quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Sujo

Se as ruas e passeios da nossa Terra estivessem cobertas pelas folhas de árvores!..
Esse, era um sujo que se aceitava, pois era natural!...
Agora, ver as ruas e passeios da nossa Terra cobertas de dejectos dos cãozinhos chiques, que os donos apenas trazem à rua, só para espalharem merda e mijo na via pública!..
Esse, é um sujo que não se aceita, pois não é natural!..
Porque é que não nos deixam ter uma Terra bonita e limpa!..E, a culpa, não é dos “lulus”!...

4 comentários:

Dino en vacances disse...

Acabadinho de arriver e caguei logo as nike novinhas. Ia a sair da voiture, pus o pé naquilo que pensava ser o chão e borrei logo a sapatilha. Isto cada vez tem mais caca de cão.
Lá em France também há lulus e as donas, depois de dormirem com eles ( e não só) vêm à rua mesmo em robe, põem os lulus a cagar e depois apanham a caquinha com uma pá , guardam num saquinho e vão deitar na caixa da basure.
Aqui, não, as madames fazem o mesmo com os lulus mas depois vêm pô-los a cagar na rua longe da maison mas no jardin ou em frente da vizinhance.
Limpar, limpas tu ou eu com os nikes ou as adidas. E logo eram a estrear. Merde, merde.Beaucoup de merde!

lulusão disse...

Que tal, a Junta lançar uma campanha, via postal CTT, junto dos cidadãos para que estes limpem a merda que os seus cães fazem na via pública.
Isso seria uma boa ideia?
Talvez...
Agora vêm as questões práticas.
Se sim, quem suporta a despesa?
A Junta? E a crise que por aí anda.....
E os cidadão vão receber todos o postal?
Se não receberem ficam sem ser sensibilizados para o assunto..

Já agora:
Todos os quem têm cão têm caixa de correio?
E os cães vadios como recebem o postal?
E quem não sabe ler e tem cão?
E quem não tem cão o que é que faz ao postal?
Há sempre questões adjacentes na aplicação de uma medida...
Mas haverá sempre utilidade para o postal. o cidadão, ou cão, poderá aproveitar o postal para limpar os pés, depois de os ter borrado, na merda do cão do vizinho...
Sim, porque todos temos um vizinho, ou uma vizinha que tem um cão...

zé dos percebos disse...

depois de alguns post para distrair as atenções, o senhor agostinho trouxe um assunto pertinente:a merda de cão.
gabo-lhe os gostos, ele há gajos para tudo. merda de cão é coisa de estimação e nos tempos que correm pode até um destes dias ter oportunidade de trocar fotografias da caca com posters do pinto da costa e do jose veiga. quem sabe no futuro, os seus post sobre a larica dos caninos possam concorrer com os best-sellers da margarida rebelo pinto.
agora que já dissertei sobre o tema da sua preferência (merda de cão), vou finalmente passear o meu cão...

Distribuidor de rebuçados disse...

Assunto: Dejectos animais na via pública. O estrume cerebral dos donos das ditas alimárias, mede-se pela extensão do dito cujo abandonado. Entre abandonar o dito cujo ou abandonar o animal produtor do dito cujo é preferível estimar o animal, mimar o dito cujo, deixando-o bem à vista de todos para que seja possivel que todos os cidadãos tenham livre acesso a esta arte rasteira. Nos entretantos tenho igualmente reparado na pouca diferença que existe entre os ditos cujos dos nossos amigos de quatro patas e os ditos cujos dos seus donos! Esta equivalência parece-me reveladora de uma certa simbiose entre o dono do cão e o cão do dono! Alguns babam-se como o seu cão...outros defecam tal e qual como eles!