terça-feira, 24 de outubro de 2017

Isto, sim, é política a sério...

Com toda honestidade, a política seria muito bonita se houvesse honestidade e transparência. Isto, sim, é política...
Via AS BEIRAS.
"A presidente reeleita da Junta de Quiaios está em conversações com a CDU para formar um executivo maioritário. 
As duas reuniões realizadas para a constituição da equipa de Fernanda Lorigo tiveram de ser suspensas por falta de acordo. 
O PSD, adiantou António Marinheiro, que foi cabeça de lista, defende que a junta “deve reflectir os resultados eleitorais”, nos quais socialistas e socialdemocratas empataram 4-4, cabendo, pois, o desempate à coligação liderada pelo PCP, que concorreu com Agostinho Cruz. 
“Estamos a negociar com CDU a constituição do executivo. A CDU propôs algumas condições, que estão a ser analisadas”, adiantou Fernanda Lorigo. 
A presidente, que já tomou posse, governou o mandato anterior com um executivo minoritário e os respectivos constrangimentos. 
Desta vez, porém, pretende alcançar a estabilidade e governabilidade plena daquela freguesia do norte da Figueira da Foz. Não obstante, deixa claro que é ela quem escolhe com quem quer coligar-se. “Ganhei as eleições e a lei dá-me o direito de propor os vogais que quero que trabalhem comigo, e é isso que tenho estado a fazer”, indicou Fernanda Lorigo. 
Por seu lado, Agostinho Cruz adiantou que “as negociações continuam”. A reunião agendada para a próxima sexta-feira deverá ser decisiva. 
Em 2006, recorde-se, houve eleições intercalares em Quiaios, devido a uma situação idêntica, era Augusto Marques presidente. 
Agora, contudo, ao que parece, ninguém quer imaginar-se num cenário daqueles."

6 comentários:

A. Marques disse...

Sem querer contribuir negativamente, sobretudo nesta altura, para uma solução que sirva a freguesia de Quiaios sem mais demoras, mas porque “quem não se sente não é filho de boa gente” é bonito ver, como, sendo os protagonistas quase os mesmos de 2008 (só não está o presidente de então) as opiniões e as práticas são inversas. E os outros é que não tinham carater… como apareceu nas capas de alguns jornais.

Que sejam coeirentes com as posições que defenderam no passado. Entendam-se rápidamente. Que estamos cada vez mais a perder o "comboio"

A. M.

Anónimo disse...

Agostinho cantas bem mas não me alegras!!!!

Antonio Agostinho disse...

... que enganado que está caríssimo anónimo: a cantar sou uma verdadeira catástrofe.

Anónimo disse...

Nem o Executivo anterior era de minoria (eram 3 do PS), nem o PSD estava na Assembleia quando PS e CDU não permitiram que o A. Marques formasse Executivo (que diga-se de verdade, exigia de 3 da lista dele... onde é que eu já vi isto?)

A. Marques disse...

Percebo o comentário mas o anónimo anterior não estará na posse da informação toda. Em 2008 ninguém exigiu três elementos da mesma formação politica. O que se passou foi bem diferente e está documentado nas atas. Durante as duas semanas que antecederam a tomada de posse houve a tentativa por parte dos independentes de estabelecer diálogo com o PS. A ponte (tentativa) foi sempre feita por um destacado militante do PS, felizmente ainda entre nós para o certificar, e que era ao tempo elemento da Comissão Politica Concelhia (julgo que ainda é). Ora os elementos do PS Quiaios, apesar de algumas horas de reunião com o representante da Figueira, não se limitaram a recusar o diálogo. Guardaram para a hora da Assembleia a decisão que iam tomar, depois de a terem acertado no maior secretismo com os eleitos da CDU. No PS Figueira sabia-se da disponibilidade de integrar um elemento de outra lista no executivo ou de serem os três da mesma formação e a Mesa da Assembleia do PS.
Chegados à Assembleia e não tendo havido diálogo prévio por escusa do PS, o presidente eleito, como lhe competia por Lei e tendo-lhe sido recusada a possibilidade de diálogo, apresentou dois nomes para a eleição. Ao arrepio da Lei também o PS apresentou uma lista em conjunto com a CDU para a constituição do executivo, tendo as duas listas sidos votadas em alternativa por imposição da maioria ali formada. O presidente eleito ainda propôs uma interrupção de 20 minutos para apresentar as propostas que já eram do conhecimento do PS Figueira. Acontece que a maioria recusou a interrupção dos trabalhos para dialogar e exigiu a votação sem diálogo prévio sobre os nomes a integrar. O resto é fantasia que foi divulgada para disfarçar os disparates. Se tem dúvida consulte as atas que elas esclarecem.
Se acha que o comportamento de quem ganhou é o mesmo de 2008, vá ler os comunicados que os vários partidos divulgaram esta semana e tire conclusões.
Por agora fico por aqui. Depois de passar esta fase talvez acrescente mais pormenores, como horas, locais de reunião, protagonistas, etc.

A.Marques

Anónimo disse...

Em Quiaios é a loucura , ardeu tudo e soluções zero .