sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Na Aldeia... (XVII)

Já apresentámos neste espaço, via comunicação social figueirense, três das quatro listas que vão concorrer às intercalares da freguesia de São Pedro de 19 de outubro próximo.
A meu ver, pelo que já se sabe, é absurdo o que está a acontecer na Aldeia: quem esteve de alma e coração com o PSD, durante largos anos, agora está com o PS!
Depois, temos aquela estranha lista do PCTP/MRRP!
Depois, como nenhum órgão da comunicação social figueirense deu a conhecer qualquer informação fundamentada sobre a lista da CDU às intercalares do próximo dia 19 de outubro na freguesia de S. Pedro, lista essa, aliás, que foi a primeira a ser presente ao Tribunal da Figueira da Foz - tal aconteceu na passada quinta-feira, dia 4 do corrente mês de Setembro - fica aqui a composição da lista CDU e a foto da "cabeça de lista".

Maria Manuela Ramos 53 anos - Operária Fabril;
Mário João Pimentel 40 anos - Operário Fabril / Trabalhador estudante;
Nelson Delgado 51 anos - Professor;
Maria de Lurdes Fonseca 58 anos - Auxiliar Acção Educativa;
Ruben Falco Costa 27 anos - Desempregado;
Jaqueline P. Laureano 25 anos - Desempregada;
Manuel Paixão 65 anos - Marítimo;
Domingos Matias Pereira 26 anos - Optometrista;
Conceição Laureano 49 anos - Empregada Balcão;
Samuel Patrão 29 anos - Designer Gráfico;
Cristina Miranda 49 anos - Auxiliar Limpeza;
Rita Mendes 32 anos - Recepcionista.

Por exclusão de partes, o voto na lista que tem como primeira figura a candidata Maria Manuela Ramos é, na actual conjuntura, a escolha natural de quem não se revê no estado de coisas a que chegou a Aldeia.
Portanto, é com toda a naturalidade que declaro, desde já,  que vou votar na Maria Manuela Ramos que vai concorrer numa lista CDU.
Faço-o, por muitas razões. Contudo, vou deixar aqui apenas expressas oito.
Muito mais do que querelas partidárias, futuros políticos ou profissionais dos profissionais da política local, ou dos filhos ou filhas, a única coisa que me interessa é a melhoria da vida de cada um de nós e da Aldeia.
Vamos então às razões:

1 – porque a Maria Manuela Ramos, é uma excelente candidata - é interessada, empreendedora e nunca esteve ligada ao «status quo» vigente na Aldeia.

2 – porque a Maria Manuela Ramos, se mostra capaz de reaproximar as novas gerações da Aldeia (que têm dado sinais crescentes de descrédito em relação à política e às instituições locais) de uma participação política, social e cívica que terá, num futuro próximo, uma configuração completamente diferente da que estamos habituados.

3 – porque a vitória (que sei difícil de acontecer, mas não impossível...) da Maria Manuela Ramos,  seria um sinal simbólico muito positivo para a Aldeia: constituiria uma prova de que a Aldeia pretendia olhar de frente para o futuro.

4 – porque a Maria Manuela Ramos tem poder de persuasão – porque não dizê-lo, mesmo de sedução... - que se revela trunfo decisivo para, nos dias que passam na Aldeia, mobilizar vontades e conseguir consensos.

5 - porque a Maria Manuela Ramos é uma Mulher combativa e corajosa.

6 - porque a Maria Manuela Ramos, pode não conseguir mudar a Aldeia... Mas, seguramente, ela própria, também não vai mudar.

7 - porque defender a abstenção,  é demitir-se dos problemas da Aldeia. 

8 - porque a malta de esquerda não se abstém: vai votar.

4 comentários:

Anónimo disse...

Sem que não vai publicar este comentario mas deixe-me dizer-lhe você está a precisar de ir ao médico.

Antonio Agostinho disse...

...agradeço o cuidado com a minha saúde.
Todavia, eu sou muito cuidadoso: além das caminhadas diárias e passeios de bicicleta, duas vezes por ano faço análises pormenorizadas...
o dr. Bento Cunha pode testemunhar.
Um abraço e mais uma vez obrigado caro anónimo.

Anónimo disse...

Eu sou do PS mas voto CDU!

Na politica não pode valer tudo e muito menos dar guarida a tácticas de camuflagem oportunista de que o actual PS local é exímio.

o cu de judas disse...

esta dança é porca, mudam entre um partido e outro conforme se advinha a troca de cadeiras, se existem indícios de que o ps ganha, adere-se ao ps, se é o psd que está em alta, muda-se para o psd, o que interessa é estar no poder e com o poder. Ou então unta-se ambos os partidos com donativos na época de eleições