terça-feira, 26 de junho de 2018

"Metam VAR nas Marchas Populares da cidade por favor!.."

"Figueira da Foz. Da Praça. Da Alegria.
O nosso sal, a nossa areia, a nossa gastronomia, a nossa alegria, as marchas, a cultura, o desporto, os eventos, a paisagem, a hospitalidade e tudo o que faz da Figueira da Foz um destino obrigatório, já este verão, estiveram esta manhã em destaque no programa televisivo Praça da Alegria. Aproveitando para falar sobre a Semana Arte Mulher, que em 2019 unirá a Figueira da Foz e a cidade brasileira de Recife numa iniciativa que promove a igualdade género nas Artes, o Presidente da Câmara, João Ataíde, fez-se acompanhar de mulheres que representam parte importante da Alma, História, Cultura e Tradições da Figueira da Foz."
Via Município da Figueira da Foz
Nota de rodapé.
Como é que se compreende que, em representação das marchas populares de S. João, tenham levado ao canal público, num programa de referência e grande audiência, a última classificada pelo ilustre júri que apreciou e votou as três marchas a concurso no ano de 2018?
Podemos analisar, porém, por uma perspectiva optimista: dado o elevado nível de todas as marchas de S. João de 2018, optaram por levar a terceira classificada, sempre um lugar honroso e que dá para ir ao pódio!..
Terá funcionado como prémio de consolação?
No futebol, este ano, até daria até para ter acesso directo à liga europa!..
A Figueira é assim: tudo está bem, quando acaba bem...
Portanto, tudo está no seu lugar. Tal como na série "O Injustiçado", esta história também acaba bem.

4 comentários:

Unknown disse...

Como membro da Direcção do GIS - Grupo Instrução e Sport, coletividade organizadora da marcha da Fraguesia de Buarcos-S. Julião, e madrinha da marcha, gostaria de esclarecer que a marcha recebeuhá mais de 1 mês o convite para ir hoje ao Porto.
Independentemente de lugares no pódio seria sempre esta marcha a representar as marchas do Concelho da Figueira da Foz.
Fica o esclarecimento.
Helena Alvoeiro

Antonio Agostinho disse...

Agradeço o seu esclarecimento.

Rosa Baptista disse...

Boa tarde JOSÉ Agostinho, em primeiro lugar agradecer que na sua blogosfera tenha considerado o Gis como “O Injustiçado” . Quanto à história acabar bem e ao tudo estar no seu lugar, não posso concordar. Sei também que escreve de forma irónica e, por isso, não vou tecer mais comentários para não alimentar polémicas. O nosso silêncio não significa resiliência mas sim elevação de pessoas grandes de sentimentos e boa educação. Gis sempre!!!

Antonio Agostinho disse...

Obrigado pelo seu esclarecimento.
Ainda bem que reconhece a ironia da minha escrita.
A ironia atinge apenas a inteligência.
Inútil, portanto, desperdiçá-la com os que estão longe do seu alcance.
Contra estes ainda não se conseguiu inventar nenhuma arma.
A burrice - e a Figueira é prova disso - é invencível.
GIS, QUE O MESMO É DIZER, A CULTURA POPULAR, SEMPRE!..