quarta-feira, 18 de maio de 2016

Se eu vos desse metade do que conquistei nenhum de vocês voltava a trabalhar!

Passei ao lado de uma grande carreira.
Quando sai da escola primária era para ter ido para o seminário.
Apetecia-me ser padre.  
Lembro que me seduziam os caldos, o sossego, a leitura - e, sobretudo, a tentação permanente.
Contudo, como a minha Mãe não deixou que fosse padre, vi-me na necessidade de percorrer outros caminhos...
A minha vida foi assim... 
Por um acaso, como já perceberam, foi mesmo assim.
Se tivesse ido para padre, como me apetecia, a minha vida não teria sido assim.
E se a minha vida não tivesse sido assim, a  minha vida teria sido, simplesmente, de outra maneira! 
Simplesmente, porque é assim!
Garanto, que se eu vos desse metade do que conquistei, nunca mais voltavam a trabalhar. 
Querem saber o que eu tenho? 
Preguiça, esse magnífico hábito de descansar antes da fadiga.
Para os invejosos, aproveito para esclarecer, que não fazer nada é a coisa mais difícil do mundo - a mais difícil e a mais intelectual....

Nota de rodapé...
Para os chatos, o chato não é ser chato.
O chato, é ficarem sem ter quem chatear...
Eu sei que estamos a atravessar dias difíceis. 
Ontem, não choveu. Hoje, estamos a ir pelo mesmo caminho. 
O campeonato já acabou, mas ainda temos as taças...
Querem mais?..
Fica uma sugestão?
Vão tentar chatear o Camões.

5 comentários:

Anónimo disse...

Agostinho;
Essa de teres querido ser padre é demais!!!
Naquele tempo estudava-se no seminário e, ou se saía antes do final e pedia-se a equivalência mudando a área dos estudos, ou não seria ordenado e ia-se para professor.
Mas se ainda tens esse "apetite/sonho" é fácil demais, basta aderires a uma dessas religiões ditas evangélicas e rapidamente estarás investido em pastor.
Desejo-te sorte caso abraces essa nobre missão. Trabalho aquele tarefa tem, e muitos ficam ricos, kkkkkk.
Abraço
Lucas

Antonio Agostinho disse...

Rico - e muito - já sou eu...
Cultivo a preguiça, esse magnífico hábito de descansar antes da fadiga.
Para quê mais riqueza e, sobretudo, para quê mais trabalhos?..
Lucas: Retribuo o abraço...

Anónimo disse...

Ontem, vi-o a pedalar, assim de repente, não vi a sotaina ....

MMarques

Rogério Neves disse...

Meu carissimo amigo se eventualmente tens seguido a carreira eclesiástica não tenho dúvida nenhuma que hoje serias o Cardeal Patriarca o que diga-se para a Igreja seria muito bom.
Aquele Abraço

A Arte de Furtar disse...

Teria sido um desperdício...?!!
A Igreja não suportava dois bispos vermelhos.
Implodia!