segunda-feira, 23 de outubro de 2017

CDS: moção de censura provoca contestação interna a Cristas

Para Pedro Borges de Lemos, que encabeça uma corrente informal de opinião dentro do partido, o CDS deveria ter optado antes por uma atitude mais “construtiva”, dialogando com os outros partidos no Parlamento para reflexão sobre o tema dos incêndios.  
“Moções de censura não são solução para nada”...
Numa entrevista ao Observador, o dirigente centrista afirma que “sem pactos de regime e sem consensos, da esquerda à direita, será impossível conseguir este desiderato”, sublinhando que a única coisa que o CDS sinaliza com esta moção é que “não oferece condições de diálogo”.

1 comentário:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Cristas
cava a cova ao centrão
e então?
caso dê por isso
arrepiará caminho

quando tal estiver esquecido