segunda-feira, 13 de julho de 2009

O País do faz de conta…

foto de Pedro CruzVivemos num País e numa cidade do faz de conta.
A propaganda irresponsável e destituída de conteúdo, é um ónus que, todos, mais cedo ou mais tarde, teremos de pagar.
Estes são os políticos que elegemos. Estes são os partidos que temos a governar.
Mas, será que não temos outros partidos, nem outra gente?..
Mais uma vez, estamos a aproximar-nos a um tempo de opções.
As eleições deveriam ser encaradas como aquilo que são: a escolha dos que vão determinar o nosso futuro.
Infelizmente, as coisas não funcionam desta maneira. Vota-se. Os que votam. E pronto.
Este, ainda é o tempo em que concedemos o voto por uma esferográfica, um avental, uma tigela de caldo-verde, uma sardinha no pão, um tinto…
Um luxo, que a extrema pobreza, nuns casos, económica, noutros, intelectual, agradece…
Vejam como funciona a coisa. Um exemplo prático e real, para ser de mais fácil entendimento.
Possivelmente, nos próximos 4 anos, os figueirenses vão ter como seu representante na Assembleia da República Miguel Almeida (o nome, aqui, é o que menos importa…) que foi o mais votado para representar o PSD da Figueira da Foz, na lista de deputados à Assembleia da República por Coimbra. O deputado figueirense reuniu 10 votos, contra cinco a favor de Lídio Lopes, presidente da concelhia “laranja” na Figueira, numa votação que se realizou sexta-feira à noite na sede do partido.
Com 10 votos, dez, se escolhe um deputado de um concelho com mais de 40 mil habitantes...
Isto, diga-se em abono da verdade, acontece no PSD. Mas é assim em todos os partidos.
O País está entregue a uma elite de iluminados. Ponto final.

11 comentários:

Fernando Campos disse...

"umas vezes m'espanto
outras m'avergonho."
Sá de Miranda

jose marques disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
António Agostinho disse...

Mais uma vez: este blogue é um espaço de liberdade. Todos podem comentar. Só há um pormenor: têm de o fazer com responsabilidade, isto é, assinando.
Será que estamos entendidos senhor "josé marques"?.....

alex campos disse...

Agostinho, permite-me uma correcção: o concelho tem mais de 60 mil habitantes.

Amordemadrugada disse...

ena!
beijito

Fernando Campos disse...

esqueci-me de acrescentar que "outras tantas me divirto".

António Agostinho disse...

Alexandre:
obrigado.

carlos freitas disse...

Eis o que enfraquece a Democracia, já não me espanto, nem me envergonho, apenas me divirto como bel lembra Fernando Campos, citando Sá de Miranda. Com dez votos??????????? Se escolhe um representante a deputado Municipal pelo Concelho????????? Co dez votitos panas se escreve deputado da Nação? Sim senhor mais uma vez o esplendor da democracia que temos.

Miguel Costa disse...

Os nossos pseudo politicos ( de politicos maior parte nada têm, politica é algo diferente do que fazem), são o resultado da nossa indiferência e comodidade. Neste país quase só vemos pessoas que nada fizeram, que não têm qualquer experiência de vida, mérito profissional ou se quer académico, que justifiquem a sua eleição para um cargo politico( alguns nem um prego sabem pregar). Por cá o melhor metodo é pertencer a uma juventude partidária, ser pau para toda a obra em troca de um lugarzito aqui, depois outro acolá, e depois como por artes mágicas aparecem na TV como deputados ou governantes da nação. O seu objectivo é só um, o seu interesse, a sua carreira,tratam-se de politicos profissionais e será este o meio de ganharem a vida até à reforma prometida ( e não precisam de muitos anos para este objectivo). Se fizermos uma análise aos deputados ( e só falando na Assenbleia da Replubica...) quantos conhecemos? Que contributos realizaram ?
A nossa classe politica é das classe profissionais mais incompetentes do país, e que ano após ano é composta cada vez mais por pessoas de pouco valor, tanto profissional como humano, são bem o espelho na nossa sociedade, individual, egoísta e hipocrita.
Eles andam por aí devido a nós, que preferimos estar em casa ou no café a ouvir esta (desculpem) cambada de aldabrões e nada fazemos para o alterar, somos egoistas na nossa comodidade.
No meu intimo idealista tenho a esperança que estes que usam cargos públicos para governar a sua vida e que vivem na base da mentira, altivez (como se fossem alguma coisa de jeito coitados) e da hipocrisia, não vivem a vida e não serão pessoas realizadas, pese embora as aparências, "Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se não tivessem vivido".
Nós por cá pelo menos vamos tentando viver "La Vida".

o comendador disse...

Miguel Costa?!?!
hum...
Gostei...
Subscrevo e assino por baixo...

O Comendador

Miguel Costa disse...

Meu caro comendador, um abraço e agradecimento pelo seu comentário.
Mas como sabe não é pelos subconsequentes comentários que realizo estes meus desabafos, apenas uso este blogue ( e que me perdoem os seus responsáveis por este meu egoísmo) como forma de libertar o meu stress perante a constatação da realidade do nosso país e do nosso concelho.
Não tendo qualquer objectivo dito politico, este blogue (a exemplo de outros) permite-me sempre que tenho disponibilidade de comentar e expor opinião sobre a nossa sociedade. Infelizmente a realidade obriga-me a ser critico e pessismista perante os ditos "politicos" que nos governam, tanto a nivel nacional como local. Revolta-me a facilidade como se gastam euros em eventos e obras sem quaisquer mais valias para as pessoas. São feitas obras apenas para alimentar a vaidade pessoal e ego dos ditos governantes, no futuro vão dizer aos netos, olha aquela estatuta, aquele prédio (aberrante) foi feito pelo teu avó. O neto deverá questionar mas porque é que fizeste esta obra? Qual foi o beneficio para a povoação? Não havia mais onde gastar o dinheiro? Enquanto quem nos governa continuar a pensar no "eu" e não nos "nós" a evolução será apenas uma ilusão. O nosso país é um exemplo paradigmático desta forma de estar. Continuamos a gastar(desperdiciar) dinheiro em obras de fachada, esquecendo as pessoas e as suas reais necessidades, o que interessa é aparecer bem na fotografia, a imagem é tudo e o resto é a acessório. Pois meus "respeitosos" governantes a vossa missão é a de servir as populações e não servirem-se delas, as palavras são parecidas, mas as consequências/diferenças são enormes.
Continuem nos vossos jogos de influências, de hipocrisia, de traições, de postituição (é o que muitos não deixam de ser) e verão que mais tarde ao mais cedo aparecerá um outro mais esperto ou astuto a ocupar o vosso lugar. Caso tenham sido mais um igual a tantos outros, ninguém se vai incomodar com a vossa sina, agora se forem pessoas de valor, com obra feita e comportamentos de acordo com os exigidos a um governante, de certeza que serão lembrados e apoiados por quem lutaram.
Infelizmente estes são raros e por aqui aves em extinção (desculpem aves extintas...)!
Um agradecimento ao blogue por permitir estes devaneios em tempo de férias.