segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Azar...

Esta foto foi obtida por mim, há poucos minutos, na praia do Cabedelo.
Estava uma tarde soalheira, embora fria, soprava uma ligeira aragem, mas esteve uma tarde magnífica e agradável para uma passeata à beira mar.
Não encontrei ninguém, no percurso entre o campo de futebol do Cova-Gala e o molhe sul. Apenas gaivotas. Às centenas, no areal deserto.
Dizem, por aqui, que gaivotas em terra é sinal de tempestade.
Vamos esperar o que nos reserva o amanhã.
Percebo, há tempos,  que ando a desapontar alguma gente. Gente que não gosta  de mim, diga-se.
Coitados, pensaram  que eu me perderia  por excesso de vaidade ou que viesse a cair, um dia, na amargura da vaidade frustrada.
Como estavam enganados.
Não perceberam que eu troco, sempre, a vaidade pela liberdade...
Azar.
Com tantos defeitos que eu tenho, pensaram logo num que nunca tive...

4 comentários:

Olímpio disse...

Vai enganar os que não conhecem os teus truqes, mas essa fotografia das gaivotas tem arte a mais para ser de um curioso. Anda por aí a mão do artista, o tal "PUTO", anda lá diz a verdade, ou foi mesmo obra tua????
È que a foto deixou-me a pensar que tenho que deixar de fazer fotos, vamos lá resolver em julgado.

Antonio Agostinho disse...

Oh meu caro, quando eu quero, até faço bem as coisas...
Este desaforo vai custar-te caro...
O puto, que como sabes é puro e acima de qualquer suspeita, vai confirmar a verdade...
Aceito um pedido formal de desculpas no decorrer do almoço do próximo sábado, que vai ser pago por alguém...
Acredita na evolução da espécie...

Pedro Cruz disse...

Oh Olímpio a foto não é minha. Mas, faço-lhe o convite para ver umas que fiz um dia destes.
Segue o link: http://pedrojoseagostinhodacruz.blogspot.pt/search?q=gaivotas
Abraço,
Só se apreende a fotografar, fotografando. Parece que o meu tio anda a evoluir :)

SONY disse...

Porra agostinho quem tem um mestre como o pedro só pode tirar fotos destas.