quarta-feira, 20 de setembro de 2006

"O mais importante na vida é ser-se criador - criar beleza"






















Atentem bem na beleza deste barco, totalmente construído por Adelino António Pereira Agostinho.
Homem de afectos, deu ao barco construído com carinho, o nome da sua neta - July.
Nesta obra, foram gastos anos de trabalho, minucioso, paciente e competente para concretizar a maravilha que os nossos olhos podem ver agora.
Adelino Agostinho, tem 71 anos de idade e é oriundo de uma família tradicional da Cova-Gala ligada ao mar e à pesca. Ainda frequentou a Escola Industrial na Figueira, mas desde a adolescência que a sua vida foi o mar. Teve uma longa carreira de mar, repartida pela pesca longínqua (14 anos) e pela marinha mercante (24 anos).
Está reformado desde 1992.
Dono de uma rara capacidade para trabalhos manuais, é um estudioso das coisas marítimas, sua vivência e cultura, sobretudo das embarcações tradicionais, artes, redes e nós de todo o tipo – isto é, tudo o que tenha a ver com a marinharia.
Os seus modelos de barcos, como o das fotografias deste post, caracterizam-se por serem fiéis às embarcações que os originam.
Afinal, "o mais importante na vida é ser-se criador - criar beleza"

16 comentários:

Tó (da Lota) disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Português Suave disse...

Sim senhor, mestre Adelino, lindo palhabote......

Anónimo disse...

Parabéns mas que obra-prima!!!

barbas disse...

Parabéns mas que obra-prima!!!

Anónimo disse...

é tudo pão do mesmo saco!!!

Tó (da Lota) disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
cfreitas disse...

Para o grande Amigo Adelino um grande Abraço e um grande Bem Haja. Espera-se que esta pública exposição que hoje aqui começa venha a merecer outros olhares e que merecia mais muito mais.
A necessidade de preservar e divulgar todas estas artes e a sua memória, que a região de Ilhavo através da criação do seu Museu do Mar soube honrar e dignificar e que a Figueira devia saber igualmente preservar e defender.
As memórias do mar e não só, a dos comeres tradicionais da borda do mar também fazem parte da vasta cultura do Ti Adelino. É por estas e por outras que o vosso Blog merece toda a atençao e respeito.

Anónimo disse...

Devia-se começar já a pedir subsídios para a construção de um museu.
Estas coisas têm de ir para o museu!

Anónimo disse...

Olá pai! Esta mensagem é para ti.Enches-me o peito e a alma de orgulho e vaidade. Não de uma vaidade doentia e morbida mas de uma vaidade que me faz sentir tão feliz.Tão feliz que me apetece dizer-te dizer que álem de seres o melhor pai do mundo és de facto um grande artista... Perdoa as vezes que, por distracção, me esqueci o quanto és valioso e importante para mim. Beijinho e obrigada por seres quem és : UM GRANDE ARTISTA, MAS ESSENCIALMENTE UM GRANDE HOMEM.

VSR disse...

Ao senhor anónimo das 23:24:
pode ser tudo pão do mesmo saco, mas somos uma família modesta, humilde e com tradições. Temos ao mesmo tempo algo para divulgar, enaltecendo assim os feitos do povo da Cova-Gala. Sim, somos do povo, não nos fazemos passar por burgueses como alguns anónimos que gostam de insultar mas que nunca se identificam. O povo faz... o povo sonha... e as obras acabam sempre por nascer. Senhor anónimo tente fazer o mesmo, não se faça passar por aquilo que não é nem nunca irá ser.
Façam um favor à terra divulguem o que o povo da nossa freguesia tem para oferecer, não desprezando aquilo que temos de mais sagrado que são a nossa cultura e tradições.
Obrigada OUTRA MARGEM por continuarem a fazer um bom trabalho. Há sempre alguém que tem pensamentos menos positivos, mas vocês com a vossa determinação e coragem conseguem ultrapassar todos os obstáculos.
O meu BEM HAJA!

Luis do Mole disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Agostinho disse...

Poema pró mole

Oh alarve ..... palerma mole.
Oh preguiçoso .... dormente,
Vai apanhar .... sol.
Oh louco .... demente
Oh sonhador ... de quimeras,
Oh ...(o que tu quiseres) deixa-te de m..... e vai contar esferas

Luis do Mole disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Agostinho disse...

ao anonimo 21 setembro 2006 11.20

Meu caro:
Para este feito não é necessário subsidio, por duas razões simples:

- o ti Adelino já tem um Museu em casa.

- há muitos anos, e isso nunca foi reconhecido, o ti Adelino tem uma obra sua exposta na sede da Junta de Frguesia de S. Pedro, mais precisamente um quadro de marinharia.

juliana disse...

ao senhor anónimo "do pão":
é de lamentar profundamente a falta de formação e a inveja que se detem por esta terra.
não sei se percebeu mas a iniciativa do meu avô não dá mérito somente a ele mas à terra também!no meu humilde português chamo a isso "dor de cotovelo" e lamento uma vez mais a profunda ignorância e falta de visão do senhor ou senhora anònimo/a.
talvez não lhe ficasse pior identificar-se da próxima vez que queira ser redutor com alguma coisa, daria mais credibilidade à sua postura.
com todo o orgulho da minha família:
Juliana Agostinho.