domingo, 6 de agosto de 2006

Alerta





“Parece-me que passaram a fazer consultoria a um pseudo jornalista da figueira, para combaterem o teu blog.”

O alerta, veio em jeito de comentário, um dia destes.
Já tinha notado qualquer coisa. Uns ataques levezinhos. Umas ameaças descaradas. Umas ofensas fundas.

Mas o que é que se passa, afinal?
Este é um blog que ninguém frequenta, ninguém comenta, não é feito por nenhum dr.
Será que estamos a incomodar?
Na... Não acredito.

E depois, vamo-nos defender como?
Usando “escudos humanos”, ou minas?

Qual seria o propósito de usar "escudos humanos" sem que o inimigo soubesse que eles estão cá?
Seria eficiente?
Deixando de lado os “escudos humanos”, vamos às minas.

Vamos supor, que queríamos defender a fronteira da nossa freguesia com campos de minas.
O que fazer, se as minas não chegassem para proteger toda a nossa área territorial?

Teríamos duas hipóteses:1. Enterrar algumas, assinalando-as com bandeirinhas;2. Enterrar algumas, não dizendo onde.

Qual seria o método mais eficiente?
O primeiro método seria ineficiente. O inimigo só teria que contornar as bandeirinhas.
O segundo método seria mais eficaz. O inimigo, para avançar, teria sempre que proceder à desminagem do terreno, mesmo em locais onde não existem minas.No caso dos escudos humanos é a mesma coisa.
Não se sabendo onde estão, pressupõem-se que estão em todo o lado.

António Agostinho

28 comentários:

Tó (da Lota) disse...

Isto já estava a encarreirar e pumba!
Outra vez a mania das perseguições. Estava a ficar divertido com 20 comentários e de repente, nada. Zero, porque isto não é assunto de interesse.
Mude o disco, Dr. Agostinho e vai ver que a malta aparece. E agora alguns já sabem o que têm de comentar. É o post que se comenta, não o autor que se elogia. Não é minguinhos dos passaritos?

Anónimo disse...

Burrinho (da lota)

A única liberdade que merece esse nome é a de buscarmos o nosso próprio bem, pelo nosso próprio caminho, enquanto não privarmos os outros do seu ou os impedirmos de se esforçarem por consegui-lo. Cada um é o guardião natural da sua própria saúde, seja física, mental ou espiritual. A humanidade acaba por ganhar mais consentindo que cada um viva à sua maneira que obrigando-o a viver à maneira dos outros. John Stuart Mill.

Tó (da Lota) disse...

Intelectual anónimo das 17:39:

E o que é que isso tem que ver com a consultoria de um pseudo jornalista?
Como o Dr. agostinho postou sobre escudos humanos, parece-me mais adequada essa prosa ( esse Jonh Mill, era quê? Corredor dos cem metros) aos Hesbolenses. Ou ao lider deles, não lhe parece?
Para aqui e hoje, está totalmente em desajuste. Que pensa disto?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Este das 15:59 horas tem garra, tem que se lhe dar o valor, é um exelente moço de recados, aliás sempre foi, só que agóra tem um trabalhinho extra ,comentar, estará autorizado pelo patrão?.

Tó (da Lota) disse...

Mas voltando à sua pergunta, Dr. Agostinho de, como minar o terreno para impedir a entrada do inimigo de forma controlada, há sempre além da primeira hipótese, que é a de marcar as minas com bandeirinhas, não dizer nada sobre a sua localização ao inimigo mas...
Há sempre um mas, fornecer-lhe as bandeirinhas para ele ir marcando o local das minas à medida que as descobre.
Após porfiar e ter todo o terreno minado marcado com as bandeirinhas, pode o exército invasor avançar sem problema algum, fazendo da segunda hipótese uma cópia da primeira. Temos assim duas hipóteses que sendo diferentes acabam por ser iguais, ao fim de algum tempo.
Com este método conjunto entre inimigo e amigo, anula-se metade das hipóteses fazendo com que uma delas sendo diferente, no início, acabe por se tornar igual à outra, no fim.
Evitar-se-iam trabalhos e canseiras se em vez de duas se tivesse optado por nenhuma uma vez que o resultado prático em favor do exército defensor da freguesia passa a ser nulo. Quer dizer, não adianta nada minar o terreno.
Resumo: Uma trabalheira, muito puxar pela cabeça, para nada.
É assim, ou não é?

Anónimo disse...

Ao burrinho (da lota), versão 17.39:

JOHN STUART MILL (1806–73) foi um dos mais importantes filósofos e reformistas sociais do séc. XIX . Firmemente empirista e naturalista, desenvolveu o utilitarismo de Jeremy Bentham (1748–1832) e deu-lhe um rosto sofisticado. Autor de Sistema de Lógica (1843), Princípios de Economia Política (1848), Sobre a Liberdade (1859), Considerações acerca do Governo Representativo (1861) e A Subordinação das Mulheres (1869), defendeu o uso livre de métodos contraceptivos (razão pela qual esteve preso), foi deputado e promoveu a igualdade das mulheres. Só a partir dos anos 70 do séc. XX viria a ser reconhecida a sua teoria da referência directa dos nomes. Defensor incansável da liberdade e da racionalidade, foi um pensador sistematicamente ignorado durante o regime salazarista e as suas ideias são ainda hoje incómodas em muitos círculos.

Tó (da Lota) disse...

John Stuart Mill, sim senhor, com um currículo desses e só corria cem metros. Tá bem.
De resto, se eu tivesse uma Enciclopédia também podia ir lá ver uns tipos assim com uma certa influência na "Coltura" e no "Falar-Caro" que é a marca dos que querem sobressair no meio dos analfas.
Se o tipo não valia um chavo nem tinha feito coisa que prestasse ou se visse, como não haveria de ser ignorado pelo regime Salazarista?
E também pelos outros, está visto. Ainda por cima tinha a queda para tratar de assuntos de mulheres o que lhe devia trazer alguns dissabores. A não ser que fosse o contrário.
E note-se que as suas ideias são ainda hoje incómodas em alguns círculos. E quadrados, também, certamente. Pudera!

NUNO SOARES disse...

Sr. Tó da lota, deixe a batalha naval e entenda que não vale de nada esse esforço. Sou totalmente contra essa filosofia de espionagem tonta ou jogo das escondidas. Pensem esta terra precisa de todos vós, não precisa certamente das vossas borbulhas de puberdade em forma de opiniões e ataques de uns contra os outros, afinal de contas vocês conhecem-se todos e continuam a perder tempo nessas "coisitas".

Anónimo disse...

Nuno, este tozinho NÃO é de cá. Não tem nada a ver com os Covagalenses. É mercenário.

Agostinho, deixa palrar.
Quem luta, por direito, pelos direitos tem sempre ALIADOS.
São eles que ajudam a ganhar as guerras.

Lingueirão de canudo disse...

Eh, tózinho da lota dize-me cá uma coisita!
Desde já peço desculpas pela minha ingnorância, mas eu é mais mar, rio, remos, redes, pesca, engodo e uns copitos, de vez em quando, ali na tasca da Hesbolina.
- Q'é isso de HESBOLENSES???
N'é por nada, mas parece-me conversa de enganar papalvos de falso COLTO e FALAR CARO no meio de ANALFAS (pensas tu...).
É que os calos dos gadanhos não me deixam consultura da enciclopedica.
E, assim como assim sempre ganhas mais uns cobres por pastares mais um comentário.
Ou será que tu, meu tozinho da lota, no alto da tua CAGANIFÂNCIA não sabes distinguir um CAGARÉU d'um CAGAROLA?

bakunine disse...

Esse tó do loto, ou totoloto, tanto faz, se não é atrasado mental imita muito bem.

Sá disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Tó (da Lota) disse...

Cagaréu = Natural de Aveiro
Cagarolas = Lingueirão de Canudo
Hesbolense = Simpatizante do Hesbolá (Pelo belo hábito que têm de se defenderem com escudos humanos e depois dizerem que são mártires. Isto é a sério e não tem nada que ver com os Cova-Galenses, que respeito, e a quem nunca chamaria isso. Quem falou em escudos humanos foi o bloguista Dr. Agostinho, não fui eu.
)
Lingueirão de Canudo = Tipo de peixe muito confuso, sem grande capacidade de interpretação. Nada junto ao fundo, no lodo. Para alguns é comestível.

tó (do loto) disse...

Nuno Soares: não vale a pena insistir com analfabetos. Por muito que se lhes explique não entra na cabeça.Assim é o modo mais fácil de actuar. É próprio dos ignorantes.

Lingueirão de canudo disse...

Gostava que tivesses, também, verificado, no dicionário, o significado de CAGANIFÂNCIA.

Tu viste, não tens é coragem de mostrar a bagatela e insignificância que és!

Ainda tenho esperança, agora, que deu para constatar que és bem mandado e fizeste, direitinho, o que te disse para fazer ( apanágio, aliás dos agachados e bem adestrados).
Nem imaginas o prazer que sente um ANALFA dum pescador, cheio de calos nos gadanhos, cá desta margem, de por a trabalhar um INTELEQCUAL como tu?
Fizeste tudo direitinho, é força do hábito.

Nada do que atrás disse, anula o facto de seres um ..., aliás, teres necessidade de EVOLUÇÃO, por:
- 1- Hesbola na lingua portuguesa não existe.
- 2- Existe é HEZBOLAH...e HEZBOLAH significa:
- 3- "O Hezbolah foi fundado em 1982 e tem conduzido uma campanha terrorista com o objetivo de promover a doutrina radical islâmica-xiita, concebida pelo líder espiritual do Irã, Aiatolah Khomeini, morto em 1989. Os princípios básicos dessa doutrina, que refletem a identidade fundamental do Hezbolah como uma organização da jihad xiita, são:
a) a luta consistente e implacável contra Israel até que se consiga a "libertação de Jerusalém" e o aniquilamento de Israel
b) a hostilidade intensa contra os Estados Unidos, junto com o empenho para forçar a presença e influência do Hezbolah no Oriente Médio.
Para atingir esses objetivos, o Hezbolah colocou o uso do terrorismo contra seus inimigos como o ponto mais importante de sua estratégia de conflito assimétrico, sendo a arma do suicídio um de seus principais componentes. Na visão do Hezbolah, os Estados Unidos e Israel não possuem resposta adeqüada contra tal arma.
Apesar de Israel ter cumprido a Resolução 425 do Conselho de Segurança das Nações Unidas e de ter saído do sul do Líbano em junho de 2000, o Hezbolah (com o apoio do Irã e da Síria), tem violado flagrantemente essa resolução continuando a atacar Israel. Seja com atos de terrorismo, incluindo apoio a grupos terroristas palestinos, seqüestro de soldados e civis israelenses, tratamento desumano dado a "desaparecidos em combate", e o bombardeio contra o norte de Israel - o Hezbolah continua a manter a fronteira entre Israel e o Líbano tensa.
O Irã, que se opõe a todos os esforços para se obter a paz com Israel e que tem apoiado o terrorismo para subverter tais esforços, além de querer desenvolver sua própria capacidade de armas não-convencionais, apóia integralmente o Hezbolah. A Síria usa o Hezbolah como instrumento beligerante contra Israel para avançar em seus próprios objetivos estratégicos e políticos contra Israel. A Síria também apóia ativamente as organizações terroristas palestinas como o Hamas e a Jihad Islâmica, e tem em seu território quartéis-generais de organizações terroristas e campos de treinamento na região de Damasco. O Líbano também apóia o Hezbolah, permitindo que o mesmo opere contra Israel a partir de seu território, contradizendo diretamente as leis internacionais".

__Vê lá o que eu fui capaz de saber, apesar dos calos nos gadanhos. Se não fosses o que és, imagina lá o que serias capaz, tu, um bom filho, de boas familias figueirenses. Pena é a ausência de ...

Mas, prontos, voltando ao principio; Se fosses outro usavas o aportuguesamento do HEZBOLAH e escreverias HESBOLÁ, mas com acento no Á e com "aspas" (sabes o que é, não sabes???), para nós ANALFAS, entendermos.

AHHHH, .... tozinho, já viste que enquanto levas comigo, não atacas o BLOG??? .... e, antes pelo contrário, dás-lhe qualidade?!?!?!?

Em relação a CAGAROLAS, todos nós sabemos o que significa à exepção do tozinho da lota que se enganou.

É que o lingueirão de canudo é um grande petisco ... mas não é para todos. Tinhas que vergar a mola lá na C'ROA DA BURRA!!!
Sempre ao teu dispor.

Anónimo disse...

Agora sim estamos perante uma feira de vaidades, quem é mais intelectual de que eu?? quem,,, quem????.

Provérbio popular:1º No melhor pano cai a nódua.
2º Chama-lhe......... tu primeiro
antes que ela te chame a ti.
3º Telhados de vidro quem não tem?
Pergunta a quem deves, se não fossem os ignorantes quem eras tu?
Ela vai te dar a resposta.

Tó (da Lota) disse...

Boa noite.
Dr. Agostinho:
Como sabe, um blog é uma loja.
O dono da loja (Blogger) expõe o seu artigo (A Posta) e espera que os apreciadores e frequentadores do seu espaço "comercial" façam os seus comentários. Correcto?
Isso é troca de ideias em torno de um tema, mais ou menos interessante mas não equitativamente para todos. Daí que nuns dias, conforme o tema, os visitantes comentadores sejam em maior numero que noutros. A qualidade dos comentários também difere, como é óbvio, influenciada pelos conhecimentos que os comentadores tenham sobre o assunto.
Acontece porém, e não é só deste tempo, que a maior parte das pessoas que tem acesso a estes meios de debate não aparece com o intuito de comentar e deixar uma opinião válida, às vezes divergente mas util, mas com a intenção de cumprimentar o logista e amigos, os primos e as primas.
Sendo assim, o debate enfraquece e torna-se semente em terra árida o esforço do blogueiro de trazer à praça temas de interesse geral, locais e até mais abrangentes.
Claro que tem de haver um esforço diário de actualização de postas, variando os temas e pegando, sempre que possível em assuntos actuais e pertinentes.
Ora, se o resultado desse esforço se traduzir em comentários vazios de interesse e limitados às ancestrais questiunculas de quem é quem e não tentando arranjar argumentos válidos para rebater o post, ajudá-lo a crescer e talvez trazer à luz alguma solução para o assunto apresentado, ninguém beneficia com isso.
É trazer para aqui os velhos hábitos de estalagem medieval, modernizados no botequim e contemporâneos de café.
As tertúlias de café serviam para isso mesmo. Debater e perceber o assunto lançado à discussão ou apreciação. Quem sabia, falava. Quem não sabia escutava. E aprendia.
Mais uma vez, boa noite.

Linguarão de canudo disse...

Tó (da Lota) das 23:44
Foste tu que falaste em argumentos válidos "...qualidade dos comentários...troca de ideias em torno de um tema...deixar uma opinião válida...trazer à luz alguma solução para o assunto apresentado...etc.

Tudo o que aí vem é teu, pena não poderes rever-te nos comentários que foram apagados.

O melhor mesmo é mirares-te ao espelho.

""Tó (da Lota) said...
É uma tristeza e uma vergonha um tipo armar-se em esperto culto e sair para aqui com um blogue onde não aparece ninguém a comentar, tal a pobreza do mesmo.
Quem te manda a ti sapateiro
Comment Deleted
This post has been removed by the blog administrator.
Comment Deleted
This post has been removed by the blog administrator.
Tó (da Lota) said...
Eh pá! Gana foto pá! Gana blog, pá!
Tó (da Lota) said...
Realmente está mal, se for verdade que alguém de fora fez esse comentário.
Não é preciso chegar a tanto nem se deve ir por aí.
Tó (da Lota) said...
Ora, ora. Então estas é que são as novidades? Não estou desapontado, mas pensei que era outra coisa.
Pensei que era alguma coisa relacionada com a democratização da outra margem.
É que a nossa terra está a ser motivo de chacota pela pior razão. Agora dizem que tudo passa pelo exame prévio. Como antigamente. Pois se ainda há quem defenda que antigamente é que era bom.
Força malta! Toca a dar o exemplo.
Tó (da Lota) said...
Um curso bom e que teria certamente, pelo menos um aluno era:
Como ser um homenzinho na Blogosfera.
O pupilo n.º 1 desse curso seria o doutorado em asneira e censura:
Dr. Agostinho Daquela Margem.
Comment Deleted
This post has been removed by the blog administrator.
Tó (da Lota) said...
Este zé dos percebos devia ser mais Zé dos Percevejos.
Ou então deveria rebaptizar-se de "Zé Não Percebo" dado que não percebe nadinha do que se passa na nossa terra. Fala por falar, como muitos que só abrem a boquita para se ouvirem a si próprios.Falam mal de tudo mas nem a louça lavam em condições. E falam cá fora, que em casa tá queto. Quem manda é ela.
Pois caro zé dos percevejos, estes assuntos são coisa séria e só devem ser discutidos por gente que se informa primeiro e só depois fala, se for util. É por isso que nem na tasca , nem no café, nem em casa tens voto na matéria e direito a faladura. Sê mais atento aos problemas da nossa terra, informa-te bem e depois poderás e deverás dar a tua opinião. É, como em tudo, uma questão de maturidade.
Passa bem.
Tó (da Lota) said...
Claro, claro.
Se o blogueiro da Outra Margem começar a ser menos partidário e mais pluralista, o pau folga e ele deixa de andar dobrado ao peso da vergasta.
Nunca é tarde para mudar e só os burros não o fazem. Está sempre a tempo, Dr. Agostinho de ser um Verdadeiro defensor da nossa terra e ajudar isto a andar para a frente.
Vá lá, vá melhorando que nós, atentos, (eu) cá estarei para lhe dar em vez de uma vergastada, uma palmada nas costas.
Tó (da Lota) said...
Cum caneco, até estou comovido!
Cá estarei, atento
Comment Deleted
This post has been removed by the blog administrator.
Tó (da Lota) said...
Mas que treta vem a ser esta?
Primeiro, deves montar uma barraca na praia para leres o futuro aos necessitados, já que são evidentes os teus dotes de visão futuróloga.
Segundo, isso da vergasta, pá, é mera figura de retórica e o visado, entendeu perfeitamente, a não ser que seja o mesmo, desta vez disfarçado de anónimo.
Portanto rapaz, se não és o visado, mete-te na tua vidita e deixa estar quem está. E quem aos dezoito anos andava a distribuir folhetos, é porque o mandavam, não tinha mais que fazer, porque se o tivesse, não andava nessa vida.
Tó (da Lota) said...
Pobre Jacob (Jacó).
Dantes punha-se o nome de Jacó aos papagaios. Porque seria?
Eu, se tivesse um, também lhe punha esse nome.
Mas quando tiver um burro, não falha, vai ser o Jacó.
Tó (da Lota) said...
Nuno Soares: não vale a pena insistir com analfabetos. Por muito que se lhes explique não entra na cabeça. Assim é o modo mais fácil de actuar. É próprio dos ignorantes.""

Olha, sabes que mais? - Estou a modos que agoniado e acho que vou beber um copito ali à tasca da HESBOLINA, q'inda tenho que aparelhar o bote.
Chapa-te ao mar, homem!
Vai chamar peixe a outro.

Anónimo disse...

Ao tó (da lota), versão 07 Agosto, 2006 23.44

« - Você quer entrar na Política? Quer.
Então, pelos Históricos ou pelos Regeneradores, pouco importa.
Ambos são constitucionais, ambos são cristãos...
A questão é entrar, é furar.
(...) » (versão século XIX)

Você quer entrar para a Junta de S. Pedro. Quer.
Então, pelo PS, PSD ou Independentes, pouco importa.
Todos são constitucionais, todos são cristãos....
A questão é entrar, é furar.
(...) versão século XXI

Essa é que de Eça como diria o
Eça (de Queiroz)

PS. - Você fala, não escuta e às vezes insulta ...
Com que então, quer mandar no bloguinho?
Faça um ... è fácil é barato, não dá é milhões! ...

tó (do loto) disse...

Em relação ao comentário de tó (da lota) de 07 às 24H44.
Era bom que fosse sempre assim, mas a "lota" não tem apresentado este comportamento que agora quer vender.
Será que, depois de tanta asneira, isso foi escrito pelo autor?
Pode ser que sim. Como dizia alguém:só os burros é que não mudam. Pode ser que na "lota" se comece a pensar de outra maneira e apresentando outro produto para comercializar na "loja", tenha alguma credibilidade.

Anónimo disse...

O vizinho ta a ficar simpático.
Tem por aí mais uns rebuçaditos?

Agostinho disse...

tó (da lota) versão 06 Agosto das 21,41

Não creio que vivamos numa «meritocracia»: a palavra nem sequer existe. E depois, há demasiados idiotas de sucesso.

Anónimo disse...

Mas há muito mais idiotas sem sucesso nenhum. Olha para ti. lol, lol

Agostinho disse...

Ao anónimo, tó tó ( da lota) versão 08 Agosto 2006 11.49

“Muita gente confunde sucesso com amealhar dinheiro. Embora o sucesso acabe por levar à riqueza, é muito mais que isso. É uma atitude mental e espiritual - um estado de consciência - de que o dinheiro é um sub-produto acidental. Sucesso é um modo de viver.”
(..............)
“Uma vida bem sucedida não é fácil. É construída sobre qualidades fortes - sacrifício, diligência, lealdade e integridade. A corrida nem sempre é ganha pelo mais rápido nem a batalha pelo mais forte; a vitória vai muitas vezes para o mais temerário e o mais persistente. O maior obstáculo no caminho do sucesso não é a falta de inteligência, de carácter ou de força de vontade. É a incapacidade para levar o trabalho até ao fim. “

Alfred Montapert, in 'A Suprema Filosofia do Homem'

Gato Preto disse...

Ei digam-me, informem-me se na tasca da Hesbolina à carapau? è que de férias apetecem-me sempre umas espinhitas bem feitinhas, bem fritinhas...
Estou em pêlo ao Sol, a ver a caravana a passar...o cão a ladrar...olari Tó lela...!

Linguarão de canudo disse...

Eh, migo venha daí!
Os charabanecos são uma beleza.
Inda ontem, o Zé da Nassa, deixou lá um alguidar d'inguias pescadas no Cochim. Fritinhas...maravilha.
E a pinga! É da boa, cá da areia, da vinha da Ti Carma e também há da outra, lá mais para o norte, do Santiago.
Sentamo-nos à fresca da parreira q'ela lá tem, se vier com sede bebe um caneco de água do poço da Maia.
E... vamos pondo a escrita em dia.
Bora daí.

Gato Preto disse...

tá certo! deixe-me só arranjar aqui o mê foquim prá viaje, gato que se preze vai de foquim aviado...vazio, pois claro! para depois trazer cheio!
Ah tasquinha da Hesbolina..até sonho. EHEHEH