domingo, 16 de abril de 2017

Tudo pode medrar. Com água por perto...

"O MEU AMIGO TEOTÓNIO!", uma crónica de Carlos Romeira...

"Não é o “meu amigo Charlie” mas considero-o mais próximo de mim, que o Charlie Brown do cantor Benito de Palma.
Apesar de nos separar um do outro várias décadas de experiência de vida, eu e o meu amigo Teotónio temos muito em comum. Para além de partilharmos alguns valores, creio eu os mais importantes da vida, também possuímos algo em comum. Nascemos na cidade um do outro e estamos a viver na cidade de cada um.
Vou explicar melhor. Eu nasci e criei-me na Figueira da Foz, onde vive o meu bom amigo Teotónio, que por sua vez nasceu na Marinha Grande, onde vivo eu de momento. Uma espécie de troca que as circunstâncias da vida nos trouxe, acompanhada de momentos com algum humor. Lembro-me por exemplo, de um episódio passado num jogo de futsal entre jovens da Marinha e da Figueira, no qual lamentando-se o “nosso” Teotónio com carinho, “nem sabia por quem torcer”.
Hoje sinto-me quase da mesma forma. Amigos do peito fiz em ambas as cidades, e orgulho-me de dizer que apesar da Figueira da Foz ser a cidade do meu coração, também me sinto um bocadinho (bem Grande) da Marinha, onde me sinto bem e pela qual também estou a torcer.
A vida ensina-nos através destas pequeninas coisas, que as fronteiras não fazem sentido. As pessoas identificam-se de coração com os locais onde se sentem melhor. A identidade das pessoas materializa-se em grande parte através dos laços de amizade que criam com as pessoas locais, com a intimidade que sentem ao percorrer cada rua, cada parque, cada edifício ou ainda quando se emocionam com a natureza envolvente."
Acredito assim que, sendo os Seres-humanos todos iguais, e pertencendo o Planeta à humanidade, então todas as pessoas deveriam ter o direito de escolher aonde pertencem de facto."

Nota de rodapé.
Uma das tendências da silly season é a futurologia. 
Depois de lerem a crónica acima, vão aparecer  inúmeros cartomantes e astrólogos encartados figueirenses a preverem o que as autárquicas 2017, na Figueira, nos poderão trazer. 
Como não lhes qero ficar atrás, porque não sou menos que eles, aqui fica a minha previsão: até 1 de Outubro de 2017, de certeza, choverá!..

2 comentários:

Teo Cavaco disse...

Meu Caro António Agostinho, a crónica de Carlos Romeira refere—se a Teotónio Cavaco do Norte, meu Pai.
Santa Páscoa.
Abraço.

Antonio Agostinho disse...

Obrigado.
Abraço.