sempre, ser pautadas pela ética. 
Nesta vida de marinheiro, que passa pela análise dos comportamentos públicos dos politicos,  a moral, como capítulo (subjectivo) da Ética, não deve, nem é, para aqui chamada.

Citando Eça de Queiroz em 1800 e tal...O País perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos e os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direcção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido, nem instituição que não seja escarnecida. Já não se crê na honestidade dos homens públicos. O povo está na miséria. O desprezo pelas ideias aumenta em cada dia. Vivemos todos ao acaso. O tédio invadiu as almas. A ruína económica cresce. O comércio definha. A indústria enfraquece. O salário diminui. O Estado tem que ser considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo”.

O que mais me preocupa, pois desde então nada ou muito pouco mudou, não é nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caracter, dos sem ética, mas sim o silêncio dos bons!
Daí, nesta Figueira de águas mornas, onde a luz é oblíqua e fugaz, ser algo gratificante verificar que a vida, de vez em quando, tem dias como deveriam ser sempre. 
As sombras ficam atrás de nós, porque presumo que todos gostamos de nos dirigir para o ponto de luz. 
O passado situa-nos, mas não nos pode limitar. Somos memória que necessita incessantemente de criar novas memórias.


Daniel Santos: gostei da crónica, com a sua assinatura, hoje publicada no jornal AS BEIRAS.
Com a devida vénia, passo a citar.
"Quando, por razões de classificação profissional, voltei a debruçar-me, mais maduro, sobre as questões de Ética, distantes ficaram os conceitos académicos difusos da filosofia em geral e do pensamento de Aristóteles em particular, fez-se-me então luz sobre a profundidade da ideia que o vocábulo encerra. E de como afinal é simples estabelecer a relação com o caráter e o comportamento. O comportamento humano radica afinal numa matriz de uma composição de séculos, resultado da evolução do pensamento que, face às circunstâncias de cada momento da História, compôs a ideia do bem e do mal e moldou o nosso caráter, a que Ortega Y Gasset atribuiu a maior importância. Tem um tronco comum que, no nosso caso, será de raiz judaico-cristã. É a partir dela que se formulou o Direito, que é afinal o responsável pelas leis que nos regem, em particular, a lei fundamental, a Constituição. A Ética aplica-se então a todas as áreas em que interfere o comportamento humano: no exercício da atividade profissional, nas relações sociais, no desporto, na comunicação social, na política, mas está muito para além do Direito. Pois é no cruzamento da possibilidade de opinar partidariamente na comunicação social (o que não está ao alcance de todos), com argumentos de notória defesa de interesses partidários e exercício de propaganda, que a tentativa de influenciar os eleitores, desrespeita os valores da Ética. Nada que seja novo, é certo, mas que urge combater." 

Vamos olhar para a chuva como ela merece...

Depois do ruído da crepitação da chuva, regressa o perfume da terra lavada. 
Então não é a chuva que faz germinar os campos, que renova os rios e as fontes, que tudo prepara para que finalmente apareça o sol?
Afinal o diabo emigrou!

Carrinha do Grupo Desportivo Cova-Gala foi furtada e apareceu na zona dos Netos...

Na noite de segunda para terça, foi furtada a carrinha do Grupo Desportivo Cova-Gala.
A viatura estava dentro da garagem nas instalações da Colectividade. 
Os portões foram arrombados e foi feita uma ligação directa.
Entretanto, foi encontrada na zona dos Netos, no meio de um campo de milho.

Debate Mega Junta em video...

Sobre um mesmo acontecimento, cada pessoa que o tenha presenciado pode ter uma versão. 
É a verdade de cada um e não há que nos espantarmos com isso. 
Cada um está absolutamente convencido da sua verdade e, as mais das vezes, a verdade resulta de uma síntese das diferentes narrativas...
Eu deixei a minha verdade aqui, aqui e aqui.
A Figueira/TV publicou o video que pode ser visto clicando aqui.
Vejam e tirem as vossas conclusões, que passará a ser a vossa verdade.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Enquanto vão fritando Passos em lume brando, algumas personalidades do PSD vão dando uma mãozinha aos seus candidatos autárquicos, para evitarem ser acusados de terem ajudado à derrota?..

Nota de rodapé.
CDS à frente do PSD em Lisboa?.. 
"A dimensão dos partidos não tem comparação", disse Manuela Ferreira Leite, que esteve ontem na campanha...
Teresa Leal Coelho anunciou que, hoje, será a vez de outro ex-líder do partido, Luís Marques Mendes, se juntar à campanha social-democrata em Lisboa. 
E quarta-feira, mais um antigo presidente, do partido e da autarquia - Pedro Santana Lopes. 
"Estou muito, muito bem rodeada" por figuras do PSD, garantiu Teresa Leal Coelho.

O Esteves a jogar à defesa, foi campeão. Só lhe falhou o Éder...

Os jogadores, um a um, vistos pelo analista  Rui Caracóis Todos os Santos, outro dos enviados especiais do ANC-Caralhete News ao Debate Mega Junta

O jogo, como já vimos aqui e aqui, foi muito morno.
Caso para dizer: muita parra e pouca ou nenhuma uva.
Vamos então ao desempenho dos atletas, um a um.

O Esteves, do PS, limitou-se a a jogar à defesa.
 "Meteu o autocarro" à frente da baliza e foi campeão. 

O Baião jogou certinho. Sem nunca inventar, continua com a máquina bem oleada, como é apanágio da equipa que representa - a CDU.

O Luis Carlos, do CDS, jogou diferente, e  foi o atleta revelação.

O Pedro Oliveira do BE, demonstrou qualidades para jogar noutras ligas. 

Por último, Celso Morais, do MPT, esteve ao nível esperado: sóbrio e pertinente, demonstrou ser um bom reforço em qualquer outra equipa de poder 

A grande desilusão da noite, foi mesmo Saltão
O deslumbramento, em todas as áreas, é terrível. Na politica, é catastrófico. 
Tinha os holofotes todos sobre ele. Tem  uma equipa técnica com bons elementos, que poderia ainda ser melhor, que não soube ouvir e aproveitar. 
Assumindo ser ele a verdadeira estrela da companhia, qual Cristiano Ronaldo figueirinhas, deveria saber sobre quem recaiam as grandes expectativas da partida jogada ontem á noite, no Silva Soares.
Foi negligente na preparação e o resultado final, foi o que se viu: a montanha pariu um rato. 
Resta a Saltão, depois de 1 de outubro, acabada a época,  aproveitar para continuar a gozar a sua boa reforma de Alto Quadro da Administração Pública, sem o reforço dos dois mil e muitos euros da subvenção da Junta (dava um jeito dos diabos para umas férias nas Maldivas). 
Quiçá (e que bem que soa esta palavra proferida pelo "primo" José Esteves, citando Carlos Monteiro...), porém, todavia e contudo, nem tudo esteja perdido: quem sabe se  o Tio Santana, daqui a quatro anos, o não convida  para ser candidato à Junta do Parque das Nações em Lisboa, mais condizente com o chanel do seu guarda roupa.

Debate Mega Junta, analisado como se fosse futebol, que é aquele jogo onde se defende o negócio...

Foto José Dias, via  Rui Torres
Resultado final - "Esteves Empata jogo e Saltão sai saltinho!"
Vamos analisar o debate à Junta de Buarcos e São Julião, não politicamente, mas em jeito de crónica de futebol. 
Tivemos em jogo as equipas candidatas ao título (PS e PSD). As que lutam para não descer (CDU). E, ainda, aquelas que querem subir de divisão, ou seja, eleger pelo menos o cabeça de lista (BE, MPT e CDS).
José Esteves do PS, no poder há doze anos, quatro anos como número dois de Carlos Moço (a quem tirou o tapete - dizem) e os últimos oito como Presidente. 
Incialmente não queria este desafio, mas acabou por aceitar: ainda bem para ele e para o PS
Esteves não ganhou o debate, mas soube gerir muito bem, no seu estilo muito peculiar (tipo Jorge Jesus, com o português muito limitado e com  dificuldade na organização das ideias) o capital de vantagem de estar no poder e da conjuntura favorável da Câmara e do governo. Tentou falar  o minímo e refugiou-se no "boneco - personagem" que criou, do "coitadinho", do  "pobre pescador, descalço, que ama a sua terra, patriota porque ama a sua terra - Buarcos. Honesto e trabalhador."
Competia ao candidato João Saltão, do PSD, tomar a iniciativa e mostrar argumentos evidentes da superioridade da sua candidarura, de forma a "roubar" o "titulo" ao José Esteves. 
Porém, para além de não ter sabido explorar as fragilidades/erros de quem está no poder há doze anos, também não soube explanar as suas ideias e propostas, chegando a ser redutor e até atalbahoado
"Não lembra ao careca", parafraseando o Presidente da República, propor um gabinete de apoio só para as mulheres vitimas de violência doméstica, quando a nossa sociedade defende, e bem, a igualdade de género e quando uma em cada quatro vitimas é do género masculino. Saltão propôs também uma UNIVA - Unidade de Inserção para a Vida Activa, que era um programa do IEFP,  e já näo existe há mais de dez anos, foram substituidos pelos actuais GIP - Gabinere de Inserção Profissional, que já funcionam mas Câmaras.  
Com um curriculum académico e profissional tão vasto e profundo: alto quadro dirigente da Administração Pública, esperva-se muito mais do Senhor Engenheiro Saltão.
Notou-se não estar técnica e politicamente preparado... Evendiciou estar mal orientado/aconselhado e não foi notório só no debate,  foi uma constante em toda a campanha (ainda que continue deslumbrado, e "prognóstico só no fim do jogo", pelo seguro, é melhor comprar o champanhe depois do dia 1 de Outubro...)
António ("João") Baião, da CDU, é uma "velha raposa", tem a lição estudada, tipo relógio suiço, e tudo indica que vai conseguir ser eleito e, assim, esta força politica "não desce de divisão"
Por último, mas não menos importante, os candidatos que querem "subir de divisão", ou seja, serem eleitos, foram os "animadores" deste debate. 
Luis Carlos do CDS, Pedro Oliveira do BE e Celso Morais do MPT, todos mostraram estar bem preparados, com discursos assertivos e pertinentes
Qualquer um destes candidatos dava um excelente presidente de Junta, melhor que o actual e melhor ainda  que  o "salvador" do PSD - Saltão, que politicamente já se viu ser saltinho!  

Reportagem do repórter desportivo "Lingrinhas Pé Descalço", enviado especial ao Silva Soares do ANC -Caralhete News.

Nota de rodapé: 
E tanto que havia para explorar: cozinhas luxuosas, estátuas, anjos, pavilhões para guardar manilhas da chuva, o pinhal na praia, os continentes, rede pública de transporte, o PEDU, o campo sintéctico de futebol em Buarcos,  a aldeia do mar, a água, saneamento, etc, ...
Tanto penalti sem guarda-redes na baliza e Saltão, ingloriamente, desperdiçou todas as oportunidades ao "chutar" para a bancada!..
No final desta partida, como grande técnico de futebol, mais uma vez, José Esteves levou a água ao seu moinho...
Parabéns campeão!

Faltou debate, isto é, a discussão das propostas que cada tinha para apresentar...

Na campanha que nos há-de conduzir ao desfecho das autárquicas 2017, já vi dois debates entre os candidatos às eleições no concelho da Figueira da Foz. 
Como figueirense, tento saber o mais que posso sobre a realidade, que aliás conheço pouco, salvo aquela que entra pelos olhos dentro de quem mantém um olhar minimamente atento.
A primeira vitória de João Ataíde, há quase 8 anos, apoiou-se num princípio que se impunha: mudar as moscas e sanear as finanças camarárias. 
Foi um bom princípio, mas por ai se ficou... 
O segundo mandato, com maioria absoluta, a avaliar pelo que dizem os seus opositores e muitos figueirenses, terá sido pior do que o primeiro.
Na Figueira, a gente sabe como a cidade está e sabe também de quem é a culpa... 
Ao longo dos anos o PS e o PSD têm dividido  entre si o campeonato do “quem faz pior”
Sempre que os grandes interesses falam, a Figueira cala-se.

Vistos já dois debates (um entre candidatos à câmara; o de ontem à noite para a mega freguesia Buarcos/S. Julião) e ouvidos os candidatos, pouco ficou esclarecido.
Nas autárquicas não tenho qualquer dúvida. ..
Voto nas pessoas...
Naqueles que, do meu ponto de vista, são os mais competentes,  os mais empenhados em resolver os problemas no interesse de todos…
Resumindo: naqueles que, para mim, são indiscutivelmente os mais capazes e sérios!

Mas, como chegar aí?
Francamente não sei.
Dois debates depois e ainda não houve debate...
Tudo malta porreira, tudo gente de bem e civilizada, mas discussão política: nada, zerinhos!..
O debate de ontem à noite, foi uma pasmaceira...
Discutiu-se o sexo dos anjos e os anjos do sexo, o sexo da política e a política do sexo, o sexo da bola e a bola do sexo...
E até os cães: a sua vida, a sua morte e, até, a merda que eles fazem...
Ficou por saber, pois ninguém se lembrou desse pormenor, se um cão morto tem direito a subsídio de funeral...
Duas horas depois, ficámos sem saber o essencial: as ideias e as propostas que cada candidato tem.
Mais uma vez, José Esteves levou a água ao seu moinho...
Parabéns campeão!
A Figueira, entretanto, vai  continuar a ter problemas na habitação, na mobilidade, no associativismo, nos espaços verdades, na cultura, no emprego, no turismo (que coloca em causa coisas várias, pois a Figueira continua uma urbe impreparada para os locais quanto mais para os turistas!..), no areal da Figueira, na barra, no rio, na serra, no comércio tradicional, na desertificação do casco velho...
A parte positiva foi ficarmos a saber que o Luis Carlos conhece a mega freguesia e os seus problemas como a palma das suas mãos...
Será que vai conseguir fazer diferente?

Dêem-lhe mais um tempinho que ele deita o Passos abaixo!

Foto sacada daqui
"Santana Lopes não exclui hipótese de voltar à liderança do PSD"...
Santana Lopes sempre foi conhecido pelos seus dotes de oposicionista. 
Com o seu verbo fácil, se lhe dessem uma tribuna, era vê-lo a zurzir no poder(o dos outros, claro!). 
Estou convencido que ainda  está em forma... 

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Isto não augura nada de bom...

Não há engano: já mudámos e estamos outono!..

A luminosidade de outono é fantástica. 
Tem menor intensidade de luz e deixamos de ter as sempre evitáveis zonas de claridade e sombra demasiadamente vincadas. 
É a altura indicada para aproveitarmos o contra luz, que permite efeitos novos e lindíssimos. 
Ou para citar Teotónio Cavaco, hoje no jornal AS BEIRAS:
"Esta é a altura ideal para questionarmos se o medo ou a dúvida nos estão a impedir de realizar, de empreender, de acabar com alguns comportamentos repetitivos, de deixarmos ir aquilo que já não nos serve, porque nos está a impedir de caminhar rumo às próximas estações do nosso crescimento. 
O outono marca a transformação da vida, a reciclagem dos elementos da natureza e das emoções humanas, o início de uma fase de necessária transição."
Não há engano. 
É outono. Temos manhãs calmas e belas, como hoje,  em que o sol, ainda envergonhado, vai avivar, quando romper,  as cores com as sombras a escurecer outras. 
São contrastes e contrapontos que se harmonizam, nas nossas vidas, o que permite que nos possamos continuar a enternecer com o olhar.

Em noite de D. Sebastão até o nevoeiro esteve presente na Figueira...

Via facebook...
"Noite memorável no mega jantar comício da candidatura de Carlos Tenreiro ao município da Figueira da Foz com a presença de Pedro Santana Lopes."

Pedro Santana Lopes avisou, em tempos, que ia andar "por aí"
Ontem, o "por aí" começou em Figueira de Castelo Rodrigo, continuou em Mêda, seguiu para Espinho e terminou na Figueira da Foz, a puxar pela candidatura figueirense do PSD. 
Ao final de um dia a medir o pulso ao partido profundo, o antigo líder social-democrata ficou com a convicção de que "no dia 1 de outubro se vão enganar os que têm vaticinado um resultado menos agradável para o PPD/PSD".

Entretanto, por cá, a luminosidade é pouca. 
O  nevoeiro que apareceu ao princípio da noite não ajudou a ver os detalhes.
Contudo, alguns continuam a gostar do conjunto, que é,  precisamente,  o que em Santana dá para ver em primeiro lugar. 
Só depois se consegue ver os detalhes,  que com Santana, também são determinantes... 


Entretanto, o tempo vai passando por todos nós e vai deixando as suas marcas.
Todos temos uma forma diferente de sentir o tempo conforme as circunstâncias que estamos a viver. 
Ora nos parece que voa e que não o conseguimos apanhar. Ora o seu arrastamento até à náusea nos dá cabo dos nervos. 
Também na política, tal como na vida, raramente acertamos o nosso relógio biológico com o tempo do tempo!..

Entretanto, figueirenses tenham paciência e  coragem para mais meia dúzia de dias de campanha, porque bem precisamos todos. 
A mim, resta-me o lado humorístico, que tem sido a minha tábua de salvação, pois tem-me dado a capacidade de rir comigo próprio. 

Morreu D. Manuel Martins, o "Bispo Vermelho" e primeiro Bispo da Diocese de Setúbal

Voz inconformada e indignada da Igreja contra as injustiças da sociedade e os falhanços da política, denunciou a fome e a pobreza no distrito de Setúbal no início da década de 80. 
D. Manuel Martins era bispo emérito de Setúbal e tinha 90 anos.
O funeral realiza-se na próxima terça-feira, em Leça do Bailio.

domingo, 24 de setembro de 2017

Santana Lopes na campanha para as autárquicas 2017: 19 horas em Espinho. Uma hora depois na Figueira da Foz!..

A falta que um aeródromo que ficou em águas de bacalhau faz!..
“É desta que vamos ter aeródromo municipal”.
Estas foram as palavras do presidente da Câmara, de então, em 15 de Julho de 2004, ou seja há mais de 13 anos!.. 
O presidente, de então, assinou um protocolo com o batalhão de engenharia de Espinho, que veio fazer os trabalhos de terraplanagem da pista. 
De acordo com declarações do autarca, proferidas na altura, no final do ano de 2004 haveria aeronaves a aterrar e a descolar no aeródromo da Figueira da Foz.
Atendendo ao calendário aprazado, em 2007 tudo deveria estar concluído: o hangar, o posto de abastecimento e a asfaltagem da pista.
Mas, até ao momento, com trezentos mil euros já gastos,  nada.
E o Santana superstar, hoje, vê-se assim com um problema de cumprimento de horário eleitoral difícil de resolver...

Afinal, vai haver um segundo debate entre candidatos autárquicos promovido pela Figuiera Viva...

Não esqueçam e não faltem. 
CAE, Grande Auditório. Dia 27 de Setembro de 2017, pelas 21:15. 

A importância da política autárquica...

foto sacada daqui
Até numa Aldeia pequena, como a minha, se quem está no poder perdesse a governação, seriam muitas pessoas a ficar desorientadas e com receio do que viria a acontecer.
Teriam  de enfrentar a frustração e o desespero de alguns que deixavam de ser cidadãos privilegiados, e que teriam de passar a  aprender a sobreviver como todos os outros. 

CDU apresentou candidatos no decorrer de um espectáculo musical com Luisa Basto


Ver videos aqui.

Não...

Via SOS Cabedelo

sábado, 23 de setembro de 2017

Quinta do Paço... Como é sábado, vou sair e apanhar ar! Comentem vocês... Apenas vos digo que reparar é mais que meramente ver.

Como é sábado, vou sair e apanhar ar! Comentem vocês... Apenas vos digo que reparar é mais que meramente ver.

O gigante e os anões, um texto de Fernando Campos.
 
Este ano, na Figueira, o dia da cidade coincidiu com um dia normal de campanha eleitoral. O geniozinho imbecil que coordena a campanha autárquica do Partido Socialista na Figueira da Foz deve ter tido uma erecção. O seu cerebrozinho de apenas um neurónio fez tilt (terá mesmo ejaculado, ou evacuado, por qualquer das extremidades) de auto-satisfação, por ter notado a feliz coincidência. E, num lampejo de esperteza saloia, arresolveu assinalá-la com uma série de inaugurações, entregas de prémios e homenagens públicas a personalidades locais. É verdade, a Câmara Municipal não arranjou melhor oportunidade para homenagear o escultor Gustavo Bastos, o escritor João Gaspar Simões, o arquitecto Isaías Cardoso e o político e advogado Luís de Melo Biscaia.

Por mero acaso assisti à que foi prestada a Luís de Melo Biscaia. Tratava-se de dar o seu nome ao largo onde teve o escritório de advogado por mais de quarenta anos.
Foi assim. Ia eu muito descansado a passar pla rua da República quando reparei, em frente ao Café Nau, num ajuntamento inusitado de engravatados. Logo depois, lobriguei a presença das duas corporações de Bombeiros. Juntos, os Municipais e os Voluntários. Hmm. Farpelas de gala. Estandartes ao alto. Hmm, pensei eu baixinho, aqui há coisa. Acerquei-me. Deparei, entre os mirones, com algumas caras conhecidas. Deixei-me estar. Mirei. E não gostei.
.
Suponho que o próprio Melo Biscaia também não teria gostado.
Apesar do belo, digno e emocionado discurso do seu filho Pedro, Melo Biscaia teria com certeza torcido o nariz à ideia peregrina de ver o seu nome servir de pretexto para um tão óbvio como reles aproveitamento político em campanha eleitoral.
Mas o pior veio depois. Melo Biscaia, se tivesse assistido a tão penoso sacrifício teria, sem dúvida, franzido o sobrolho e arranjado motivo para se despedir à francesa, embaraçado, para ir fumar uma das suas longas cigarrilhas bem longe dali.
.
A pièce de resistance da pepineira em questão foi o discurso imbecil e desastrado, repleto de gaffes e partes gagas improvisadas a despropósito, do presidente da Câmara. É realmente impressionante como alguém, nitidamente despreparado, em discurso oficial e cerimónia solene, consegue na mesma frase chamar general ao marechal Norton de Matos, confundi-lo com Humberto Delgado, trocar 1949 por 58 e na frase seguinte, atribuir a paternidade do homenageado ao seu tio Severo Biscaia. 
É bem verdade que por mais que se encoste a um gigante, um anão nunca lhe tira o sol. Mas eu, que não tinha nada que ver com aquilo, senti-me envergonhado. Imagino como se sentiu a família. Há homenagens que são enxovalhos. Melo Biscaia merecia mais. Muito melhor.

Afinal, sempre se conseguiu o debate...

Autárquicas 2017 - Debate com todos os candidatos à Junta de Freguesia Buarcos - São Julião , na próxima segunda feira no Auditório da Misericórdia pelas 21.00h.

Nota de rodapé.
O ANC-Caralhete News, apurou que o actual presidente da junta de Buarcos e São Julião, ainda não confirmou a presença. 
Porém, está em condições de garantir que caso não participe, o debate realizar-se-á na mesma com os demais candidatos.