quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Thank you all...

"Há lá coisa melhor do que ter tantos amigos e consciência tranquila. Continue a prestar serviço público, caro António. Alguém bem intencionado tem que o fazer." 
Esta, foi uma das largas centenas de mensagens que, até este momento, recebi neste dia em que estou a celebrar 63 anos de existência. 
Não vou divulgar o nome, para não melindrar ninguém e porque todas foram igualmente importantes para mim.
Porém, nesta ficou resumido tudo o que sempre foi relevante na minha vida: para além da família - o suporte de tudo - os amigos e a consciência tranquila
Em duas palavras, consigo resumir, quase tudo, o que, neste dia, considero o mais importante na vida: ela continua.
A foto que esta manhã, no dia em que completei 63 anos de vida, a Ana Oliveira me tirou quando cheguei numa das minhas bicicletas ao Cabedelo, para vocês,  pode  não ter nada de especial, mas o prazer que tenho ao olhá-la, esse é mesmo especial e, por isso, aqui está exibida nesta postagem de agradecimento às largas centenas que já me felicitaram. 
Para aí há 40 e tal anos anos (e nos following months...) fui, como muito boa gente que se preza, very romântico, aventureiro, irrealista, sonhador, voluntarista, experimentalista - enfim, algo marado...
No fundo, bué de cool...
In the height, se fumei algo diferente foi certamente por distração... 

Ya, depois, como todos cresci e engordei.
However, não fiquei formatado e, muito menos, conformado... 

Result: não consegui ser um boy pragmático e cínico.
Therefore, nunca apanhei a(s) boleia(s) certa(s) para orientar a vidinha...

However, fui apanhando umas tosgas...
Ya. Mas, nunca fiquei lá... 

Others, porém, tornaram-se nuns competentes filhos da puta... 
Some, falam disso, isto é, do que aconteceu, como se tivessem apenas apanhado a boleia...
Still superficially, nem sequer a boleia da história, but a de um camionista qualquer e distraído... 

The normal one: todos acabam por ser aquilo que desejaram...
Unhappyly,  a maioria escolheu nunca deixar mostrar uma unha, muito menos arriscar soltar um gritinho de revolta: optou por inserir-se e adaptar-se ao funcionamento normal das instituições...

E, assim, today, face ao saber viver da esmagadora maioria do povinho, estamos todos como sempre estivemos: lixados e conformados.
As always: a esperar que o verão seja quentinho...

Porque tristezas não pagam dívidas, deixo-vos com um momento musical.
Imaginem-se, como eu, num espectáculo ao ar livre, por exemplo, no Parque de Merendas da Cova e Gala, em ambiente de festa...
É importante, manter o espírito jovem... Quanto ao corpo: pra melhor tá bem, tá bem, pra pior já basta assim....

2 comentários:

V.Borges disse...

Não dou parabéns a aniversariantes. Não é falta de respeito....é que trocava fazer (nesta altura do campeonato) por desfazer...

joao filipe carronda da silva antunes disse...

Um Abraço Companheiro. É um prazer ter-te entre os meus Amigos.