quinta-feira, 21 de junho de 2012

Faz hoje um ano que este governo tomou posse!

O Bom Povo Português, tem o governo que merece!..

6 comentários:

José disse...

sem dúvida...mas há alguém na política portuguesa que seja capaz de governar este barco à deriva?

António Agostinho disse...

E Portugal está à deriva porquê?..
Naturalmente, por quem o tem desgovernado nos últimos 36 anos:
PS, PSD e PS/CDS e PSD/CDS.
Ou há dúvidas?

o cu de judas disse...

Assunto: A morte do Padre!




A morte do Padre!

O velho padre, durante anos, tinha trabalhado fielmente com o povo africano, mas voltou a Lisboa, doente e moribundo. No Hospital de Santa Maria, é a notícia da hora.

Já nos últimos suspiros, ele faz um sinal à enfermeira, que se aproxima.

- Sim, Padre? diz a enfermeira.

- Eu queria ver dois proeminentes políticos antes de morrer: Cavaco Silva e Passos Coelho, sussurrou o padre.

- Sim, Padre, verei o que posso fazer, respondeu a enfermeira.

Ela entra em contacto com a Assembleia da República e logo recebe a notícia: ambos também gostariam muito de visitar o padre moribundo.

A caminho do hospital, Cavaco diz a Passos Coelho:

- Eu não sei porque é que o velho padre nos quer ver, mas certamente que isso vai ajudar a melhorar a nossa imagem perante a Igreja e o povo, o que é sempre bom.
Passos Coelho concordou, naturalmente.

Era uma grande oportunidade para eles, em queda no nível de popularidade, pelo que até foi enviado um comunicado oficial à imprensa sobre a visita.

Quando chegaram ao quarto, com toda a imprensa presente, o velho padre pegou na mão de Cavaco Silva, com sua mão direita e na mão de Passos Coelho, com sua esquerda.

Houve um grande silêncio e notou-se um ar de pureza e serenidade no semblante do padre.

Passos Coelho, morto de curiosidade, pergunta:

Padre, porque é que fomos nós os escolhidos, entre tantas pessoas, para estar ao seu lado, no seu fim?

O Padre, lentamente, disse:

- Sempre, em toda a minha vida, procurei ter como modelo o Nosso Senhor Jesus Cristo.

- Amém, diz Aníbal.

- Amém, diz Passos.

E o Padre concluiu:

- Então... como Ele morreu entre dois ladrões, eu quero fazer o mesmo!!!

José disse...

Ó Sr. Agostinho,sem dúvida que tem toda a razão,nem vale a pena contestar o seu ponto de vista mas o que gostaria de saber é se existe algum político português que não esteja preocupado é com o seu bem-estar,é que se bem me lembro,o único politico que se preocupou com o povo após o 25 de abril,chamava-se Vasco Gonçalves mas será que dentro da sua ideologia politica e dos partidos de esquerda existe alguém com capacidade para levar o país a bom rumo ou simplesmente para se ajudar a si próprio e seguir o exemplo da canalha que tem desgovernado?
Dê aí um palpite mas será que o zézinho vai acreditar que esse será o salvador da pátria?

António Agostinho disse...

Isto não vai lá com salvadores da pátria, de esquerda ou de direita.
Isto vai lá com um um povo atento, exigente e vigilante.
O povo não pode limitar a sua participação cívica ao exercício do voto de quatro em quatro anos. Isto, quando vai votar...

o cu de judas disse...

sr Agostinho, acertou, na resposta mas este povo reclama, reclama, mas nunca nos sítiose na ocasião certos
Chove dentro da camioneta, refila-se, mas colocar o preto no branco, por escrito ou no livro amarelo, que blasfémia. Exigir que reparem o passeio que já provocou várias idas ao hospital nem pensar, nada exigem, quando é passar das palavras ás acções acobardam-se