sábado, 18 de junho de 2016

A vida é real, mas poucas vezes nos faz sorrir...

"o Euro é uma espécie de Festival da Canção"...
"Antes de a coisa acontecer somos sempre favoritos, parece que este ano é que é, pois se até os do Liechenstein confidenciaram nos bastidores que sim senhores, este ano tínhamos ali bom material, pois se o artista levantou o polegar e sorriu, tudo bons indicadores..."
(e depois acontece a chamada vida real: até uma equipa de pontapé para a frente empatou connosco)...

Nota de rodapé.
Se eu tivesse mais idade e menos juízo, estaria mais logo em Paris, pois parece-me que a rapaziada precisa de mim para ganhar o jogo com a Áustria...
(e depois acontece a vida real... Se não acreditam, cliquem aqui.
"Eu não falo em ambição porque fica bem, porque me apetece ou para dar nas vistas. Eu tenho ambição porque temos razões para isso. Temos a equipa que muitos gostariam de ter, temos o talento que poucos têm, temos os melhores do mundo dentro e fora do campo, temos os que estão cá e os que estão lá, temos história, temos vontade de fazer história, temos competência, temos experiência, temos cabeça, temos pés, temos coração, temos tudo para ter Ambição." - Fernando Santos)

3 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

«o futebol é a coisa mais importante de entre as coisas pouco importantes com que nos devemos preocupar!»

A Arte de Furtar disse...

Somos mesmo uma selecção candidata ao título?
Voltamos a ter dúvidas em derrotar a 2.ª selecção da 2.ª divisão europeia, a Áustria?
Phosga-se, Pá, Desinfestem!

Anónimo disse...

“Eles têm o brexit. E nós, quando viermos para casa antes da final, teremos o françortie.”
Pedro Vieira