sábado, 1 de outubro de 2016

As obras do regime e o populismo

Requalificação/ Valorização de Frente Mar e Praia - Figueira/ Buarcos, a "obra do regime" do 2º. mandato de João Ataíde. Para ver melhor clicar aqui. Mais, uma vez fica patente que os políticos na Figueira são mais do mesmo: como se nota, tal como antes, também nos mandatos de João Ataíde, o dinheiro dos impostos não é distribuído  por todo concelho, como seria justo, mas, sim, nas chamadas “obras do regime e de fachada”, na sede de concelho, mas oneram em despesa corrente as gerações futuras de todo o concelho...
O termo populista sempre me irritou.
Só por si. E continua a irritar, porque eu sou povo e, por definição, acaba por considerar estúpido também a mim. 
E a realidade é que se o povo não fosse estúpido não havia populismo. 
Porém, os políticos dizem que o "o povo não é estúpido" com a mesma desfaçatez com que acusam os opositores de serem populistas. 
O que, à partida, no mínimo, é um paradoxo.  
Todavia, o que me é mais difícil de aceitar é a falta de vergonha...  
Com este executivo camarário, além de estarmos perante uma forma de governar um concelho ao sabor do populismo, estamos igualmente perante uma refinada falta de vergonha de alguém que ainda representa uma fatia do eleitorado concelhio e que, em tempos ainda não muito recuados, apelidava os anteriores presidentes, nomeadamente um que passou pela Figueira, e que se chama Santana Lopes, de populista.
O que, tal como agora acontece com João Ataíde, é absolutamente verdade.
Isto, não é preconceito. É factual.

1 comentário:

Aldo Aveiro disse...

Bom dia! "TAL POR AÍ...TAL POR CÁ..." Politiquices politiqueiras....